World Fabi Books











{fevereiro 28, 2012}   Causos com a Bia (relembrando os velhos tempos)

(encerrando por hoje o momento nostalgia do dia… Mais uma postagem emprestada de um dos meus velhos blogs!)

 

Causos com a Bia

– Vamos fazer um duelo de varinhas? – perguntei empolgada.

– VAMOS!! – respondeu ainda mais empolgada

 

Não sei quem é mais hilária nesse caso! Huahauhnauahau…

.

.

.

– Eu quero uma touca de bichinho, mas tem um monte de gente tosca parada na frente do negócio… – disse, olhando para uma aglomeração ao redor da cesta de toucas.

– E daí? VAMOS LÁ!

 

É claro que eu iria incentivar, não é? Hehehehe…

.

.

.

– E então VUSHHHH… E o negocio fez iiiich… Nossa, mas aquilo fez um BUM!

– Sério Bia? REPETE?

 

Sinto muita falta dessas conversas abarrotadas de onomatopeias!

.

.

.
– O Roldão tá olhando para cá, pára de rir, disfarça a risada! – avisou.

E para disfarçar, nós duas “coçamos” o nariz ao mesmo tempo… Beloooo disfarce, não?

.
.

.

– BIA, OLHA ESSA FOTO DO JACOB!!!

Quase destruímos as cadeiras e o computador, com a “euforia”! Huahuahauahua…

Detalhe: estávamos na lotada sala de informática da universidade, no intervalo entre uma aula e outra.

.

.

.

– BIA, PÁRA DE EMPURRAR, TEM UMA VELHINHA AQUI, NÓS VAMOS MATÁ-LA!! – quase gritei dentro do ônibus, enquanto ela e as meninas me empurravam impiedosamente para cima de uma senhora.

– E DAÍ??? – instinto assassino aflorado!

 

O pior não era a possibilidade de poder machucá-la, mas sim o fato de que ela talvez fosse nos matar depois! E pelo olhar, eu era a primeira vitima!!

.

.

.

– Tun tin tun tin… tra la la la… pa pa pa pa…

– Desculpa, Bia! Te fiz esperar, né? Tava me chamando? – depois complementei. – Parecia que você estava imitando um toque de celular!

.

.

.

– O que você ta fazendo? – perguntei, porque ouvi um barulho estranho. Algo parecido com o som que aquela garotinha do filme O Chamado fazia ao sair de dentro de uma televisão.

– Eu tava bocejando…

.

.

.

– Bia… que foi isso?

– Sei lá…

Eu me levantei e fui ver de onde ou do que vinha aquele barulho tão estranho. Estava um tanto apreensiva, pois aquela era a primeira noite em garotas, dormindo sozinhas na casa da praia da Bia, em Caraguá.

– O que era? – perguntou assim que me viu voltar com uma cara de revolta.

– Era um gato suicida na janela… – respondi me jogando na cama.

– Ah tá… – comentou, exibindo uma reação normal, como se eu houvesse dito: “era nada demais”.

.

.

.

– Imagine aquele tufo translucido se aproximando de você…

– Eca! – me arrepiei inteira em desgosto.

– Agora, imagine você fazendo carinho naquele tufinho…

– QUE NOJO!

.

.

.

– Eu escuto eles dizerem porca! – comentei diante de uma conversa a respeito de uma música coreana.

– E eu escuto poing… – complementou Bia.

– Poing? – questiono, diante da sonoridade diversa da palavra que eu havia entendido.

– É… tipo… hum… poing! – tenta justificar.

 

Reparem que fica somente na tentativa mesmo!

.

.

.

– O tilti na perninha do bebê – fiz um comentário sobre um vídeo do youtube, a respeito de um bebê que dança a música Single Ladies.

– HAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHAHAHAHAHHHAHAHA – este foi um riso descontrolado no meio da aula!

.

.

.

– Bia! Olha o pé da professora!

– Ai!

– TÁ DANDO TILTI!

– HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!! – começou a rir descontroladamente mais uma vez.

.

.

.

– Ai, meu Deus! ELE TÁ PELADO??? – perguntei, enquanto agarrava o braço da Bia, no cinema, durante a cena em que o Wolverine se levanta do tanque, logo após terem implantado adamantium nele.

– Uhum… Aquilo que ele estava usando era só uma tirinha… Então, saiu quando levantou. – respondeu como se estivesse explicando algo altamente cientifico e complexo.

.

.

.

– Onda, onda… Olha a onda! – disse como se estivesse admirando o mar. Quando, na verdade, ela se afastava lenta e discretamente de uma onda enorme que molhou a todas nós, menos, obviamente a ela!

– AAAAAAAAH BIIIIIIIIIAAAAAA!!!

.

.

.

– E a vara do papa? – perguntou de repente em uma conversa online.

– QUÊ??? A VARA do PAPA? – digitei surpresa.

– Ah tá… era para ser a cara do Papa…

 

É… Isso é EXTREMAMENTE POUCO, comparado com todas as conversas que tivemos durante 4 anos juntas! (salvo falhas de memória…)

 

Bia (em sua foto "cabelo no peito", ou melhor, "peito no cabelo")




Carol says:

AHAHAAHAHAHHAAHAHAHAHAHA RAXEI relembrando dessas histórias..q cmo vc disse são soh uma amostra do q ocorreu nesses 4 anos!hahaah
mt bom!

SAUDAES MARIDASS



Biazinha says:

hhahahahahahahahhaha… me divirto lendo essas coisas de novooo!!! Saudades imensas disso tudo!!! Quero ver minhas maridaaaassss… T.T



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

et cetera
Crônicas da Gaveta

Relatos amadores de um coração cardisplicente...

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Writing and Film Festival Review

Feature Screenplay, TV Screenplay, Short Screenplay, Novel, Stage Play, Short Story, Poem, Film, Festival and Contest Reviews

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

• powersx3

' in your mind,i have all power #

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: