World Fabi Books











{dezembro 12, 2012}   [Fora das Páginas] Costureira de coração

Costureira de coração

Editora Globo

Maria Teresa vive de costura — mas, aqui, as agulhas e linhas são cirúrgicas e os tecidos são membranas de coração de boi e válvulas de porcos. Em uma salinha de acesso restrito na Braile Biomédica, empresa sediada em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, ela coordena uma equipe de 8 químicos, biomédicos e enfermeiros que alinhavam com toda destreza manual cerca de 700 válvulas de coração artificiais por mês.

Editora Globo

A costura está entre as últimas etapas do trabalho, que envolve ao todo 60 pessoas. É nos frigoríficos que começa. As válvulas de animais que seriam descartadas — em geral, somente o coração em si é aproveitado — passam por uma triagem. Apenas as homogêneas e sem rasgos vão para o laboratório. Lá, retiram-se os excessos de gordura, vasos sanguíneos e estrias do material. Em seguida, ele é colocado em uma solução com desinfetantes e esterilizantes, onde curte por um mês. Ao longo do período, a equipe fica atenta a qualquer mudança de aspecto ou espessura. Se algo parecer errado, o material é imediatamente descartado. Aprovado, o tecido biológico passa por testes de resistência e temperatura — para garantir que não encolha, rasgue e que suporte as variações cardíacas. E, só então, é costurado.

Com 31 anos de carreira, Teresa já passou por todas as áreas do trabalho. “É preciso muita atenção em cada uma delas, pois trabalhamos com a vida humana”, diz. Uma profissão para quem é de coração grande.

Nome: Maria Teresa Venceslau
Idade: 56 anos
Tempo de profissão: 31 anos
Formação: Bióloga
O que faz: Usa partes de bois ou porcos para tecer válvulas artificiais para cardíacos

Bate forte no peito

A rigor
A cada 6 meses, uma válvula por lote vai para uma máquina que simula o batimento cardíaco acelerado. Seis meses de testes equivalem a 10 anos dentro do corpo humano.

Na medida
Os produtos são fabricados em 10 tamanhos. Os menores são para crianças.

Coisa de macho
Apenas 10% do material coletado nos frigoríficos vence os testes e é aproveitado. A matéria-prima provém só de animais machos. Alterações hormonais das fêmeas podem afetar os tecidos.

Daqui pra fora
As válvulas são exportadas para cerca de 20 países — teve até uma que foi pra Sibéria, no extremo nordeste da Rússia.

Fonte: Revista Galileu



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

et cetera
Crônicas da Gaveta

Relatos amadores de um coração cardisplicente...

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Writing and Film Festival Review

Feature Screenplay, TV Screenplay, Short Screenplay, Novel, Stage Play, Short Story, Poem, Film, Festival and Contest Reviews

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

• powersx3

' in your mind,i have all power #

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: