World Fabi Books











{maio 13, 2013}   Conto de Dragões

(outra metade do capítulo…)

Capítulo 03

Quem já viu um Príncipe?

 

– Azeitonas… Azeitonas… Onde estão essas azeitonas? – Mariane olhava atentamente uma imensa prateleira de conservas.

Passava levemente os dedos pelos rótulos dos produtos enquanto os lia, apenas para se certificar que não havia passado pelo o que queria comprar.

– Ah! Achei! – pegou um pote de vidro cheio de azeitonas fatiadas e olhou a validade antes de colocá-lo no carrinho junto com os demais produtos.

Ela andava pelos corredores do mercado sem muito entusiasmo. Gostava de fazer comprar, mas mercados a entediavam. Quando arrastava alguma amiga junto, conseguia se distrair fazendo comentários irônicos e divertidos sobre os produtos que viam na frente.

Achava engraçado fazer brincadeiras com os nomes de empresas e fornecedoras, mas não encontrava graça quando tentava fazê-lo sozinha. Precisava de uma companhia para complementar os comentários ou dizer algo que ainda não havia pensado. Era uma troca de brincadeiras que deixava as compras chatas, divertidas.

– Deixa ver… – dava mais uma olhada na lista. – O próximo… – caminhava enquanto lia o que faltava pegar.

Estava distraída quando sentiu algo passar por ela. Parou de ler no mesmo instante e olhou ao redor. Mas não havia ninguém por perto, estava sozinha naquele corredor. Continuou a andar, ainda procurando por algo ou alguém.

– Ué…  Eu podia jurar que alguma coisa passou por aq… Ai! – como não estava prestando atenção, não viu o garoto se aproximar e não conseguiu evitar que se trombassem.

Ele vinha de um dos corredores que cruzavam com o dela e trazia uma pequena cesta de compras em uma das mãos. Os dois bateram corpo a corpo e com o choque, Mariane caiu para o lado e ele derrubou a cesta, espalhando todos os produtos pelo chão.

– Ei! Você não olha por onde anda? Isso me machu… – Mariane olhou para cima e ficou muda.

O garoto era maravilhoso! Tinha cabelos castanhos escuros com alguns fios ruivos que reluziam a cada movimento de cabeça. Era um tanto alto e Mariane julgava que ele deveria medir um metro e oitenta e três. Usava uma calça jeans rasgada em um dos joelhos e uma regata preta que não disfarçava o abdômen definido. Seus braços morenos de sol estavam cruzados na altura do peito, o que salientava os músculos.

Ele não era o tipo de garoto considerado “bombado”, mas com certeza não tinha um corpo qualquer. Porém, para Mariane, o que mais lhe prendia a atenção e lhe roubava o fôlego eram os lindos olhos verdes escuros que brilhavam com a luz e transmitiam uma sensação de profundidade e mistério, como um oceano.

– Como um oceano verde…? – ela sussurrou sem se dar conta que aquelas palavras estavam escapando por seus lábios.

O garoto deu um sorriso travesso e descruzou os braços. Com o sorriso, Mariane percebeu o que havia acabado de dizer e levou uma das mãos à boca, como se esse gesto fosse apagar as palavras ditas.

– Aah… Eu… – sentia sua voz falhar e a culpa era daquele olhar. Aqueles olhos… Ela já os tinha visto em algum lugar. Eles lhe lembravam alguém, mas não conseguia recordar quem

Mariane virou o rosto, em uma tentativa inútil de fugir daquele olhar, e começou a levantar-se do chão. Mas, enquanto se apoiava nas próprias pernas para conseguir levantar, sentiu algo se aproximar de seu rosto e olhou para cima mais uma vez. O garoto lhe estendia a mão para ajudá-la a se erguer.

– Obrigada… – quando segurou em sua mão, sentiu um calor agradável e incrivelmente familiar. O garoto sorriu novamente para ela e Mariane sentiu o rosto corar.

Assim que segurou com força naquela mão, o sentiu puxá-la e em segundos já estava de pé. Ele tinha uma força incrível! Ela não havia feito força alguma. Aquele garoto a havia levantado com apenas uma mão.

– Nossa! Você é forte, ein! – ficou parada, olhando-o, esperando por alguma resposta ou comentário pelo o que havia acabado de dizer, mas ele simplesmente continuou a encará-la com aquele sorriso sedutor nos lábios.

Mariane começou a sentir-se desorientada novamente e virou o rosto. Olhou para baixo e viu todos aqueles produtos que ele estava carregando espalhados pelo chão.

– Quer ajuda para pegar tudo is… – quando se virou para olhá-lo novamente, não viu ninguém. O garoto havia desaparecido. – Mas o quê? – deu uma volta no mesmo lugar, olhando ao redor. Mas nem sinal dele. – Que rude! Me largou aqui falando sozinha e com tudo isso para recolher! – abaixou-se e começou a jogar aquelas compras dentro da cesta largada no chão. – E ele nem ao menos se desculpou por ter me derrubado… – fez uma careta enquanto tentava controlar a raiva. – Um verdadeiro grosseiro!

Mariane suspirou e começou a pegar todos aqueles produtos espalhados pelo chão, jogando-os dentro da cesta do mercado. Assim que terminou, colocou- a em um canto e retomou às próprias compras.

Ainda faltava pegar metade das mercadorias que estavam na lista e se ela quisesse chegar em casa antes de anoitecer, precisaria se apressar.

Enquanto passava de prateleira para prateleira, sem dar muita atenção às pessoas ao seu redor, aquele mesmo garoto que a derrubara, estava parado em um canto, observando cada um de seus passos.

Ele sorria… Vê-la assim, tão distraída fazendo compras, o divertia. Ela realmente era uma figura única e extremamente interessante.

Seus gestos despreocupados, o sorriso simpático em seu rosto, os olhos sonhadores, o corpo… Andrey colocou uma das mãos sob o queixo e substituiu o sorriso admirado por um malicioso. Seus olhos analisavam com cuidadosa minúcia todas as linhas e curvas do corpo de Mariane.

– Realmente… Meras humanas podem ser sem graça para nós, mas você Mariane… Ah… Que deleite para os meus olhos… – ele suspirava.

Aquela analise o lembrava do desejo louco por tê-la em seus braços e poder sentir o calor dela aquecer o seu.

– Ao menos eu pude tocá-la hoje. Mesmo que só um pouco, eu a toquei… – fechou os olhos, recordando do proposital esbarrão que havia dado nela.

Levantou a mão que estava no queixo até a frente de seu rosto e sentiu aquele aroma tão delicioso para ele. O cheiro dela ainda estava impregnado na palma de sua mão.

Mariane pegou uma presilha de dentro de sua bolsa e prendeu o cabelo em um coque. Assim que sua nuca ficou exposta, Andrey conseguiu sentir o seu perfume mais forte. Além do cheiro tentador dela, ele podia sentir um outro aroma misturado.

– Hm… Que perfume você passou? – sussurrava enquanto tentava distinguir os cheiros. – Ahá! Descobri! É o perfume Glamour… da Boticário, não é? – sorriu para si mesmo, comemorando a descoberta.

Meses antes, ele havia passado em várias lojas Boticário, apenas tentando descobrir qual fragrância aderiria melhor aos traços típicos e únicos de Mariane. Desde o inicio ele havia ficado entre aquele perfume Glamour e um outro chamado Accordes Harmonica.

– Combina muito com a sua personalidade minha querida…

Durante as compras de Mariane, Andrey ficou espiando-a e analisando-a. E em algumas horas, ela já havia terminado de pegar todos os produtos da lista e já os tinha pago no caixa.

Ele a olhava colocar as pesadas sacolas no carro e lutava com o ímpeto de ir ajudá-la. Se aparecesse novamente em tão curto tempo, poderia deixá-la desconfiada, e isso arruinaria as coisas para ele.

Mariane terminou de passar todas as mercadorias para o Celta e entrou no carro. Antes de dar a partida, encostou a cabeça no banco e fechou os olhos. Algo a estava incomodando.

– Aqueles olhos… Eu já os vi, mas onde… Onde eu posso tê-los visto? – colocou uma das mãos sobre a testa, como se esse gesto a fizesse recordar algo. – Eu tenho certeza de que nunca vi aquele garoto antes, então como é possível isso? – ficou ali, naquela posição, meditando por alguns minutos, até que desistiu e deu um enorme suspiro enquanto ligava o carro.

Muita coisa estranha estava acontecendo com ela em apenas um dia. Se ficasse pensando sobre tudo aquilo, enlouqueceria. Ligou o som, trocou o cd do Sonata Ártica pelo cd orquestrado do Metallica e deixou a música Master of Puppets a envolver totalmente enquanto voltava para casa.

 

conto_dragões



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

et cetera
Crônicas da Gaveta

Relatos amadores de um coração cardisplicente...

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Writing and Film Festival Review

Feature Screenplay, TV Screenplay, Short Screenplay, Novel, Stage Play, Short Story, Poem, Film, Festival and Contest Reviews

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

• powersx3

' in your mind,i have all power #

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: