World Fabi Books











Pois é, meus caros leitores… Agora, os fãs do escritor francês, Mac Levy, poderão se deliciar com a nova capa de seu primeiro romance lançado, o “E Se Fosse Verdade…“‘, que na minha opinião está mais simples e elegante do que a primeira,  que foi publicada no Brasil em 2006 pela Editora Bertrand, sendo que a obra ganhou uma adaptação cinematográfica em 2005 dirigida por Mark Waters e estrelada por Reese Witherspoon e Mark Ruffalo. (ou seja, o livro só chegou no Brasil depois do filme… Bad… =/)

Há algum tempo a  editora Suma de Letras vem anunciando em suas redes sociais a capa da nova edição do livro, com previsão de lançamento para o primeiro dia de julho. Geralmente eu tendo a ser um pouco purista com relação às mudanças editoriais, contudo e felizmente, esse é um dos casos em que eu prefiro o novo ao original.

Quanto ao Levy, apenas para informá-los um pouco mais sobre o autor, nasceu em 16 de outubro de 1961, na França. É empresário de sucesso na área da computação gráfica e no ramo da arquitetura.

Aos 37 anos ele teve a ideia de escrever uma história, com o intuito único de que seu filho a lesse quando chegasse à idade adulta. O livro resultante, “E se fosse verdade…“, de 1999, foi  um grande sucesso, lançando sua carreira de escritor.

Aliás, pela Suma de Letras, o autor tem publicados 04 títulos: Tudo aquilo que nunca foi dito, O primeiro dia, A primeira Noite e E se fosse verdade... (que será relançando agora em 2013). Hoje, com mais de 26 milhões de livros vendidos em todo o mundo, Mac Levy é um escritor publicado em cerca de 45 línguas.

 

E Se Fosse Verdade...

 

Sinopse oferecida pela editora Suma de Letras (da Objetiva):

Autor francês mais lindo em todo o mundo, Marc Levy deve em muito o sucesso de suas vendas e críticas positivas a E se fosse verdade…, livro que marcou sua estreia literária. O romance nasceu da ideia de Levy, à época um empresário de sucesso, escrever uma história para seu filho, para que ele a lesse quando chegasse à idade adulta. 

Lauren é uma jovem médica com muito potencial: faz residência no San Francisco Memorial Hospital, na Califórnia. Porém, sua carreira promissora é interrompida quando ela é vítima de um grave acidente de carro e fica em estado de coma. Com morte cerebral confirmada, ela acorda e descobre que está fora de seu corpo – incomunicável como um fantasma. De forma misteriosa, Lauren consegue ser vista apenas pelo solitário Arthur, o novo inquilino de seu apartamento. Cético, ele leva algum tempo para acreditar na história da invasora, mas logo o sentimento entre os dois se torna algo a mais. Sem esperanças, os médicos e a família da jovem decidem fazer a eutanásia. Agora, o casal terá que lutar para salvar o corpo de Lauren, e descobrir alguma forma de reuni-lo com sua consciência. 

Grande sucesso de vendas, a inusitada história de amor foi publicada originalmente em 1999. Seus direitos para o cinema foram comprados por Steven Spielberg e a adaptação homônima, estrelada por Reese Witherspoon e Mark Ruffalo, lançada em 2005, foi também sucesso de público e crítica.



Pois é, meus caros…

Isso daqui não se trata de nenhum seriado, filme, livro ou game… Apesar de se tratar de um joguinho político bem arriscado!

Pelo o que tudo indica, a querida e anabolizada Rússia criou uma arma que pode transformar pessoas em zumbis. E isso não é brincadeira! Corram para as colinas!

Há pouco tempo o presidente russo, Vladimir Putin, confirmou que a segurança do país está trabalhando em uma arma capaz de controlar a mente humana, basicamente transformando pessoas em zumbis! De acordo com o jornal Herald Sun, a Rússia já criou a tal arma psicotrônica e a vem testando contra multidões.

E o ministro da defesa do mundo anabolizado pode confirmar! Anatoly Serdyukov revelou que ela já foi usada para dispersar um belo aglomerado de russos, e, aparentemente, durante os “testes” as cobaias apresentaram uma rápida elevação da temperatura do corpo instantes depois de serem atingidas.

O equipamento não mais tão futurista, atinge o sistema nervoso central das vítimas e dispara radiação eletromagnética de maneira semelhante ao forno microondas, o que acaba causando um grande desconforto nos pobres coitados.

Aparentemente, alguns outros segredinhos de funcionamento dessa arma ainda não foram e nunca serão divulgados, mas o que já se sabe é que, de fato, as ondas de baixa frequência podem afetar células do cérebro, alterar o estado psicológico e até mesmo transmitir sugestões e comandos para o pensamento de alguém, como se fosse telepatia. Esqueçam! Não adianta mais correr para as colinas! Procurem pelo capacete do Magneto!

É claro, como esperado, o querido senhor Putin descreveu a tecnologia como um instrumento novo que pode servir para atingir objetivos políticos e estratégicos. E obviamente poderá ser usado contra nações inimigas e até mesmo contra o próprio povo, no caso de rebeliões contra o atual governo. Já pensou o que o governo Dilma não faria conosco se tivesse essa belezinha nas mãos?

Ou seja, FERROU GALERA!! (logo, logo, ao invés de protesto, teremos um verdadeiro Zumbi Walk!)

Acho que o Guerra Mundial Z não está tão na ficção assim… =/

zumbis



Olá, queridos leitores!

Tudo bem?

Campo em Branco

O post de hoje é sobre um livro, ou melhor, uma Graphic Novel que a editora Companhia das Letras lançou na semana retrasada (lá pelo dia 13 de junho). A obra se chama Campo em Branco e foi produzida à quatro mãos pelos grande DW Ribatski (ilustrador) e Emilio Fraia (escritor).

A graphic conta, basicamente, a história de dois irmãos que se reencontram depois de dez anos vivendo longe um do outro. O enredo começa em uma cidade estrangeira, onde o mais velho, Mirko, está morando. Contudo, o narrador principal é Lucio, o irmão que vai ao encontro de Mirko. Portanto, vamos tomando conhecimento dos fatos a medida que Lucio vai contando a história de ambos.

E nós, leitores, começamos a ver a trama se desenrolar a partir do momento em que Mirko insiste para que os doisrefaçam uma viagem feita há muito tempo para Cabo Blanco, um lugarejo nas montanhas frio e com muita ventania, sendo que a “maior atração” de lá são gigantes de pedra.

Inicialmente, Lucio sequer se recorda da primeira vez em que passaram por lá, tudo parece vago e sem sentido, contudo a ausência de lembranças da antiga viagem não parece um problema para poderem “reiniciar” uma nova. Assim sendo, os irmãos partem no velho carro de Mirko.

E com a aventura sendo refeita, vamos nos deparando com cenas dos acontecimentos “atuais” pelos quais os dois vão passando, mas, também, vamos vendo cenários e tramas do passado dos personagens. Dessa forma, durante a leitura não temos uma narrativa linear, pois o enredo se torna muito mais do que apenas o reencontro entre dois irmãos ou o relato de uma viagem. A história se transforma em uma mistura quase caótica de tempos e lugares; de “insights” e recordações, sendo tudo isso relacionado ao narrador, o Lucio.

Nesta fabulosa graphic novel de Emilio Fraia e DW Ribatski é preciso que o leitor dispense uma atenção especial sobre o enredo, uma vez que a cada cena é possível fazer uma enorme reflexão sobre o que foi lido e visto, pois a obra justamente permitir que o leitor tire as próprias conclusões; dê o significado que julgar adequado e ordene como quiser os fatos.

No entanto, a graphic (de tons de azul, preto e branco) está longe de ser uma leitura  inconsistente, é realmente preciso carinho e “cabeça” para interpretá-la, já que, se assim a ler, o resultado poderá ser incrível. 

Na verdade, a tarefa de absorver o livro é bem simples: retirar um sentido de Campo em branco. E como Fraia e Ribatski deixam os leitores livres no enredo, acaba ficando fácil se prestar atenção.

Com certeza, essa é uma leitura que eu recomendo! (abaixo está um vídeo do booktrailer da obra)

Sinopse da obra oferecida pela Companhia das Letras:

Dois irmãos, separados pelo tempo e pelo espaço, se reencontram numa cidade estrangeira. Não sabemos ao certo onde estão, tampouco conhecemos os caminhos que os fizeram chegar ali. Lucio, o mais novo, tenta entender o que o mais velho, Mirko, quer com ele.
A ideia, parece, é refazer uma viagem da infância de ambos, quando visitaram com um tio uma cidade nas montanhas. Ao chegar ao topo de uma trilha, teriam encontrado os Gigantes de Pedra, uma formação rochosa que Mirko agora insiste em rever. Narrado por Lucio, o episódio se mescla a lembranças – um enunciado de física, a piscina do clube, um robô de brinquedo – e, principalmente, a tudo aquilo que ele não consegue lembrar, ver ou compreender. Sempre que Lucio fixa alguma imagem do passado invocado pelo irmão, ela parece escapar, como a dor fantasma de um braço amputado.
Numa trama sobre família e memória, o escritor Emilio Fraia e o quadrinista DW Ribatski tratam com suspense e humor, doçura e medo, a jornada desses dois irmãos. A arte vibrante de Ribatski e os temas enigmáticos de Fraia combinam-se num road movie às avessas, onde a viagem só começa quando podemos reconstruí-la, desmontá-la, inventá-la.



Vocês sabiam que em 2012, cerca de 40% dos lares brasileiros tinham acesso à internet?

Pois é…

Essa porcentagem cresceu aproximadamente 04% desde o ano retrasado, quando o número era de 36%. E todos esses dados podem ser confirmados no Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br), o qual divulgou a oitava edição da pesquisa TIC Domicílios.

Pode parecer pouco, mas, se pegarmos a população brasileira (que, de acordo com o IBGE, são 198.360.943 pessoas) e convertermos para os “porcentos” da vida, veremos que em apenas 365 dias, mais de 7.934.337,72 conseguiram ter acesso à internet.

Além disso,  a mesma pesquisa (TIC Domicílios) informa que o número de brasileiros de 10 anos ou mais que são usuários de internet (cerca de 49%) superou aqueles que nunca utilizaram (aproximadamente 45%). Por outro lado, ela também mostra que ainda é muito grande a diferença na proporção de domicílios com acesso à internet entre as áreas urbana (que são 44%) e a rural (que chega a 10%). Aliás, a TIC Domicílios mostra que o acesso em lan houses caiu oito pontos percentuais e chegou a 19% em 2012. Contudo, se pegarmos as classes D e E, veremos que o “lar”  continua crescendo como o principal local de conexão à internet.

Mas, não é apenas de lares que o acesso à internet sobrevive!

O aumento da presença de tecnologias móveis nos domicílios brasileiros apresentou crescimento em 2012 e reforça a tendência à mobilidade. A proporção de usuários de telefone celular que acessam a internet pelo dispositivo cresceu no ano passado, alcançando 24%. Em 2011, esse tipo de uso era menos comum (quase 18%). Hoje em dia, de todas as casas que têm computador, a metade possui um modelo portátil.

A frequência do uso de computador e internet está entre os principais dados da TIC Domicílios 2012. O Cetic.br também apurou a velocidade e as questões de infraestrutura da rede em seus indicadores. Sendo que diariamente essa frequência tem crescido significativamente: em 2008 era de 53% e em 2012 é de 69%. A faixa de maior velocidade da conexão domiciliar cresceu entre 2008 e 2012 de 6% para 32%.

Steve-Ballmer-Microsoft-007

E sabem porque eu lhes contei tudo isso?

Apenas para poder introduzir a nova reestruturação da Microsoft! (agora, vocês podem absorver essa informação com um pouquinho mais de sabedoria a respeito do acesso à internet no Brasil, hehehehehe…)

Portanto, indo direto ao assunto agora, a Microsoft deve passar por uma nova grande reestruturação, a partir do dia 1 de julho. E sob a liderança do CEO da empresa, o senhor Steve Ballmer, a reorganização poderá levar à saída de alguns funcionários e executivos. Ou seja, dessa vez, algumas cabecinhas vão rolar durante o processo…

Até o momento, nova estrutura da Microsoft  terá quatro divisões: Negócios Corporativos, Hardware, Aplicações e Serviços e Sistemas Operacionais.

Segundo Ballmer, a divisão de Sistemas Operacionais poderá ser liderada pelo chefe do Windows Phone, Terry Myerson, e a líder de engenharia do Windows, Julie Larson-Green. “A união também significaria uma aproximação das duas plataformas”, comentou Steve Ballmer, já que atualmente ambos os sistemas rodam com o mesmo kernel (um componente do Sistema Operacional), mas os aplicativos multiplataforma ainda necessitam de melhorias e as lojas dos mesmos ainda são separadas.

E no meio de toda essa reviravolta empresarial e organizacional, a Microsoft também pretende mostrar ao mundo o Windows 8.1. E essa novíssima atualização de seu sistema operacional, poderá ser apresentado aos olhinhos humanos nesta quarta-feira, dia 26 de junho, quando representantes e desenvolvedores da empresa se encontrarão em San Francisco para a conferência Build.

Além disso, a   Microsoft espera que a nova versão do software deve chegar a tempo de estar presente nos tablets Surface de 7 e 8 polegadas que a companhia lançará até o fim do ano. Aliás, as novidades sobre a reorganização devem começar a ganhar força durante (ou após) o evento em São Francisco, já que ele ocorre próximo ao fim do ano fiscal da Microsoft, que se encerra no fim de junho.



{junho 25, 2013}   Conto de Dragões

(outra parte do capítulo…)

Capítulo 05

Dias diferentes…

Fantasias as mesmas…

 

 

Mariane abriu os olhos e deu uma rápida olhada ao seu redor. O quarto estava escuro e extremamente silencioso. Ela nem ao menos conseguia ouvir o barulho do vento do lado de fora. Espreguiçou-se e levantou da cama. Pegou o celular e viu que eram 2 horas da madrugada.

– Ah, não acredito!  – colocou o celular de volta na sua cabeceira. – Por que eu fui acordar agora? Odeio acordar no meio da madrugada. – foi até o banheiro e ficou se olhando no espelho. Estava sem sono e não tinha idéia do que fazer para conseguir voltar a dormir.

Pegou a escova e ficou penteando o cabelo sem muito ânimo. Só queria fazer as horas passarem rápido ou tentar ficar entediada. O tédio sempre ajudava nesses momentos. Ele fazia o sono vir mais rápido.

– Não tá adiantando… – largou a escova na pia e olhou pela janelinha do banheiro. A noite lá fora parecia clara.

Voltou para o quarto e saiu na sua sacada. A lua estava linda! Ela estava enorme e alta no céu. Iluminava tudo e até as estrelas pareciam estar opacas perto do brilho dela.

– Nossa… – sussurrou admirada com a beleza do satélite.

Enquanto se distraia observando os astros da noite, um vulto passou por cima da sua casa sem que o percebesse. Mariane sentiu um repentino vento acertá-la e estremeceu. Estava usando uma camisola e, portanto, não tinha proteção nenhuma contra o frio daquela imprevista ventania.

Uma sombra passou correndo por trás dela e sumiu na escuridão da noite. Mariane sentiu a presença e virou-se bruscamente, procurando por alguém ou por algo, mas não viu nada. Uma brisa leve e quente esquentou sua nuca e fez sua camisola esvoaçar. O que estava acontecendo ali?

A brisa voltou mais uma vez, duas vezes, três vezes… Ela ia e voltava em intervalos curtos e regulares. Algo estava atrás dela, alguma coisa estava provocando aquele ar quente que atingia suas costas diretamente e passava por seu corpo, provocando um forte arrepio.

Fechou os olhos e apertou os punhos. Estava assustada, mas também estava curiosa. Precisava ver o que tinha atrás de si. Abriu os olhos, respirou fundo e começou a se virar lentamente.

A brisa brevemente periódica também fazia seus cabelos esvoaçarem toda vez que atingia o seu corpo e os fios de cabelo lhe atrapalhavam a visão toda vez que eram jogados em seu rosto.

O suspense a estava matando mais do que o medo. Respirou profundamente mais uma vez e prendeu o fôlego antes de se virar rapidamente. Quando já estava de frente para a escuridão da noite, seu corpo congelou no lugar.

Uma sombra negra gigantesca estava parada na frente da sua sacada, em cima do seu jardim.

Mariane sentiu seu corpo amolecer como se fosse desmaiar, agarrou uma das madeiras que compunham o parapeito e obrigou-se a permanecer firme e lúcida no lugar. Sua respiração estava descontrolada e o seu coração disparado, mas isso não importava. O que era aquela coisa?

Forçou a vista, tentando enxergar melhor na escuridão da noite. A luz forte da lua facilitava as coisas, a enorme sombra estava começando a ficar mais clara. Aquela forma… Mariane a estava reconhecendo. Já a havia visto uma vez!

– Não pode ser… – sussurrou para si mesma.

Assim que o seu sussurro ecoou sutilmente pelo ar, duas admiráveis e imensas luzes brilharam na noite. Elas pareciam lindas bolas de cristal verdes, flutuando a menos de um metro da sua sacada. Aquele formidável brilho cristalizado a encarava de uma maneira que, para ela, parecia gentil.

– Você voltou! – Mariane se apoiou no parapeito e estendeu os braços na escuridão até suas mãos tocarem algo quente e áspero.

Seus dedos acariciavam uma pele dura, que parecia ter grossas placas de pedra. Pedras que eram mais macias do que as que estava acostumada a ver nas ruas e campos, mas, que ainda assim, agrediam um pouco a sua pele delicada.

– Devo estar sonhando novamente… – Mariane não se importava com aquela sutil agressão, só queria poder tocar seu dragão mais uma vez.

Ele estava sentado no jardim e tinha curvado um pouco suas costas e o seu pescoço, abaixado seu rosto até a altura certa da sacada. Aquela posição não era uma das mais confortáveis, mas ele não ligava. O que importava era que eles haviam se encontrado mais uma vez.

– Com certeza devo estar sonhando… – Mariane não piscava com medo que aquela linda criatura sumisse da sua frente durante os poucos milésimos de segundo em que suas pálpebras estivessem fechadas. – Você veio me ver novamente… – conversava com o dragão como se fosse um humano, como se ele fosse responder a qualquer momento.

Ela não dava importância ao fato de ele ser um animal e ela uma humana, sabia que ele a entendia e tinha certeza de que conseguia compreender as respostas daquele ser fantástico pelos olhares que lhe lançava a cada frase.

Os braços de Mariane estavam começando a doer, estavam estendidos para o dragão há muito tempo. A noite avançava para o dia com uma velocidade incrível. Para aqueles dois, humana e dragão, nunca haviam visto uma noite tão rápida! Logo o sol nasceria e ele precisaria partir, mas nenhum deles desejava aquela separação. Queriam ficar o tempo todo assim, se tocando e conversando com palavras, gestos e olhares.

O dragão olhou com agonia para o horizonte, em direção a Serra do Japi. Mariane acompanhou o olhar e entendeu a aflição no olhar de sua tão amada criatura, a noite estava clareando, a lua quase já não existia no céu e o sol estava começando a nascer.

– Ah não… – por um breve momento, Mariane apoiou as mãos no rosto, para controlar o descontentamento e a amargura por ver as poucas horas noturnas com seu dragão acabarem. – Você precisa mesmo ir…? – voltou a olhar para ele, mas não estava mais lá. O dragão havia desaparecido. – Não, não… Não vá… – seus olhos se encheram de dor.

Ele havia ido embora e ela nem tivera a oportunidade de se despedir. Fechou os olhos e contraiu as mãos e os braços na altura do peito. Se aquilo fosse um sonho, queria acordar naquele momento ou, se possível, tentar trazer o seu dragão de volta.

– Volte… Por favor…

Um vulto atravessou sua sacada a uma velocidade incrível e parou atrás de Mariane. Antes que ela pudesse perceber sua presença, abraçou-a com força pelas costas. Era um abraço carinhoso, um abraço de despedida, mas que prometia um reencontro.

Mariane abriu os olhos com o susto e tentou se virar para ver quem era. Mas aqueles braços não a permitiam sair do lugar. Um perfume delicado e inebriante passou por ela, fazendo-a suspirar diante de um aroma tão delicioso e familiar.

O corpo do misterioso visitante era forte, o abraço era intenso e ao mesmo tempo delicado. Mariane começou a relaxar, estava se sentindo confortável ali.

O calor e a fragrância que ele emanava a embalavam e acalmavam. Ela não estava mais assustada, sentia-se segura nos braços daquele desconhecido.

– Quem é você? – conseguiu sussurrar depois de muito esforço para se manter lúcida.

– Pensei que já soubesse… – o garoto sussurrou em resposta. O tom sutil da sua voz parecia divertido.

– Andrey! – Mariane havia reconhecido a voz e tinha despertado completamente do torpor que aqueles calor e perfume estavam provocando em seu corpo e em sua mente.

– Mariane… – ele continuava sussurrando, mas desta vez em seu ouvido. – Mariane… Que falta você me faz…

Ela tentava se virar de frente para ele, sem se soltar daquele delicioso abraço. Queria vê-lo, queria saber como era o dono daquela voz.

– Não, não, minha querida… – ele apertou um pouco mais o abraço, impedindo-a de se mexer.

– Por quê? – estava desapontada.

– Não fique com essa carinha chateada… – ele colou seu rosto ao dela, esfregando-o levemente na bochecha corada e quente de Mariane. – Você só não pode me ver assim, porque ainda não é o momento. Tenha um pouco de paciência meu amor…

Mariane sentiu seu corpo inteiro arrepiar. Os sussurros em seu ouvido, o toque da pele dele na sua e agora, frases com “minha querida” e “meu amor” eram demais para ela. Ele a estava deixando completamente perdida em suspiros e sensações apaixonantes.

– Por que você está aqui…? – tinha voltado a sussurrar. Sua voz falhava, traindo seus sentimentos que tentavam, em vão, permanecer ocultos.

– Porque eu preciso de você… – ele também tinha voltado a sussurrar em seu ouvido, deliciando-se com os freqüentes arrepios que percorriam o corpo de Mariane e com os incontáveis suspiros que irrompiam dela.

Mariane deixou-se levar e apoiou completamente seu corpo no de Andrey. Fechou seus olhos, tentando aproveitar ao máximo todas as sensações. Já que não podia vê-lo, ela iria usufruir de todos os outros sentidos que fossem possíveis usar naquele momento.

– Mariane… Tenho que ir… – Andrey sussurrou, trazendo-o de volta do seu estado de hipnose.

– Não… – Mariane abriu os olhos, com o choque da noticia sussurrada por ele. Mas assim que abriu os olhos, a luz do sol que já havia saído de trás da serra, a cegou temporariamente. – Andrey! – chamou em uma tentativa vã de tentar fazê-lo ficar.

O entorpecimento começou a esvair completamente de seu corpo. Mariane piscou algumas vezes e se percebeu sentada em sua cama, olhando para a porta de sua suíte. A luz de seu quarto estava acesa e sua mãe estava parada de pé, ao lado do interruptor.

– Não ouviu o seu celular despertar, não? – Lívia analisava a filha, estranhando a maneira brusca que ela havia despertado. – Tá tudo bem? Teve um pesadelo?

Mariane olhou ao redor e depois voltou a encarar a mãe. Fez uma cara de desanimo e se jogou na cama, puxando o travesseiro sobre o rosto.

– Eu estou tendo um pesadelo agora… – respondeu desapontada com a realidade. Então tudo aquilo realmente tinha sido apenas um sonho.  Que decepção…

– Como você é dramática! – puxou o travesseiro do rosto da filha e o jogou em outro canto da cama. – Corre se trocar senão você não vai chegar na PUC hoje.

– É sexta… Não vai ter nenhuma matéria nova hoje… Eu bem que poderia faltar…

-Você quem sabe… É você quem paga a sua faculdade mesmo. A consciência é sua. – deu um sorrisinho torto para ela e saiu do quarto.

– Ok… Você venceu. Eu vou… – levantou-se da cama e começou a se arrumar. Precisaria se distrair se quisesse esquecer o sonho e ter um dia tranqüilo, afinal, apesar de tudo, um novo dia de uma garota “normal” começava…

 

 

conto_dragões



Quando o sol se põe e as trevas depositam sua ira sobre a face da Terra, seres sombrios despertam. Criaturas sobrenaturais como os vampiros espreitam pela noite, realizando suas caçadas sangrentas às escondidas. Mas, até mesmo no mundo proibido dos vampiros existe política, conflito e, principalmente, traição.

 

E é com esse enredo de terror que o escritor brasileiro, Juliano Sasseron, prende os leitores em uma trama cheia de sangue, magos, espíritos, vampiros, lobisomens e algo que gosto de chamar de “máfia das trevas”.

Você irá à loucura com as intrigas e batalhas que encontrará no livro e posso lhe assegurar que a ansiedade, exasperação e curiosidade vão lhe fazer companhia até o final da obra. Afinal, que história cheia de intrigas, segredos, brigas violentíssimas e trevas atrás de trevas, não promete muitas unhas quase roídas e olhos atentos a cada reviravolta?

 

Quando um vampiro se infiltra numa poderosa seita e descobre um valioso segredo, guardado desde a época da criação, tem início uma verdadeira guerra. Uma guerra que para se vencida necessitará de uma improvável união dos vampiros.Um verdadeiro universo até então obscuro, que cercava os seres humanos, vem à tona. Vampiros e Lobisomens existem ao nosso redor e esta batalha mudará a vida humana. São os sinais que precedem o fim dos tempos.

 

Quem nunca ficou a imaginar criaturas fantásticas vivendo sob o mesmo céu e pisando sobre a mesma terra que você? Ou que esperou poder ver, um dia, a tênue linha entre este mundo e os outros se romper, apenas para poder deslumbrar algo incrível?

O gostinho da novidade nos dá água na boca e, mesmo este livro sendo de 2008, ainda podemos ver o novo agindo com os segredos ocultos de um antigo mundo. Portanto, essa obra ainda possui a novidade em seu enredo, através da forma como Sasseron dá vida aos personagens e vai expondo ardilosamente a sua trama!

Não está consigo entender?

Pois bem! O que está esperando?

Corre ler e em breve entenderá!

123456-j

 

Sinopse do livro Crianças da Noite pela Editora Novo Século

Crianças da Noite é uma história de ação, mistério, aventura e suspense, com guerras entre vampiros e outros seres do oculto em cada página. O mundo proibido dos vampiros é uma rede de mentiras e trapaças, em busca de mais poder. Acordos são feitos a toda hora, mas é só virar as costas para ter o corpo atravessado por uma estaca e ser jogado aos lobos. Um vampiro traidor é descoberto infiltrado em uma poderosa seita e, já na primeira página, começa a caçada sangrenta. Em meio ao caos, uma antiga profecia vem à tona, desencadeando uma sequência de eventos que torna necessária uma improvável união entre alguns vampiros, para que se descubram os mistérios que falam sobre o Fim dos Tempos. Vampiros, Lobisomens, Magos, Espíritos. Um verdadeiro universo obscuro existe ao nosso redor.



Olá, pessoal!

Desculpe a demora em postar, aconteceram alguns contratempos que me impediram de colocá-las aqui antes. A câmera e a fotografa não ajudaram muito na qualidade das fotos, hehehe… Afinal, eu estava mais preocupada em participar do protesto do que ficar batendo fotos.

Enfim…

Aqui estão algumas das fotos do 2º Protesto a favor da redução da passagem em Jundiaí e em apoio ao ato contra o aumento da tarifa que vem acontecendo em todo o país!

.

.

.

DSC03268

DSC03283

DSC03287

DSC03288

DSC03291

DSC03294

DSC03307

DSC03312

DSC03317

DSC03325

DSC03349

DSC03368

DSC03384

DSC03417

.

.

.

Mais fotos no meu Álbum do Facebook:

Protesto em Jundiaí contra o Aumento da Tarifa de Ônibus

E um breve vídeo do protesto:

2º Protesto em Jundiaí contra o aumento das tarifas de ônibus



Gente, essa não é uma NOTÍCIA ótima para fazer os fãs de Zusak delirarem?

A editora Intrínseca divulgou essa semana que o autor de Eu sou o mensageiro e A menina que roubava livros, está prestes a lançar a sua terceira obra, A garota que eu quero, em terras brasileiras!

O romance de Markus Zusak será publicado no Brasil em julho deste ano.

Originalmente (e injustamente) o livro foi lançado na Austrália, em 2001!!!! Em solo australiano, o título é bem diferente do que a publicação que será lançada aqui. Por lá, a obra recebeu o nome de When dogs cry (Quando cachorros choram). Tudo a ver, não? CLARO QUE NÃO!

Já nos Estados Unidos, o lindo livrinho saiu em 2003 e foi batizado de Getting the girl (Pegando a garota). Mas, devo informar que os títulos brasileiro e norte-americano não são os originais, por mais “parecidos” que sejam. O título original é o que foi dado aos volumes publicados na terra do Canguru e do Coala!

Bom…

Independente do nome, acredito que esse terceiro bebê de Zusak será tão marcante e surpreendente quanto os dois primeiros! E, além disso, só para deixar a galera com a pulga atrás da orelha, o autor australiano já anunciou que está  finalizando o seu próximo livro! Em breve, ele será lançado na Austrália sob o título de Bridge of Clay (Ponte de Barro) – informo, ainda, que essa obra também será publicado pela Intrínseca. (o problema é saber quando chegara em nossa terrinha. Ó ansiedade!)

A Garota que eu quero

Sinopse oferecida pela Intrínseca:

A garota que eu quero conta a história de Cameron Wolfe, o caçula de três irmãos e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e com uma garota nova a cada semana. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e ele gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele?

Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.



Mas, se ergues da justiça a clava forte

Verás que um filho teu não foge à luta

Nem teme, quem te  adora,  a própria morte

.

.

.

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da pátria nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

.

.

.

Olá, caros leitores!

Como vão nesses dias de protestos e reivindicações?

Todos voltaram bem para casa?

Sabem…

Desde o dia 13 de Junho eu sentia que o Brasil estava finalmente redescobrindo o poder do protesto. No entanto, admito que me senti envergonhada e desmotivada com o final ridículo da manifestação daquele dia na Avenida Paulista (São Paulo).

Afinal, toda aquela “passeata” mostrou que o brasileiro ainda era imaturo nesse tipo de mobilização e que a polícia está totalmente despreparada para lidar com movimentos grandes. Algo que deveria ser natural, visto que é do direito de todo cidadão protestar e se manifestar, e a segurança do país deveria ter noção disso e saber como lidar com o povo em momentos de “exerção dos deveres”.

Não achei justo para quem estava realmente a fim de protestar, não achei justo para com os policiais que foram arrancados de suas famílias e ainda levaram pedra na cara, não achei justo para com os donos de bancas e lojas, que pagam impostos assim como todos, pagam o aluguel do local e trabalham com aquilo que é o seu ganha pão… Não achei justo a maioria ter sido hipócrita e esquecer que todos os envolvidos ali são afetados diretamente com as decisões do governo e que a maioria (manifestante, dono de banca ou policial) também iria sofrer com o aumento da passagem.

Eu sempre defendi o direito ao protesto, acho mais do que certo que a população vá ás ruas se manifestar e reivindicar. Aliás, sou à favor sim de uma boa ameaça inteligente que tenha o poder de ser cumprida! Porém… Nunca concordei em depredar bens públicos que são NOSSOS, como o metrô por exemplo… Nunca concordei em destruir a propriedade particular de alguém, como uma banca por exemplo… Nunca concordei com balas de borrachas sendo atiradas por pessoas inconsequentes, pedras sendo arremessadas por pessoas ignorantes, bombas sendo jogadas sem remorso… Nuca concordei com vandalismo desnecessário e violência gratuita!

No entanto, FELIZMENTE, o povo brasileiro de fato ACORDOU! Sozinhos reconheceram o certo do errado e como uma boa criança, cresceu! O adolescente que se tornou admitiu os erros, continuou errando, porém, se ajustando. E, então, se tornou o adulto que sabe se manifestar, sabe ser ativista e caminhar pelas ruas com passos firmes e decididos. Um povo amadurecido que sabe o que gritar e como dar voz a todos: aos que podem e não podem participar, aos favorecidos e menos favorecidos, aos mais e menos diretamente atingidos, aos grandes e aos pequenos… À população brasileira!

Ainda aconteceram e acontecem alguns imprevisto, pois ondem há o bem, infelizmente há o mal… E onde há a oportunidade, há os aproveitadores. (isso vale tanto para os manifestos quanto para o governo de nosso país!)

Contudo, apesar das maçãs podres, o cesto não foi mais contaminado!

O brasileiro de fato reaprendeu a ser cidadão! Reconheço que ainda há muito o que aprender e reaprender, mas, o primeiro passo já foi dado! O grito já saiu da garganta! A bandeira já foi hasteada! O sangue está sendo limpo! E a sujeira já está sendo recolhida!

Já conquistamos grandes vitórias na luta contra o aumento de tarifas de transportes coletivos! Ainda são necessárias outras dentro da mesma batalha. Agora, precisamos voltar a nos organizar, manter a vigia. Em breve nos reunir e unir contra outras causas, continuar mostrando ao governo que estão ali para trabalhar para nós e que continuamos de olho, que sempre continuaremos de olho! Se mais merda for feita, voltaremos às ruas! Assim como estamos voltando e ainda vamos voltar, até que estejamos convencidos de que as coisas estão entrando nos eixos!

O Brasil sempre foi o país do progresso, e de fato, sempre progrediu. Porém, há muito progresso corrompido pelo poder. Por isso, é importante nos mantermos ativos e continuarmos a exercer a nossa cidadania. Muita coisa tem que melhorar, mas temos que ser conscientes, para que na gana de um progresso “melhor”, não acabemos prejudicando o que já está funcionando no país.

Além disso, temos que ter em mente que de imediato, nada realmente mudará à curto prazo, mas se continuarmos firmes e irreverentes às tiranias e corrupções, com certeza, á longo prazo veremos o Brasil se reerguer de uma montanha de dejetos e se limpar. Afinal, se temos orgulho de sermos brasileiros, então temos que ter forças para guerrear por nossa pátria! Quem ama sempre briga, defende e cuida!

Se não voltarmos a  nos vendar, acredito que o gigante voltará: a sorrir para o teu formoso céu risonho e límpido; a ser belo,  forte e impávido colosso; a dançar ao som do mar; a se iluminar à luz do céu profundo; a ser feliz com teus risonhos lindos campos com mais flores; e a se banhar sob o sol da liberdade, em raios fúlgidos!

Enfim…

O que eu quero dizer é:

#ARevoltaDos20Centavos #BrasilAcordou #AcordaBrasil #MudaBrasil #VamosNessaBrasil #BrasileirosUnidosJamaisSerãoVencidos #Brazil #GoBrazil #QuemAmaCuida #ChangeBrazil #ConseguimosConquistarComBraçoForte # ContraCorrupção #DeUmPovoHeróicoOBradoRetumbante #GritaSemMedoBrasil #ManifestationCup #MostraATuaCara #MeRepresenta #BrasilMostraATuaCara #NãoAoVandalismo #NãoAViolência #OGiganteAcordou #OQueVocêsFalariamParaADilmaAgora #OsProtestosNãoPodemParar #OsProtestosNãoPodemParar #SemViolência #ProtestosBR #ProtestoSP #ProtestosRJ #ProtestosCE #ProtestosSC #ProtestosBA #ProtestosJundiaí #ToPreparado #VamosMudarOBrasil #VemPraRua #VemPraRuaBrasil #VemPraRuaJundiaí #VerásQueUmFilhoTeuNãoFogeALuta #ViolênciaNãoMeRepresenta

.

.

.

Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!
Do que a terra, mais garrida,
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
“Nossos bosques têm mais vida”,
“Nossa vida” no teu seio “mais amores.”
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula
– “Paz no futuro e glória no passado.”
Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

.

.

.

Brasil-em-progresso

.

.

.

Para entrar no clima, algumas músicas (basta clicar no nome do vídeo):

musica no periodo da ditadura militar 1960-1980

Músicas Que Marcaram Os Anos da Ditadura Militar.

Brasil – Cazuza

Caras Pintadas – Conta Corrente

Música de protesto

Músicas de protesto

Charlie Brown Jr – Melhores musicas (homenagem)

Charlie Brown Jr – Melhores Musicas (homenagem) Parte 2

Legião Urbana – Como é que se Diz Eu te Amo [2001] | Completo full album

Legião Urbana – Música Para Acampamentos [1992] | Completo full album

Legião Urbana – As Quatro Estações [1989] | Completo full album

Legião Urbana (álbum 1985) completo

Legião Urbana – Dois [1986] | Completo full album

Chico Buarque – Chico Buarque de Hollanda 1966 – Álbum Completo (Full Album)

Chico Buarque – Chico Buarque de Hollanda Vol. 2 1967 – Álbum Completo (Full Album)

Chico Buarque – Chico Buarque de Hollanda Vol. 3 1968 – Álbum Completo (Full Album)

Geraldo Vandré – Canto Geral [1968] | Completo full album

Elis Regina – Montreux Jazz Festival 1979 (ALBUM COMPLETO – HQ)

Elis Regina – Elis [1980] | Completo full album

Caetano Veloso – 1969 (full album)

Mutantes – Tecnicolor 1970 COMPLETO

Milton Nascimento e Lô Borges – Clube da Esquina [1972] | Completo full album

Gilberto Gil ao vivo na USP 1973

Raul Seixas – Krig ha, bandolo! 1973 (álbum completo)

Raul Seixas – Gita – 1974 (álbum completo)

Ultraje a Rigor – Nos Vamos Invadir Sua Praia 1985

Os Paralamas do Sucesso – Selvagem? [1986] | Completo full album

Os Paralamas do Sucesso: Perfil volume 1 [ CD Completo / Full Album ]

Paralamas do sucesso – Que país é esse?

Cazuza e Barão Vermelho – 20 Super Sucessos [Álbum Completo]

Barão Vermelho – Circo Voador – 1983

Titãs – Cabeça DInossauro Album completo – Full album

Titãs – Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas (Full Album)

Titãs – Go Back [ALBUM COMPLETO]

Hino Nacional do Brasil – Oficial



Se o penhor dessa igualdade…

Conseguimos conquistar com braço forte

Em teu seio, ó liberdade.

Desafia o nosso peito a própria morte!

.

.

.

 
Caras Pintadas…
  • Foi um movimento estudantil brasileiro realizado nos anos 90, lá pra 1992.
  • O objetivo principal era o impeachment do então Presidente  Fernando Collor de Melo e sua retirada do posto.
  • Baseou-se nas denúncias de corrupção que pesaram contra o presidente.
  • Contou com milhares de jovens em todo o país.

O nome “Caras Pintadas”  veio de uma das marcantes formas de expressão: símbolo do movimento pintado em verde e amarelo no rosto dos ativistas.

Sabem… Collor fora acusado pelo próprio irmão, Pedro Collor de Melo, de cumplicidade com seu tesoureiro de campanha, Paulo César Farias, que cometia crimes como enriquecimento ilícito, evasão de divisas e tráfico de influência.
As denúncias, que se intensificaram por todo o mês de maio, culminaram com a formação do Movimento pela Ética na Política, composto por 18 entidades civis, como centrais sindicais, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).No entanto, a  juventude começou a tomar as ruas em agosto. Sendo que a primeira manifestação aconteceu no dia 11, em uma passeata marcada em frente ao Masp e que reuniu cerca de 10 mil pessoas.”A gente saiu do museu, pegou a avenida Paulista, desceu a avenida Brigadeiro Luiz Antônio e terminou em frente à faculdade de direito da USP , no Largo São Francisco“, diz Lindberg Farias, na época era presidente da UNE.Além disso, aquela e as demais passeatas foram marcadas pela irreverência, diversidade política e apartidarismo por parte dos ativistas. “Os estudantes faziam questão de rechaçar a participação de partidos políticos“, afirma a historiadora Maria Aparecida de Aquino.

Em resposta, no dia 14, Collor foi à televisão para convocar a população para sairem ás ruas no domingo e pedir para que se vestissem (ou expusessem algo) nas cores verde e amarelo. Contudo, no dia 16, a cor mudou e a data ficou conhecida como “domingo negro”, pois os jovens saíram às ruas vestindo roupas negras e pintando o rosto em sinal de luto contra a corrupção.

Com o tempo, as manifestações se avolumaram e a partir do dia 25 de agosto, quando o Movimento pela Ética na Política pediu por mais manifestações públicas, 400 mil estudantes com os rostos pintados voltaram ao Masp e seguiram para o Vale do Anhangabaú.

No dia 2 de outubro, Collor deixou a presidência interinamente. Renunciando no dia 29 de dezembro de 1992 e abriu espaço para seu vice, Itamar Franco.

E agora?

Algumas coisas que haviam melhorado, voltaram a piorar. O povo confiou demais, deu oportunidades em demasia e o governo extrapolou todas as chances que a população deu para lhes representar!

E em resposta a toda essa corrupção e ladroagem, o Brasil se revoltou! O brasileiro deu um basta, cansou de ser manipulado, de ser um fantoche nas mãos de um governo incompetente e interesseiro. A bunda quadrada que não saia da cadeira e do sofá foi posta nas ruas.

E o que vemos?

Uma onda gigante de protestos que vem avançando pelo país, varrendo capitais e cidades menores, puxando para as ruas o povo que acaba de acordar!

Desta vez, ao contrario da Direstas Já e dos Caras Pintadas, os manifestantes foram convocados quase que 100% através das redes sociais, que, FINALMENTE, se tornou uma ferramenta útil para a cidadania, politização da população e força do direito de expressão e reivindicação!

O estopim do momento, foi o que muitos consideraram a “gota d’água”, os reajustes da passagem de ônibus e os gastos excessivos com a Copa do Mundo e a Olimpíada!

Este mês vem sendo marcado por passeatas, movimentos, gritos, lágrimas, sangue e pés marchando sobre o asfalto. Peles arrepiadas e fisionomias convictas foram vistas em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Vitória, Belém, Porto Alegre, Curitiba, Maceió e muitas outras cidades do interior e litorâneas.

Ou seja, somos os filhos e netos daqueles que saíram ás ruas nas Diretas Já e como Caras Pintadas! Os próprios voltam a participar das manifestações também, pois um dia, lutaram por um futuro que deixamos de vigiar. Agora, é a vez de retomar nossos direitos e mostrar que quem manda no Brasil não é a política de poucos, mas sim o grande gigante formado pelo povo brasileiro!

(o jeito é seguir batalhando, mas vencendo uma luta por vez. Deixamos passar muita sujeira e para limparmos, é preciso ir resolvendo cada problema com atenção, para não deixarmos nada para traz e SEMPRE continuar atentos para manter limpo depois.)

E aí? Conseguia ver a semelhança entre o antes e o agora? 
5563_474772745944095_1352977202_n

.

.

.

E depois? Ainda consegue?

#VEMPRARUA BRASIL!!!!

protestos2



et cetera
Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por @Cardisplicente

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Festival

Weekly Film Festival in Toronto & Los Angeles. Weekly screenplay & story readings performed by professional actors.

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

Baú de Histórias

Em construção!

%d blogueiros gostam disto: