World Fabi Books











{setembro 16, 2013}   [Nas Telonas – Cinema] Cidade dos Ossos

Olá, meu povo querido!

Tudo bem?

Desculpem o sumiço, mas juro que foi por uma ÓTIMA causa! É que no final de semana passado, um grande casal de amigos do WorldFabiBooks se casou!!! E, é claro, nós comparecemos ao casório dos pombinhos Leo e Kell do Action Nerds! E vocês sabem como é… Padrinhos dali, vestido daqui, maquiagem, terno, gravata, sapato, dinheiro… Enfim…

Inclusive, queríamos aproveitar o post para desejar um casamento abençoado, repleto de alegrias e realizações para os nosso amigos! Que esse seja o primeiro passo de uma vida a dois mágica e deliciosamente divertida! Que não lhes falte a cumplicidade, o carinho, as risadas, o sucesso e a saúde, pois o amor já tem de sobra (e que deixem transbordar!)! Que o casamento seja como um bom vinho (ou whisky) quando mais o tempo passa, mais encorpado e delicioso fica! Mas, é claro, tem que cuidar direitinho para não virar vinagre (ou desinfetante hehehehe…)!

Leo, cuide muito bem dessa mulher incrível, que aceitou passar o resto da vida ao seu lado! Ela é muito mais do que um tesouro e vale muito mais do que qualquer bem material, com certeza! E Kell, cuide muito bem desse homem corajoso, que enfrentou o mundo e os preconceitos que vem com ele, apenas para poder ter a oportunidade de lhe fazer ainda mais feliz a cada dia!

Nós, do WorldFabiBooks, AMAMOS VOCÊS, casal Action Nerds!!!

casamento_leo_e_kel

Agora…

Vamos voltar para mais um #nasTelonas!!!

Eu sei que estou bem atrasada, mas, quando fui com o Guh Valente assistir ao filme no cinema (que não foi exatamente no dia da estréia aqui no Brasil: 23/08/2013… Pois, DEMOROU para encontrarmos um bom cinema com o filme legendado por aqui!), precisei ficar um tempinho matutando sobre a qualidade do longa e fui colocando outros posts como prioridade enquanto isso, o que acabou demorando.

Por causa do atraso, algumas pessoas vieram me perguntar se eu iria falar do filme, já que sempre demonstrei muito carinho pelas obras da escritora Cassandra Clare. Fui sincera e a todos respondi a mesma coisa: estou matutando!

Isso acabou assustando uma porção de gente que acompanha o blog, afinal, o filme foi tão bom ou ruim assim que precisa de um certo momento para ser degustado ou ruminado?

E a minha resposta é: Yeah baby, para ambos os casos!

Os-Instrumentos-Mortais-cidade-dos-Ossos10

Deixe-me explicar melhor….

O filme não é ruim, contudo, não chega aos pés do livro ainda. Durante o longa, pude observar muitos pontos positivos que, com certeza, o valorizaram muito. E mesmo me sentindo incomodada com algumas coisitas, percebi que a saga poderia evoluir muito bem, caso continue acompanhando a série literária, assim como, por exemplo, Harry Potter ou Jogos Vorazes!

Sinceramente? O trailer do filme não o vendeu muito bem, quando o assisti, não senti nenhuma empolgação para a estréia, pois, não queria ter que aturar mais uma saga cinematográfica do Crepúsculo ou um outro Dezesseis Luas extremamente teen! Aliás, fiquei morrendo de medo de ir ao cinema e ter uma grande decepção. Não parava de pensar: “PQP! Vão acabar com mais uma série de filmes que poderia ser foda! Que dó dos livros…”

De qualquer forma, fui conferir a adaptação e, devo confessar que gostei muito! De inicio, para o meu alívio, a imagem “crespusculizada” pela qual tentaram vender o filme, não existia. A versão da sétima arte foi muito fiel a sua origem: o primeiro livro da série Instrumentos Mortais, A Cidade dos Ossos!

Posso dizer que os atores estavam bem escalados, com exceção ABSURDA do ator teen Jamie Campbell Bower (que interpretou o personagem Jace Wayland) e também do ator Jonathan Rhys Meyers (que interpretou o “vilão” Valentim Morgenstern). Eu não gostei nem um pouco da atuação e nem da aparência desses dois! O Meyers geralmente é um cara bonito, contudo, neste filme o fizeram ficar com um ar de drogado, o que estragou a ele e ao personagem que deveria ser um caçador das sombras foda e com uma mente genial (e perturbada). Enquanto que o Bower (que a fãs girls me desculpem) foi o cara sem sal e sem açúcar de que o filme NÃO PRECISAVA!

O Jace é um dos personagens principais da trama, com uma mente e uma personalidade bem complexas. É um garotão todo machão e boa pinta; um caçador nato e extremamente bem preparado; um Dom Juan sem causa, que apenas foi dominado pelo amor repentino… Qualidades e características que não vi em momento algum durante o filme!

cityofbones10

O ator, nem de longe, é tão bonito quanto o personagem deveria parecer. Meus olhos não ficaram ávidos por nada. Eu apenas assisti, me contorcendo a todo instante em que Bower aparecia na tela. Afinal… A aparência até que poderia ser melhorada e até ignorada com um pouco de esforço, caso o ator estivesse interpretando muito bem! No entanto, NEM AO MENOS ISSO EU CONSEGUI VER!!!

O mínimo que eu esperava de alguém que está na pele do principal, é uma boa atuação, mas, não vi nada! Não vi personagem. Não vi Jace. Não vi caçador das sombras… Eu via apenas um Jamie Campbell Bower fazendo caretas como a Kristen Stewart, sem empolgação, sem sex appeal, sem nada! Nem um esforçozinho… Não gostei de assistir a um de meus personagens prediletos da literatura fantástica se transformar em um badboyzinho sem graça e muito menos tempero!

Digamos que fiquei bem decepcionada com o falso Casanova, como, com certeza, puderam notam… (poréééém… Posso dizer que admiro a perseverança do garoto, pois esse não é o primeiro filme dele que o julgo como um fracasso de atuação e, MESMO ASSIM, ele continua insistindo! A obstinação dele é de tirar o chapéu, não?)

Quanto aos demais atores, devo dizer que fiquei bem satisfeita. Lily Collins realmente fez uma ótima Clary Fray! Ela ainda tem um bom caminho para percorrer e crescer dentro da saga, no entanto, o que eu vi até o momento, me agradou muito! Aliás, no livro, a escritora ressalta muito o fato de que Clary é praticamente a mãe dela reescrita, algo que conseguimos ver no filme, já que a atriz Lena Headey é muito parecida com Collins. As duas poderiam muito bem se passar como mãe e filha na vida real, assim como se passaram no filme sob os papéis de Jocelyn Fray e Clary! Aliás, aproveitando que já mencionei a Jocelyn, gostaria de emendar que o ator Aidan Turner fez um ótimo Luke Garroway!

Turner conseguiu captar o jeito doce que o lobisomem adquire quando está ao lado de Jocelyn (o amor de sua vida) e de Clary (a filha – que não é filha – que tanto ama!) , mas, também, as características marcantes e inteligentes de alguém que está prestes a liderar uma matilha de criaturas das sombras cheias de pelos, garras, presas e com instintos assassinos a flor da pele! Adorei ver esse “mix” de emoções e personalidades que o personagem possui, dentro da atuação de Aidan Turner (até o olhar dele mudava de acordo com o temperamento e nos momentos certos!).

Nos livros, os personagens Simon LewisAlec Lightwood, Isabelle LightwoodMagnus Bane se tornam praticamente inseparáveis e de muita importância para as reviravoltas que Clary e Jace precisam enfrentar. Portanto, são figuras da obra que nenhum fã deveria receber menos do que uma adaptação ótima! E, FELIZMENTE, não nos decepcionaram (principalmente o ator que interpreta o Magnus Bane!)!!!

Os atores Robert Sheehan (Simon)Kevin Zegers (Alec), Jemima West (Isabelle)Godfrey Gao (Magnus) REALMENTE entenderam os seus respectivos personagens e entraram de cabeça no trabalho!

cityofbones1

Era possível ver o lado nerd apaixonado de Simon, sem os tiques constantes de um adolescente incomodado. Sheehan conseguiu se “vestir” e colocar a pele do garoto de uma forma que não víamos o ator e sim o personagem mesmo. Eu não via o ator incomodado no papel ou travado, pelo contrário! Eu via uma interpretação fluída e muito boa, contudo, ainda necessitada de um amadurecimento, assim como no caso da Lily Collins.

Zegers combinou demais no papel de Alec! Os trejeitos incertos de alguém que não ainda não tem a coragem de se assumir, não ficaram nem um pouco exagerados, pois, o meu medo com relação a interpretação desse personagem em específico, era acabar assistindo a uma atuação cheia de jargões e tremeliques, quase que uma paródia do adolescente contemporâneo que deseja “sair do armário”. No entanto, não vi nada disso e me surpreendi com a sensibilidade e sutileza que o ator demonstrou ao atuar, já que ali estava a representação de um assunto muito delicado e cheio de preconceitos. Kevin Zegers ainda tem muito o que crescer dentro da pele de Alec, porém, vejo que a necessidade de tal evolução não será problema, caso queiram continuar com a saga!

No caso de West, pude ver a Isabelle que imaginei nos livros! Uma verdadeira amazona das sombras, pronta para detonar e cortar gargantas, sem perder o charme, a feminilidade ou descer do salto alto! A delicadeza e profissionalismo assassino de Isabelle transbordou pela tela a todo momento! Eu sentia a personagem da obra caminhando, lutando e flertando bem na frente dos meus olhos, dentro de uma boa tela de cinema! Até os defeitos de Isabelle ficaram muito bem representados ali, graças à Jemima West! À atriz, os meus mais sinceros parabéns pelo trabalho!

Agora, quem me surpreendeu positivamente foi o ator Godfrey Gao!! Quando o vi entrar em cena como Magnus Bane, devo dizer que praticamente surtei! Ele realmente compensou (sem parâmetros) a falta de profissionalismo de  Jamie Campbell Bower! Aquele Magnus Bane que vi nas telas estava muito melhor do que eu havia imaginado lendo os livros e, mesmo assim, pude perceber que o ator não fugiu ao figurino e personalidades do personagem! Simplesmente perfeito! Eu realmente lamentei por ele aparecer tão pouco no longa e ter representado uma importância tão ínfima na trama…

cityofbones2

Simplesmente, não tenho palavras para descrever direito a interpretação! Foi mesmo perfeita e isso compensou muita coisa negativa do longa, como, por exemplo, Bower e a forma corrida e “batida” como resolveram desenrolar o enredo… (os efeitos especial do filme estavam “combinando” muito bem com o clima e com a proposta, no entanto, ainda não estavam no auge do que deveriam ser, visto que, se tratava de uma produção cheia de momentos sobrenaturais, batalhas mágicas e pequenas guerras em favor do poder do “bem e do mal”)

E quanto aos demais atores (CCH Pounder, Jared HarrisRobert MailletHope FleuryStephen R. Hart, Harry Van Gorkum Kevin Durand), senti que poderiam ter desenvolvido melhor seus personagens (respectivamente: Madame DorotheaHodge StarkweatherSamuel Blackwell, Clary Fray quando pequena, Brother Jeremiah, AlaricEmil Pangborn), mas, como acabaram não recebendo a devida atenção dentro da trama, provavelmente por causa da forma “the flash” que resolveram fazer a história correr, entendo que não tiveram o espaço necessário para atuarem direito. E como, admito, as atuação não foram ruins, mesmo diante de uma condição de trabalho tão precária e limitada. Aliás… POR QUE, RAIOS, ELES DEIXARAM A HISTÓRIA DE PARABATAIS DE LADO??? Poxa… Não explicaram e nem mencionaram uma única vez o que é e quem é Parabatai de quem! Sendo que isso, é um tópico muito importante dentro do mundo que os personagens vivem!

Bom… Apesar dos pesares, achei que o diretor Harald Zwart fez um bom trabalho ao tentar adaptar o livro de Cassandra Clare. Ainda há muito o que melhorar para poder alcançar o prestígio da saga. E admito que eu espero que continuem gravando filmes da série Instrumentos Mortais, pois, vejo um potencial tão grande quanto (como eu já disse) Harry Potter. Afinal, os livros são fantásticos e cheios de conteúdos prontinhos para serem explorados por gênios da sétima arte! É uma verdadeira pedra bruta que tem potencial para uma linda jóia se for lapidada da forma certa! (e CHEGA de tentar vender filmes à lá Crepúsculo!! Já deu, certo? Deixem que a própria trama do longa se venda sozinha e crie uma imagem!)

cityofbones20


Fernando says:

Eu assisti ao filme e até curti. Agora sem dúvida nenhuma a qualidade dos livros é extremamente superior a qualidade do filme.

Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
Abraços

http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/



Muito obrigada pela opinião e pelo apoio, Fernando!
Concordo plenamente com você! E fico feliz que acompanhe o blog! Aliás, adorei o seu! Abraços!!



eu gosto do Bower…quando lia nos livros na parte do jace…eu sempre via o biotipo do jamie…mas infelizmente a atuação dele foi extremamente fraca..achei qe ele seria sexy o tempo todo e nao foi =[, o Kevin era outro que imaginava quando lia a serie, ficou perfeito..desda interpretação em gossip girl…torcia pra ele ser o alec..a que melhor rendeu o papel foi com certeza a Jemima West!,cara ela pra mim foi a melhor interpletação.. alem de ser Linda!

em fim…adorei a sua critica, com certeza ir ao cinema ver sua serie ser destruída,ou quase chegando lá..da um medo tão grande que as vezes eu me perguntava “realmente vc que destruir toda a imaginação perfeita dos livros ,vendo esse filme?!”



Biazinha says:

Bom… não assisti ao filme, só li os livros (ainda estou no vol. 5!), mas já admito que só de ver as fotos do Bower como Jace eu me desestimulei total de ver o filme! A gente sempre espera ver um ator que faça jus ao personagem – apesar dessa tarefa ser praticamente impossível, pois cada pessoa “vê” o personagem descrito de uma forma – mas não rolou.. pra mim o Bower é decepcionante. Também já o vi em outros papéis e não gostei.. ele pode gostar muito da profissão e tal, mas precisa evoluir demais pra sair da minha lista negra de atores.
Agora… claro que depois que eu vi os atores que interpretam o Alec, o Luke e o Bane, minhas esperanças foram renovadas!
O Bane eu nem preciso falar demais.. a única palavra que o descreveria – isso só com base nas fotos e posteres que eu vi – seria: PERFEITO! Porque eu visualizava ele diferente, mas o ator já está memorizado e de agora em diante é ele que eu vou visualizar quando ler o livro. Ele é bem maios interessante do que eu visualizava.. na verdade era um personagem que eu tinha dificuldades para imaginar.. não sei porque. Então ele está definido para mim.. hahahaha

Agora.. com exceção do Bower (Jace) e o Meyers (Valentim) as escolhas me parecem ser muito acertadas… quero só ver quando eu assistir ao filme mesmo.. 😛



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

et cetera
Crônicas da Gaveta

Relatos amadores de um coração cardisplicente...

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Writing and Film Festival Review

Feature Screenplay, TV Screenplay, Short Screenplay, Novel, Stage Play, Short Story, Poem, Film, Festival and Contest Reviews

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

• powersx3

' in your mind,i have all power #

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: