World Fabi Books











Oláááá, readers queridoooooos!!

O intuito deste post é divulgar que nós, do World Fabi Books, assim como outros milhares por aí, somos leitores de corpo, coração, mente e alma… E que estamos crescendo cada vez mais!

Portanto, queremos reunir o maior número de leitores em um único dia!!

Vamos provar que #temmaisgentelendo no Flashmob #lermoveomundo !!!

O evento “original” será realizado no MASP, contudo, tem muita gente que não pode se locomover até São Paulo, tanto por tempo quanto por dinheiro, pooooor isso, pretendemos realizar um “apêndice” desse grande acontecimento aqui, em nossa terrinha.

Queremos apoiar este maravilhoso movimento e representar o número crescente de leitores em todo o país. Portanto, precisamos muito da sua ajuda!

Você, jundiaiense (ou morador de cidades da região), que não poderá ir até sampa para o FlashMob, o convidamos para vir com a gente e (se puder) chamar seus amigos, pais, irmãos, professores, vizinhos…

Pretendemos nos reunir no dia 26 de setembro (sábado), às 14h, na Praça Governador Pedro de Toledo, no Centro de Jundiaí, atrás da Catedral Nossa Senhora do Desterro!

Traga um livro, se junte aos outros, leia um trecho do seu livro predileto (na língua que preferir), doe ou troque um livro (se quiser), compartilhe informações e sugestões literárias, venha fantasiado do seu personagem predileto, encene a sua passagem mais do que querida de seu livro, escritores divulguem suas obras, leitores deem dicas de literatura…

E vamos fazer parte daquele que pretende ser um dos maiores movimentos de FlashMob da América Latina, que acontecerá ao mesmo tempo em mais de 13 cidades de 8 países!!

Venha ler com todo mundo!

Link do evento em Jundiaí: https://www.facebook.com/events/1629834877288689/?fref=ts

Inclusive, o pessoal no Canal 8 ou MOV8 fez um vídeo com a Fabi, adm do World Fabi Books, convidando a galera para participar!!!

Aperte o play!!!


(o Flashmob #lermoveomundo é uma realização original do Goethe-Institut Brasil, em parceira com o Tem Mais Gente Lendo, SP Leituras, Masp e Secretaria da Cultura de São Paulo. Em Jundy City o evento será “amador”,mas a intenção é a mesma! ♥ )

Link do evento em São Paulo: https://www.facebook.com/events/484074351771081/

Anúncios


Olá, leitores de Discworld!

Eis mais uma resenha fresquinha para vocês!

E a obra resenhada da vez é Pequenos Deuses, o 13º livro da série Discworld do saudoso autor Terry Pratchett!

Pequenos Deuses

A obra conta a desventura de Brutha, um noviço da igreja omniana, a qual é dedicada ao culto do único e grande deus: Om!

Contudo, por causa de sua fé, de sua capacidade incrível de memória e de sua natureza ingênua, ele acaba sendo o único crente que restou ao deus. E, para deixar a coisa ainda mais “triste” para Om, ao tentar se materializar no mundo, apenas consegue energia para criar o corpo de um humilde jabuti, ou melhor… de uma tortoise caolha! (sendo que o desejado talvez fosse um… touro!)

E não bastasse a trapalhada toda, Brutha acaba envolvido em uma conspiração que pode, e certamente irá, resultar em uma tremenda guerra santa, a qual está sendo preparada nas entranhas da Igreja e envolve tanto o discípulo quanto o próprio Om, ainda mais quando a frase “A Tartaruga se Move” começa a ser espalhada por aí.  E essa confusão muda COMPLETAMENTE as vidas existencialistas de nossos queridos personagens.

Small Gods by OFools

E em determinado momento da trama, somos apresentados ao grande vilão da estória: Vorbis, o exquisidor da Quisição (sim, é assim mesmo que se escreve no livro, não é inquisitor e nem exterminador, e sim: exquisidor. E sim, é Quisição e não Inquisição.)!

Vorbis é um homem extremante temido, por sua capacidade de persuasão imensa e de sua total falta de emoções, ele capaz de mudar a mente de qualquer pessoa para pior, sem problema algum.

Ele é um personagem de mente corrompida, que não acredita na “A Tartaruga que se Move” e fará de tudo para eliminar qualquer um que pense em proferir/acreditar piamente em tal blasfêmia (pobrezinhos do Brutha e da tartaruga caolha em que Om se tornou!).

E como em cada obra da série Discworld, há algum tabu e/ou algum assunto polêmico a ser discutido nas entrelinhas, em Pequenos Deuses não poderia faltar tal discussão!

Nesta obra, Terry Pratchett (que Om o tenha!), fala de religião, mais especificamente, aborda questionamentos como: “porque as pessoas precisam se apegar á ela?” e “como pode afetar suas vidas?“.

Novamente, o autor nos traz uma série de questões éticas e morais a serem ruminadas, que vão para além da “simples” crença, indo até a concepção de que o conhecimento é a melhor arma contra o “desenvolução” e o “obscuro“.

Ou seja…

Com um estilo ricamente engraçado e irreverente, mais uma vez, Terry Pratchett parece ter conquistado a grande maioria de seus fãs, fazendo com que todos, sem querer, pleitassem sobre uma questão tão importante!

Já que, a jornada profética de Brutha e Om é, na realidade, um conflito bem denso entre fé, compaixão, força de vontade e tolerância, contra uma igreja opressiva, cruel, estagnada e incrivelmente corrupta.

E ao trabalhar bastante com referências a filósofos e religiões diversas, Pratchett, em sua maestria de misturar muito humor e ironia, faz com que o leitor fique frequentemente perdido nos próprios pensamentos e não pare de se questionar se, por exemplo, aquilo em que acredita é real e “vale a pena“, ou se é apenas mais uma ilusão e enganação. O autor nos oferece uma constante busca de respostas.

Bem…

Quanto ao Omnianismo, na obra, é uma religião inspirada na estrutura da Igreja Católica Medieval e, por isso, há constantes alusões às questões um tanto complicadas como as indulgências e a temida inquisição (contudo, é fácil reconhecer os dilemas abordados no livro, nos dias atuais. Basta acompanhar os noticiários e ver todos os problemas sérios que aparecem, devido à persistência do ser humano ao fanatismo e à intolerância!).

Talvez por isso, Vorbis seja um personagem tão aterrorizante!

petitsdieux_normal

Visto que, ele parte do princípio de que qualquer quantidade de dor e sangue é justificável na busca pela “Verdade“… Pela “Verdade” em que ELE acredita e que a ELE pertence!

Por isso, é possível reconhecê-lo, por exemplo, em todas as histórias de jovens terroristas que largam todos e fazem de tudo para se juntar a entidades, como o Estado Islâmico. Ou, mais recentemente, em famílias e comunidades apedrejando crianças por não seguirem aquilo em que acreditam, ou pior, por seguirem aquilo em que não acreditam!

Basicamente, Terry Pratchett, nos oferece Vorbis como um produto de uma estrutura violenta, autoritária e ignorante… Não é à toa que Brutha é o único fiel que restou a Om: por puro medo, crentes aterrorizados não creem mais no Deus, mas sim na instituição da Igreja de Discworld.

Aliás, não é qualquer surpresa que isso tenha acontecido, se considerarmos a irresponsabilidade com que Om sempre tratou sua Igreja durante todo o tempo! Algo que fica óbvio para o leitor, durante conversas do deus com Brutha, principalmente sobre os livros sagrados!

A propósito, tudo isso é, no mínimo, tristemente engraçado, se levarmos em conta que o autor deixa bem claro durante a série que: Deuses precisam de pessoas e pessoas precisam de deuses!

Afinal, de acordo com Pratchett, todo o universo de Discworld se fundamenta no poder das histórias, sendo que, se um relato, mito ou lenda é contado por tempo satisfatório (e há pessoas suficientes que acreditem nele), acaba se tornando realidade!

Que coisa, não?

E voltando à trama do enredo…

E, como sempre acontece, quando a repressão se torna demais, o povo se revolta e as sementes da revolução começam a surgir. E no livro, Pequenos Deuses, isso se traduz na na frase “A Tartaruga se Move“, conhecida também como doutrina De Cheloniam Mobile.

Sendo que um dos dogmas do Omnianismo, no qual a saga toda se baseia, está no fato de que o mundo não é uma esfera azul localizada no imenso espaço, mas sim, uma tartaruga de proporções cósmicas nadando entre as estrelas do universo, em cujo casco há quatro elefantes colossais, que sustentam em seus lombos, toda Discworld em uma forma plana, como se fosse um disco no formato de pizza!

Discworld by valkiria-art

 E é nisso, nessa “verdade” que se fundamenta a revolução!

O que, claro, além de irônico é HILARIANTE, uma vez que, se pararmos para pensar, toda essa teoria, aparentemente, se fundamentou na famosa e polêmica frase de Galileu GalileiEppur si muove ou E pur si muove (que significa: “mas se movimenta” ou “no entanto, ela se move”), pronunciada depois que foi brigado a desmentir e renegar publicamente, no Tribunal da Inquisição, sua teoria de que a Terra era redonda!

Quanto ao livro…

Pequenos Deuses (título original: Small Gods) é o décimo terceiro volume da série Discworld e, após anos, a Editora Bertrand (pelo Grupo Editorial Record) trouxe esse outro exemplar da saga para o Brasil, com uma linda e engraçada capa, que faz jus ao enredo e combina com as demais da série publicadas aqui, além da tradução de qualidade feita por Alexandre Mandarino.

Aliás, a tradução  era algo com me preocupava um pouco, assim como a maioria dos fãs, creio eu… Afinal, Pratchett e seus trocadilhos nem sempre são fáceis de se traduzir. Contudo, para minha felicidade, me deparei com um exemplar muito bem traduzido, salvo alguns errinhos aqui e ali (ou opções editoriais, não sei…) :

  • O uso do masculino em relação a Grande A’Tuin: fundamentalmente, Grande A’Tuin não é uma tartaruga macho, mas uma fêmea, algo que óbvio para o leitor, quando se lê sobre o que acontece em A Luz Fantástica, segundo livro da série.
  • Om, na verdade é um ‘tortoise’: ou seja, o deus não é uma tartaruga caolha, como é descrita no livro, mas um jabuti caolho! Fundamentalmente, tartarugas só aparecem em terra para colocar ovos e passam o resto da vida dentro d’água; enquanto que jabutis são exclusivamente terrestres, exatamente como Om. Além disso, Pratchett era um verdadeiro entendedor de biologia e, no texto original, ele diferencia Om como “tortoise’”, ao invés de “turtles(tartarugas em inglês).

No entanto, esses são apenas detalhes! Nenhum destes errinhos (ou escolhas), interfere na leitura do enredo. São apenas adendos/curiosidades, que talvez os fãs de Pratchett tenham conhecimento ou se interessem em saber.

Voltando ao que interessa de fato…

Terry-Pratchett-pig-Hay-Festival

A narrativa, novamente,  fluida e dinâmica, o que torna difícil a tarefa de largar o livro ou tentar não terminar a leitura “em um tapa”.

O tempo todo vemos piadas e referências a situações cotidianas da nossa vida, sempre colocadas de um modo que se encaixa na trama. Porém, desta vez, o humor é um pouco mais contido do que aquele que encontramos nos volumes anteriores.

A sensação que dá, é que este é um livro “divisor” na evolução de escrita e estilo do autor. Visto que, em Pequenos Deuses, percebemos que Terry Pratchett começa a priorizar a crítica satírica à era contemporânea, ao invés das tradicionais piadas com as convenções encontradas no gênero de fantasia medieval, as quais são deixadas um pouco de lado, “amadurecendo” a obra.

Além disso, a crítica certeira e divertida a respeito de religiões, da fé cega e de suas consequências; se torna uma ótima pedida para quem gosta de exercitar os miolos.

Como de praxe, Pratchett faz presente o lado trágico do enredo e não zomba tanto da crença em si, mas principalmente de como a religião organizada ás vezes se aproveita da fé para benefício próprio.

Ao meu ver, está é uma narrativa excelente, recheada de piadas surpreendentemente inteligentes e observações divertidas! E se, por acaso, o livro lhe ofendeu, se sentiu atacado pelo autor de alguma forma ou, simplesmente, não conseguiu entender muita coisa e achou o enredo louco e sem sentido algum… Ao menos, três coisas você pode levar consigo:

  1.  Isto Não É Um Jogo.
  2. Aqui e Agora, Você Está Vivo.
  3. Terry Pratchett pode ser insanamente genial.

Texto by Fabi

IMG_20150505_161849

 



{junho 12, 2015}   Boa sexta, readers!
Um post fofinho! :3

Boa sexta, readers!! ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤

Posted by Fabiane Zambelli de Pontes on Sexta, 17 de abril de 2015

(cliquem na data acima para ir até o vídeo)

boa sexta



Hello, hello, readers!

Que tal divulgarmos para vocês a lista de lançamentos literários da Editora Intrínseca?!

EstanteIntrinseca_Março

Vamos lá! Eis os títulos, autores e sinopses das obras lançadas neste mês:

A Segunda Pátria

(Miguel Sanches Neto)

capa_a_segunda_patria.indd

Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, Getúlio Vargas resolve aliar-se ao Terceiro Reich. No cenário alternativo criado por Miguel Sanches Neto, o país se alinha ao Eixo e, como parte do acordo, é estabelecido que os estados do sul, com grande presença de descendentes de alemães, podem pôr em prática os princípios do nazismo, como o racismo, o antissemitismo e a eugenia.

Em Blumenau, à medida que a saudação Heil Hitler se torna corriqueira, o engenheiro Adolpho Ventura convive atônito com o progressivo cerceamento de sua liberdade. Seu crime é ser negro e pai de uma criança mestiça. Na mesma cidade, desenrola-se a trajetória de Hertha, jovem sedutora que encarna todos os predicados da superioridade ariana. A ela é confiada uma misteriosa missão. Com violência e sensualidade, o autor revela uma paixão proibida, enquanto subverte os fatos para criar um Brasil que não está nos livros de história, mas que nem por isso deixa de ser assustadoramente plausível.

Leia um trecho: http://issuu.com/intrinseca/docs/issuu_asegundapatria

Link sobre a obra e o autor: http://www.intrinseca.com.br/asegundapatria/

.

.

.

Pequenas grandes mentiras

(Liane Moriarty)

pequenasgrande

Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada. Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline.

Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade. Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida. Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada.

Em Pequenas grandes mentiras, Liane Moriarty, autora do best-seller O segredo do meu marido, coloca em cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos familiares para nos lembrar das perigosas meias verdades que contamos a nós mesmos para sobreviver.

Link sobre a obra: http://www.intrinseca.com.br/livro/477/

Link sobre a autora: http://www.intrinseca.com.br/autor/190/

.

.

.

Circo invisível

(Jennifer Egan)

Capa_CirculoInvisivel_g (1)Primeiro romance da premiada autora Jennifer Egan, Circo invisível se passa em 1978, tomando as tensões e os dramas políticos dos anos 1960 como cenário da história de Phoebe O’Connor, uma adolescente de 18 anos obcecada pela memória da irmã, Faith, uma hippie bela e idealista que morreu em 1970, na Itália.

Com a intenção de descobrir a verdade sobre a vida e a morte de Faith, Phoebe sai de São Francisco e atravessa o Atlântico para refazer o caminho da irmã pela Europa. A busca gera revelações complexas e inquietantes sobre família, amor e uma geração inteira de jovens perdida.

Uma estreia literária surpreendente e elaborada, prenúncio da habilidade extraordinária de Egan em criar suspenses bem-amarrados, marcados por personagens profundos e nuances de emoção – talento que lhe rendeu em 2011 o Prêmio Pulitzer de Ficção pelo livro A visita cruel do tempo.

Leia um trecho: 1º Capítulo – OCircoInvisivel

Link sobre a obra e a autora: http://www.intrinseca.com.br/jenniferegan/circoinvisivel/

.

.

.

Ordem

(Hugh Howey)

capagrande-ordemOrdem, segundo volume da trilogia Silo, apresenta um mundo pós-apocalíptico, com poucos seres humanos restantes sobrevivendo à atmosfera tóxica do planeta Terra em um silo subterrâneo. No primeiro livro da série, a heroína era Juliette, uma operária nascida nos subterrâneos do bunker.

Na continuação, a história volta ao período anterior e explica como o mundo de Juliette foi transformado. Novos personagens também são apresentados: um portador do século XXIII; um senador da Geórgia num futuro próximo; um garoto abandonado, cuja história termina quando a de Juliette começa, e Troy, que acorda em 2110 sem saber quem é.

Os personagens escapam da morte ao serem congelados em cápsulas criogênicas, sendo acordados de tempos em tempos para tomar remédios, realizar alguns trabalhos alienantes e depois dormir outra vez. O livro volta no tempo, ao ano de 2049, revelando as decisões tomadas por alguns poucos poderosos, responsáveis por bilhões de mortes que deixaram a humanidade em vias de extinção.

Leia um trecho: http://issuu.com/intrinseca/docs/issuu_ordem

Link sobre a obra: http://www.intrinseca.com.br/livro/471/

Link sobre o autor: http://www.intrinseca.com.br/autor/192/

.
.

.

A arte de pedir

(Amanda Palmer)

artedepedirgrandeCantora e compositora, ícone indie, feminista, agitadora e mobilizadora de multidões on-line, Amanda Palmer é um retrato perfeito da boa conexão entre o artista e seu público. Após desligar-se de sua gravadora, Amanda recorreu ao então recém-lançado Kickstarter, site de financiamento coletivo, para conclamar os fãs a colaborar para a produção do próximo álbum de sua banda. O projeto arrecadou mais de 1 milhão de dólares, recorde que chamou atenção tanto da imprensa quanto da indústria fonográfica.

Desse episódio surgiu o convite para uma celebrada palestra nos TED Talks. O tema: saber pedir. Desdobramento inevitável do evento, A arte de pedir trata essencialmente de recorrer ao outro, sem temor, sem vergonha e sem reservas. O livro mostra que pedir é digno e necessário, e que é a conexão entre quem dá e quem recebe que enriquece a vida humana.

Leia um trecho: 1º Capítulo – AArte De Pedir

Link sobre a obra: http://www.intrinseca.com.br/livro/476/

Link sobre a autora: http://www.intrinseca.com.br/autor/243/

.

.

.

Selva de Gafanhotos

(Andrew Smith)

Selva de gafanhotos_lgNa pequena cidade de Ealing, Iowa, Austin e seu melhor amigo, Robby, libertam acidentalmente um exército irrefreável. São gafanhotos de um metro e oitenta de altura, completamente tarados e famintos. Essa é a verdade. Isso é história. É o fim do mundo e ninguém sabe o que fazer.

Com todos os elementos obrigatórios de um romance apocalíptico, Selva de Gafanhotos mistura insetos gigantes, um cientista louco, um fabuloso bunker subterrâneo, um mal resolvido triângulo amoroso-sexual e muita, muita confusão – e está longe de tratar apenas do fim do mundo. Engraçado, intenso e complexo, o livro de Andrew Smith fala de um jeito inovador sobre adolescência, relacionamentos e amizade. Um romance surpreendente sobre a odisseia hormonal, amorosa e intelectual que é essa fase da vida.

Leia um trecho: 1º Capítulo – Selva De Gafanhotos

Link sobre a obra e o autor: http://www.intrinseca.com.br/selvadegafanhotos/

.

.

.

Um brinde a isso

(Betty Halbreich com Rebecca Paley)

umbrindegrandeAos 86 anos, Betty Halbreich é uma figura única no mundo da moda. Há quase quatro décadas comanda o departamento de compras personalizadas – oupersonal shopping, como Betty prefere não chamar – da loja Bergdorf Goodman, ícone do consumo de luxo de Nova York. Conhecida por não ter medo de abrir o jogo com as clientes, Betty já vestiu uma primeira-dama dos Estados Unidos, personagens de séries como Sex and the City e Girls, além das próprias estilistas que abastecem suas araras.

Em Um brinde a isso, ela fala não só da tão atraente carreira, mas também do momento mais difícil em que precisou se encarar no espelho: separada e com dois filhos, entrou em depressão e tentou o suicídio. Combinando memórias, moda e celebridades fashion – sem citar nomes, claro – com capítulos intensos e tocantes sobre sua vida pessoal, Betty mostra que o verdadeiro estilo de uma mulher não está impresso nos cortes, tecidos e etiquetas que ela veste, mas na história que tem para contar.

Link sobre a obra: http://www.intrinseca.com.br/livro/475/

Links sobre a autora: http://www.intrinseca.com.br/autor/242/

.

.

.

A última dança de Chaplin

(Fabio Stassi)

aultimadancagrandeCombinando elementos reais com ficção, A última dança de Chaplin conta os últimos anos de um dos maiores ícones do cinema americano.  Na noite de Natal de 1971, Charlie Chaplin recebe a visita da Morte. O famoso ator está com oitenta e dois anos, mas ainda não se sente preparado para ver as cortinas se fecharem uma última vez. Desesperado por acompanhar o crescimento do filho mais novo, o ator propõe à Morte um acordo: se conseguir fazê-la rir, ganhará mais um ano de vida.

Enquanto espera o encontro fatídico, Chaplin escreve uma carta para o filho, contando a ele seu passado: da infância pobre na Inglaterra, com o pai alcoólatra e a mãe louca, ao auge do sucesso nas telas de cinema dos Estados Unidos, passando pelo circo, pelo vaudeville e por empregos estranhos, como tipógrafo, boxeador e embalsamador.

Leia um trecho: 1º Capítulo – A Última Danca De Chaplin

Link sobre a obra e o autor: http://www.intrinseca.com.br/aultimadancadechaplin/

.

.

.

Filhotes submarinos

(Seth Casteel)

Filhotes submarinos - Capa e lombada.inddSeth Casteel, o fotógrafo que levou o Instagram e o mundo à loucura com suas imagens divertidas e inusitadas de cães embaixo d’água tentando abocanhar bolinhas e outros brinquedos, volta às piscinas acompanhado agora dos filhotes mais elétricos, e engraçados que já se viu.

Em mais de 80 cliques inéditos, o premiado fotógrafo de cães e gatos e ativista em defesa dos direitos dos animais retrata os cachorrinhos na primeira fase da vida, quando ainda estão começando a descobrir o mundo. Cheios de energia e disposição, os filhotes se jogam na água sem medo, ansiosos para resgatar uma bola de tênis ou simplesmente fazer bagunça. Em cada imagem, vemos um espectro de reações ao mesmo tempo selvagens e adoráveis, insanas e engraçadas, mas todas, sem dúvida, apaixonantes.

Leia um trecho: 1º Capítulo – Filhotes Submarinos

Link sobre a obra e o autor: http://www.intrinseca.com.br/filhotessubmarinos/

.

.

.

Dentista sinistra

(David Walliams)

Dentista sinistra_gUm livro assustadoramente assustador – de assustar para valer. Você vai conhecer Alfie, um menino que tem um coração enorme, e um medo de dentista maior ainda. Ele não sabe o que fazer quando o obrigam a se consultar com a nova dentista da cidade: uma mulher com olhos mais negros que carvão, sorriso mais branco que o branco e uma voz mais arrepiante que prova de matemática! Sem contar que, desde que ela chegou, coisas sinistras vêm acontecendo…

David Walliams apresenta a vilã mais terrível nesta história que vai fazer seus dentes rangerem de medo e seu maxilar doer de tanto rir!

Leia um trecho: http://issuu.com/intrinseca/docs/issuu_dentistasinistra

Links sobre a obra: http://www.intrinseca.com.br/livro/479/

Link sobre o autor: http://www.intrinseca.com.br/autor/159/

.

.

.

Texto By Fabi

IMG_20150131_002141



Olá, olá, leitores e leitoras!

Como todos vocês já devem ter percebido, a esta altura do campeonato, é possível ver muitos fãs da saga Cinquenta Tons de Cinza na expectativa para o filme!

E seja você um fã também ou não, já está quase impossível não perceber que tem muita, mas muita gente mesmo, contando os dias para a estreia da adaptação cinematográfica da história de amor entre Christian Grey e Anastasia Steele!

O filme será dirigido por Sam Taylor-Johnson (ela também dirigiu, por exemplo, o filme O Garoto de Liverpool) e produzido por Michael De Luca (que também produziu, por exemplo, os filmes: Drácula – A História Nunca Contada; Capitão Phillips; e Motoqueiro Fantasma – Espírito de Vingança) e  Dana Brunetti (ele também produziu, por exemplo, filmes como: Capitão Phillips; A Rede Social; e Quebrando a Banca), com auxílio da própria autora E. L. James.

Aliás, reza a lenda de que o filme promete ser um dos grandes campeões de bilheteria no ano que vem, já que o trailer bateu recorde de visualizações no YouTube e foi o mais visto em 2014!

O longa, inspirado no primeiro volume da trilogia, já está deixando as Grey‘s fanáticas em polvorosa! O que não é surpresa, visto que quem irá estrelar o filme será o lindo Jamie Dornan como senhor Grey e a meiga Dakota Johnson como a senhorita Steele!

50 tons de cinza

Os atores, pouco conhecidos pelo grande público até serem escalados para dar vida ao casal Christian e Ana, estão agora na mira dos milhares de fãs da história, pois, o livro já vendeu mais de 100 milhões de exemplares (entre cópias físicas e e-books) em todo o mundo, ou seja… São no mínimo 100 milhões de pessoas na expectativa para vê-los na telinha, seduzindo mais uma vez o público que a James conquistou!

E só para informar e vocês se inteirarem um pouco mais sobre os atores…

Antes de interpretar o bilionário charmoso e controlador, o querido Jamie trabalhou como modelo para marcas como Calvin Klein, Dior e Armani. Como ator, seu papel mais marcante foi o serial killer Paul Spector na série The Fall, da BBC Two. Também já atuou no seriado Once Upon a Time e no filme Maria Antonieta, de Sofia Coppola.

E, ATENÇÃO, Jamie confessou que, para ficar mais próximo do mundo de Christian Grey, ele frequentou encontros de adeptos de BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação/ Submissão, Sadismo e Masoquismo)!!!! LOUCURA, LOUCURA!!

Já a fofa Dakota trabalhou na série Ben and Kate, além de ter contracenado com Justin Timberlake em A Rede Social. Ela também atuou nos filmes Anjos da lei e A Fera. E, para viver a ingênua Anastasia, a atriz mudou o visual e pintou o cabelo de castanho-claro.

AAAH SIIIIIM!!

A Editora Intrínseca informou que o primeiro volume da série ganhou uma edição especial! Agora, a capa da obra é inspirada no pôster do filme. Essa nova edição chegou às livrarias no dia 06 de janeiro deste ano.

50tonstrailer2-novoposter03

Fonte: notícia baseada na publicação do site da Intrínseca (se quiser ver o post clique AQUI).

Texto by Fabi

IMG_20141002_124455



Atenção, atenção readers e potterheads!

A Editora Rocco vai fazer nossos corações explodirem e nossos bolsos murcharem!

Ela publicará no Brasil a edição ilustrada de Harry Potter e a Pedra Filosofal, a qual é mais do que ansiosamente aguardada por milhões de fãs em todo o mundo!

Hagrid-Jim-Kay-RGB1

A nova edição trará ilustrações de Jim Kay, ganhador da Kate Greenaway Medal (se você ainda não sabe o que é, clique AQUI). Ele, obviamente, revelou estar “extremamente entusiasmado com o projeto”.

E para nos dar água na boca, a editora Bloomsbury, responsável pela publicação britânica, divulgou nesta quarta-feira, dia 14, as primeiras imagens da edição ilustrada, retratando quatro importantes personagens da série: Rúbeo Hagrid, Hermione Granger, Draco Malfoy e Ron Weasley!

Draco-Jim-Kay-RGB1

O livro será lançado na Inglaterra e nos Estados Unidos em outubro deste ano e no Brasil em 2016. Ou seja,vamos ficar ainda mais ansiosos (ou lemos em inglês mesmo, ou… ficamos roendo as unhas enquanto esperamos!).

Bom…

Ao menos uma coisa é fato!

Hermione-Jim-Kay-RGB1

O lançamento da primeira edição ilustrada de Harry Potter e a Pedra Filosofal já é considerado um dos grandes acontecimentos do mercado editorial internacional!

Afinal, a série  Harry Potter (as primeiras edições), da nossa amadíssima autora britânica J.K. Rowling, já vendeu mais de 450 milhões de exemplares em todo o mundo!

Ron-Jim-Kay-RGB1

Fonte: informações retiradas do site da Rocco (clique AQUI para ir até a publicação).

Texto by Fabi

IMG_20141226_174907



{janeiro 8, 2015}   Je suis Charlie

Je-suis-charlie



{janeiro 7, 2015}   Feliz Dia do Leitor!!!

PARABÉÉÉÉNS, LEITORES!!

Hoje é o nosso diaaaa!! Yeeeaaaah!!

Afinal de contas, hoje, 07 de Janeiro, é o Dia do Leitor!

 

Feliz Dia do Leitor

Sempre que lemos, fazemos viagens incríveis, saímos de nossas cadeiras, de nossas cidades, de nossos estados, de nossos países, de nosso planeta, de nosso mundo e universo… E, então, viajar se torna uma necessidade!

Nossos cérebros parecem inchar com tanta informação, o apetite cresce e eles clamam por mais e mais. Sentem uma abstinência danada quando ficamos muito tempo sem alimentá-los com palavras.

Leitura é um vício!

Assim que pegamos o gosto por ela, fica impossível abandonar! Um único livro no mês, quase não nos basta mais. Ler se torna tão essencial quanto respirar. E se ficamos um dia sem ler alguma coisa, seja uma mensagem no whatsapp, parece que nosso dia ficou incompleto…

Lemos um livro atrás do outro, uma HQ em seguida da outra, um mangá devorado por instante, um gibi a cada momento, uma revista a cada parada na banca, um e-book a cada recarregada, um jornal físico por dia e dezenas online… Ler, ler, ler, ler, ler e nunca parar!

Sentimos que apenas deixaremos de amar a leitura (sim! leitura e não literatura!) depois que partirmos desta existência… E, mesmo assim, torcemos para que, se houver outra vida, possamos carregar conosco essa paixão desenfreada.

Sim!

Somos bibliófilos!

Somos bibliomaníacos!

Somos bibliômanos!

Podemos ser biblioclastas, bibliométricos, biblioteconomistas, bibliógrafos, bibliologistas, bibliocléptos, bibliocleptomaníacos, bibliocleptômanos, biblioterapeutas, bibliocêntricos, bibliofílicos, bibliotécnicos, bibliotecologistas, bibliólatras, bibliotecônomos, bibliólogos, bibliopolas, bibliófagos, bibliognostas, bibliogênicos, bibliognósticos e bibliomantes!

Sofremos, gravemente de bibliofilismo, bibliotecosofia, bibliofilaxia, bibiolatria, bibliomania, bibliofilia, bibliocleptia, bibliocleptomania, bibliodiscernimento, bibliofilismo, biblioclastia, de bibliogênese, bibliólatria, bibliognosia, bibliomancia, biblioparapsiquismo, de uma bibliopatologia, bibliopoder, bibliossanidade e bibliotismo!

 (Ufa! Quanto “biblio”!)

Ou seja, temos, notadamente, um incrível autodiscernimento quanto à leitura em geral.

Somos leitores, flertamos sem pudor com as palavras, bebemos da doce fonte da literatura e somos amantes inveterados da leitura.

 

Texto by Fabi

IMG_20150103_154729



Olá readers!

Gu Valente assumindo aqui!

No belo dia 6 de dezembro, eu, juntamente com a Fabi, e os meus irmãos Henrique e Mateus partimos para a grandiosa cidade de São Paulo com um objetivo bem claro em mente: chegar cedo na Comic Con Experience (a CCXP) no dia seguinte e ser um dos 1000 primeiros a entrar na Expo São Paulo.

comiccon1

O motivo?

Estar dentro da pré estreia de nada mais nada menos do que O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos!

hobbit3

Quer mais um motivo?

Richard Armitage, o próprio Thorin Escudo de Carvalho em pessoa, estaria presente no evento!

How cool is that?

R.Armitage1

Depois de dormirmos por pouco mais de quatro horas na casa de nossa amiga Liane Azuma (Aliás, obrigado Lih <3), partimos para o primeiro metrô do dia.

Chegamos na Expo São Paulo por volta de 5h30 da matina, e já tinha umas 600 pessoas por lá! No princípio achamos que seria bem difícil entrar, mas uma contagem não oficial da fila nos garantiu que estávamos entre os 1000 primeiros.

Fila vai, fila vem, uma confusão bem grande começa a acontecer na fila; alguns membros da equipe se atrapalham na organização de tudo e, entrando no local da CCXP, achamos que não conseguiríamos entrar no auditório Thunder, onde se daria a sessão e o painel com Richard Armitage.

Mas entre mortos e feridos, salvaram-se todos, e ao som de Iron Man, do Black Sabbath, todos nós entramos no auditório!

UHUL!!!

Expectativa a mil pra começar o painel. Marcelo Forlani, um dos editores do Omelete, assume o palco, agradece a presença de todos e dá algumas instruções para garantir a melhor experiência possível ali dentro.

Às 10h10 mais ou menos, Érico Borgo, um dos cabeças do evento e também do Omelete, assume o palco para apresentar Richard Armitage. E platéia quase veio abaixo!

Não bastasse isso, todos os presentes cantaram ‘Misty Mountains Cold‘, que é a música que Thorin canta no primeiro filme da série, Uma Jornada Inesperada.

 

Armitage sorria o tempo todo e estava muito feliz com a plateia brasileira, dizendo que “achava que a plateia alemã era mais insana, até conhecer os brasileiros“. Richard já previa o clima de festa ao entrar no auditório filmando a plateia ensandecida.

Durante o painel, o ator contou sobre a experiência de fazer parte de uma serie tão querida e trabalhar com Peter Jackson na direção. Disse também que a maquiagem era bem difícil de lidar e que optou por fazer todas as suas cenas de luta, para conseguir entender e sentir o personagem. Ainda deu tempo de dizer que sua cena favorita da trilogia é onde Bilbo Bolseiro e Gollum fazem o jogo de charadas entre eles.

Richard Armitage se despediu da platéia depois de vinte minutos de painel. A emoção e a sensação de ver uma figura tão querida pelos nerds deixou a mim e a todos que me acompanharam bastante felizes, afinal, estávamos diante do Thorin em pessoa! Só de ouvir ele falando bastou pra abrirmos um sorrisão de ponta a ponta.

R.Armitage2

Terminado o painel, hora de assistirmos a primeira pré estreia do filme!

E que viagem hein?

A Batalha dos Cinco Exércitos é o mais enxuto e mais corrido capítulo da Terra-média nos Cinemas, correndo em um total de apenas 144 minutos.

O filme já agarra o espectador pelo colarinho logo de cara, e só solta quando os créditos começam a rolar. Todas as pontas soltas da trilogia são amarradas e o palco para A Sociedade do Anel está montado. Peter Jackson criou um espetáculo para ser visto na telona, e ainda que se entregue a alguns momentos meio inconstantes, entrega um épico como nenhum outro cineasta conseguiu.

Ao final de tudo, temos seis filmes que tocaram o coração de muitas pessoas, e à medida que os créditos finais rolam ao som da maravilhosa The Last Goodbye (cantada por Billy Boyd, que fez o Pippin em O Senhor dos Anéis), a sensação agridoce permanece de que não teremos mais a Terra-média no Cinema.

Nos resta partilhar as boas memórias que Peter Jackson nos proporcionou desde 2002, e que o inesquecível J.R.R. Tolkien começou com a simples frase de que numa toca no chão, havia um Hobbit.

ccxp1

.

.

.

Texto by Guh Valente

IMG1116



Atenção, atenção fãs de Laini Taylor!

A editora Intrínseca, responsável pela publicação da série Feita de Fumaça e Ossos no Brasil, já anunciou que a tão aguardada conclusão da saga de e Taylor tem lançamento marcado!

O livro Sonhos com deuses e monstros, o terceiro e último da série, chega às livrarias em janeiro de 2015!

Neste derradeiro volume, da saga que conquistou milhares de fãs mundo afora, o leitor encontrará dois mundos se na expectativa de uma iminente guerra! Além disso, os fãs também vão vibrar com um inimigo maior que acaba unindo quimeras e serafins em uma batalha épica; e vão se derreter perante o amor de Karou e Akiva, que FINALMENTE, tem a chance de alcançar a redenção!

CAPA_Sonhos-com-deuses-e-monstros

Aliáááás… Para quem ainda não viu e não sabe, em novembro, foi lançada exclusivamente em e-book pela editora Intrínseca, no qual podemos ler a novela Noite de bolo e marionetes, em que a autora Laini Taylor revisita um episódio de Feita de Fumaça e Osso… Ela revisita a noite em que Zuzana e Mik começaram a namorar! (ooooooouuuuuunw…)

Fonte: site da Intrínseca (clique AQUI para ver a notícia)

Texto by Fabi

IMG_20140930_181007



et cetera
Amor literário

Resenhas de Livros

Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por @Cardisplicente

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Writing and Film Festival Review

Feature Screenplay, TV Screenplay, Short Screenplay, Novel, Stage Play, Short Story, Poem, Film, Festival and Contest Reviews

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

Enquanto houver oxigênio

Respire mais uma vez e tente outra vez

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

%d blogueiros gostam disto: