World Fabi Books











{março 21, 2011}   Bia is just… Bia! And Carol is just… Carol!

Relatarei aqui fatos que ocorreram quando fui ver filmes com minhas queridas amigas: Bia e Carol!

Filme: “Uma Noite fora de Série”

Tudo começou com a Carol e seus mega chinelos altos! Ela já havia “bamboleado” pela PUC aquela manhã, por causa do sapato pouco seguro e confiável.

Eu estava com o meu dia livre, a Bia também e, por conseguinte, a Carol. Portanto, resolvemos sair e ver um filme juntas, além de dar uma volta pelo Dom Pedro e babar na FNAC.

O dia estava gostoso, não estava quente, era um horário tranqüilo… Assim, decidimos ir à pé até o shopping. Este fato eu já relatei em um dos meus blogs (http://fabi.books.zip.net e http://mundofabi.zip.net)

No momento em que pisamos para fora da PUC.  O tempo ao nosso redor pareceu congelar e a Carol começou a se mover em câmera lenta. Tentamos interferir, mas, no fim, Bia e eu acabamos sendo engolidas por aquela lei da física “ação-reação” e acabamos reagindo da forma mais instantânea e natural: apenas assistimos o show que nossa amiga nos dava.

A Carol balançava de um lado para o outro, para frente e para trás, dando guinadas longas e às vezes bruscas, movimentando os braços como se fossem ora tentáculos, ora asas de papelão. Ela parecia surfar no lugar, enquanto imitava movimentos dos personagens do filme “Matrix”.

Sem mencionar o fato de que o corpo dela parecia querer se desmembrar sozinho, pois para onde iam as pernas, o tronco ia para o lado oposto, e os braços, como já dito, tinham vidas próprias em seus movimentos oblíquos e alucinantes.

Os cabelos loiros eram arremessados de um lado para o outro, devido aos solavancos que sua cabeça era submetida, entre uma oscilação brusca e outra.

E ao invés de pedir socorro, ela apenas dizia: “ãn, wouuu, aaah, iiih, eeeh…” e outros sons que não saberei como reproduzir aqui em palavras. Enquanto ela falava naquela língua de quem está prestes a cair, Bia e eu observávamos tudo pasmas!

Assim que o “tropeção” conseguiu ter um desfecho feliz. Não parávamos de rir, tendo uma crise no meio da rua, com alguns cidadãos nos assistindo, como que em um reality show!

Recuperamos-nos e seguimos caminho.

Depois de um tempo caminhando pelo shopping, paramos no cinema e nos posicionamos em uma singela roda para discutirmos que filme iríamos ver. Enquanto estávamos ali PARADAS analisando nossas opções cinematográficas, mais uma vez, a Carol tropeçou em seus próprios chinelos, voltando a fazer aquela dança alucinante em busca de equilíbrio. O mais curioso do fato, foi: como ela conseguiu tropeçar, SEM SE MEXER?

Isso é um mistério para mim até hoje! (como quando ela conseguiu tropeçar SENTADA no meio de uma prova em dupla…)

Enfim… Decidimos por ver “Uma Noite fora de Série”. Como habitual, pagamos pelos ingressos e fomos comprar nossos Milkshakes de Ovo Maltine do Bob’s, para tomarmos enquanto assistíamos.

No meio do filme, entre risos e mais risos por causa das situações cômicas e dos nossos comentários insanos. Eu vejo uma cena um tanto engraçada em que eles acabam de cair em um lago, e segundos depois a Bia comenta a cena, deixando-a ainda mais redundante. Eu já estava quase me matando de rir quando a ASSISTI, mas ter a Bia enfatizado-a… Quase me fez CUSPIR o meu milkshake no pobre cidadão sentado na minha frente…

E esse é apenas o primeiro filme de TRÊS que irei relatar aqui!

Estréia do filme: “Atividade Paranormal 2”.

Somos garotas que ADORAM histórias de espíritos, demônios, anjos, bruxas… E por aí vai… Sendo que, apesar de um tanto medrosas, não conseguimos evitar sermos atraídas pelo sobrenatural!

Já havíamos visto o primeiro filme da série. Assistimos na casa da Bia, às altas horas da noite. (esse programa que fizemos na casa da minha querida Beatriz, me renderá outro relato engraçado aqui… Aguardem!)

Dessa forma, já tínhamos uma ótima noção do quanto aquele tipo de filme conseguia mexer com a gente, nos deixando um tanto assustadas. E assim, fomos ao cinema, já prevendo o quanto iríamos nos assustar. Porém, é claro, como boas medrosas e aficionadas por terror sobrenatural, começamos o nosso passeio contanto histórias assustadoras que ouvíamos falar por aí ou que haviam acontecido com nós mesmas.

Pagamos pelos ingressos, já sentindo o coração na boca por causa da ansiedade. Fomos comprar nossos milkshakes e durante o caminho todo de ida e volta às salas do Kinoplex, conseguimos a façanha de ter crises de riso múltiplas!

Um pouco mais relaxadas (pelo menos Bia e eu), entramos no cinema e fomos tranquilamente até a sala indicada. Mantendo o padrão normal de conversas insanas que sempre temos, começamos a falar sobre filmes e assuntos aleatórios. Ao entrarmos na sala, Bia e eu paramos na porta para ler aqueles avisos sobre saídas de incêndio.

O aviso nos fez lembrar umas das últimas cenas do filme “Bastardos Inglórios”. Enquanto nos lembrávamos do que acontecia em Bastardos, a Carol começou a fuçar a grande mochila-casa dela, ficando um pouco atrás de mim.

Assim que começávamos a REALMENTE entrar na sala, passando por aquele corredor em que existem algumas cadeiras que ficam sobre ele, como se fosse uma “mini sacada”, ouvi o barulho de água. Eu me assustei, acreditando que havia alguém nesta “mini sacada” com algum copo derramando, por algum motivo, o liquido dentro dele, o qual estivesse caindo sobre nós.

Como a Bia estava um pouco a frente, no meu lado direito (perto da parede), eu agarrei o braço da Carol, que estava só um pouco atrás e do meu lado esquerdo (perto dos bancos), e gritei pelo nome dela, a fim de alertá-la e puxá-la para perto de mim. Eu apenas queria livrá-la de um suposto banho involuntário.

Ela simplesmente ARREGALOU os olhos, enrijeceu-se inteira e deu o maior GRITO que já ouvira em toda a minha vida. Segundo a Bia (que estava de frente para nós nesse momento), os olhos da Carol chegaram a ficar quase BRANCOS DE PAVOR, devido a mega “comprimição” da pupila (reparem que acabei de inventar a palavra “comprimição”, mas creio que o significa esteja subentendido). E devo revelar que cheguei a senti-la tremer sob minha mão.

No mesmo instante, começamos a chorar de rir com a reação super exagerada dela. Nós duas nos apoiávamos nas paredes para tentar nos sustentar, por causa dos espasmos loucos que os nossos corpos davam durante as risadas descomunais.

E, apenas para registrar, a Bia chegou a cair no chão por causa da enorme crise de risos. Já a Carol… Ela respirou fundo, se recuperando, olhou ao redor e começou a rir junto. Sorte não haver ninguém no cinema. Éramos as primeiras a entrar, estávamos, por milagre, bem adiantadas naquele dia.

– O que você pensou que estava acontecendo, Carol?

– Sei lá. Você me assustou, Fabi!

– Você achou que era um cara da machadinha ou algo assim? – a Bia perguntou para a nossa querida Carolina.

Quase isso… – admitiu, rindo de si mesma.

Voltamos à crise!

– Se fosse o cara… Você já teria morrido, porque ficou parada no lugar ao invés de correr quando, supostamente, haveria um machado vindo em sua direção! – a Bia comentou entre uma crise e outra.

– Mas, a Fabi me pegou desprevenida!

– Eu só achei que tinha água caindo na gente e tentei te tirar dali. Nunca imaginei que você iria entrar em pânico!

Crises e mais crises de riso!

– E por que você achou que tinha água caindo sobre nós? – novamente, a Bia tentando desvendar tudo.

– Porque eu ouvi o barulho de água…

– Ah! Fui eu! – Carol mostra a garrafa de água na sua mão. – Eu peguei essa garrafa dentro da mochila.

Ou seja, como eu não via o que ela estava pegando dentro da mochila, não percebi o que era e acreditei que minha amiga procurava pelo celular, como sempre. Quando a Carol começou a beber a água, a garrafa fez um barulho alto que acabou me passando toda aquela ideia louca de água caindo sobre nós. E como o clima de ir ver qualquer filme de “Atividade Paranormal” é um tanto tenso e assustador, creio que a Carol acabou se assustando mais do que deveria por causa disso!

Esse foi o segundo causo, vamos ao terceiro!

Estréia do filme: “Harry Potter 7 – parte 1”.

Os fatos mais engraçados não ocorreram durante o filme e nem em nossa ida ao cinema, mas sim, durante o período em que estávamos na PUC, terminando de ver algumas coisas interessantes na internet, para poder ir até o shopping Dom Pedro depois. (obs: quando eu digo “coisas interessantes na internet”, 97% dos casos, eu me refiro à algo relacionado à coreanos gatosos – gatos + gostosos!)

Enquanto conversávamos e mexíamos no computador, olhei para a Carol e percebi que, ao coçar a testa, ela acabara arrancando alguma “casquinha” e o machucadinho sangrava um pouco.

– Carol, tá sangrando… – comentei calma, apontando para a testa. Ela entendeu o recado e passou a mão, a fim de limpar o sangue.

A Bia, que estava um pouco “longe” em pensamentos (sobre coreanos provavelmente.. hehe…), olhou assustada para nós duas e AGARROU nossas cadeiras. Ela realmente nos lançou olhares DESESPERADOS! Ficamos ali, encarando-a, sem entender o porquê do desespero.

Foi, então, que ela analisou a Carol e respirou aliviada, soltando um “ah tá…”, como se houvesse acabado de compreender alguma coisa.

– Que foi, Bia?

– Eu achei que os olhos da Carol estavam sangrando!

– QUÊ? – a Carol e eu quase começamos a ter outra crise de risos, mas resolvemos tentar nos controlar para podermos ouvir a explicação da Bia.

– Eu ouvi a Fabi dizer que você estava sangrando…

– E achou que os meus OLHOS estavam sangrando? – começamos a rir. – Eu estava chorando sangue, é?

– Acho que vou morrer de rir! – comentei, segurando a barriga.

– O QUÊ? – novamente, a Bia me olhou assustada, me analisando inteirinhaaaaaaaaa.

– O que você entendeu agora? – perguntei, já prevendo outra crise.

– Achei que você houvesse dito que tinha acabado de fazer xixi

Acho que a Carol e eu quase caímos da cadeira quando a Bia respondeu aquilo. Nenhuma das três conseguia parar de rir e o laboratório de informática inteiro estava nos encarando. Sorte nossa que a maioria já havia ido para casa…

Bia

Carol

Eu

Hm… Isso me deu vontade de ir ver outro filme com elas!

Por que será… Né?

Anúncios


que blog maravilhoso… cheio de textos interessantes sobre filme e espero que tenha sobre literatura também 🙂
achei ótimo fabi …tanto que já coloquei o link no meu “blog dos amigos” no http://www.contosdevampiroseterror.blogspot.com assim o pessoal conhece mais esta maravilha. 🙂
adorei você de máscara 😀
abração e que vc tenha muito êxito neste seu novo trabalho. e se um dia você quiser entrevistar os escritores me inclua na sua lista. 🙂
até!!!
Adriano Siqueira



INU says:

sinto falta dos pic nics no parque da cidade com essa pessoa…!



Biazinha says:

Fabiiiii…. muito bonito, hein???? Colocando essas coisas aqui pra gente rachar??? ahuahauhauhaha… muito bom!! Esses dias foram demais!!! Temos que repetir, aliás… vc viu que saiu Atividade Paranoral Tóquio, certo?????? BOM DEMAIS!!

Beijos, maridaaa….. vou te passar o link do meu blog novo depois!! To acertando ele ainda!! rsrsrs… =D



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

et cetera
Amor literário

Resenhas de Livros 📖 💻 📝

Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por Blair Pttsn

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Writing and Film Festival Review

Feature Screenplay, TV Screenplay, Short Screenplay, Novel, Stage Play, Short Story, Poem, Film, Festival and Contest Reviews

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

• powersx3

' in your mind,i have all power #

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

%d blogueiros gostam disto: