World Fabi Books











Queridos leitores e queridas leitoras!! ♥♥♥

O World Fabi Books em breve terá uma novidade muito legal!!

Vamos começar a nossa venda de produtos especiais para geeks, nerds, bibliófilos, bibliomaníacos, cinéfilos e gamers!

A equipe do blog já começou a trabalhar em alguns desses acessórios e as fotos deles serão postadas em breve.

Para agradar a todos os fãs, fanáticos e simpatizantes!!

Fiquem de olho!!

Além de colares (y otras cositas más…) tradicionais de livros, séries, games, filmes, animes e afins… Também “personalizamos” acessórios para vocês!

Vejam alguns exemplos de algumas encomendas já atendidas! Vocês podem juntar todas as suas sagas prediletas em um só colar ou “misturar” gêneros e gostos em um único acessório!

colares_lojinha_w.f.b.

 

Interessados?

Enquanto estruturamos nossa lojinha virtual, mande-nos uma mensagem inbox pela Página do Facebook, que damos um jeitinho para lhe atender!

Ou nos procurem por aqui!

Blog: https://worldfabibooks.wordpress.com

Facebook: http://www.facebook.com/WorldFabiBooks

Twitter: https://twitter.com/Fabiane_ZP

Instagram: http://instagram.com/world.fabi.books

 

 



{novembro 4, 2013}   Parabéns, cinéfilo querido!

Ontem, dia 03 de novembro, um ensolarado e quente domingo primaveril, o nosso fodástico crítico de cinema, Guh Valente, completou seus tão esperados 25 anos!

guh1

Finalmente, os fatídico 24 anos foi superado e com ele, 90% das brincadeiras se foi!

Agora, a bola da vez é aguentar os comentários sobre já ter chegado a 1/4 de um século!

Mas, tudo isso o nosso querido cinéfilo tira de letra, pois, para ele não há tempo feio, desde que possa contar com uma boa trilha sonora, uma impecável atuação, uma ótima sequência de cenas e uma excelente direção!

E nós, o WorldFabiBooks desejamos ao nosso amante de cinema predileto muito e muitos mais anos de vida, repletos de amor, saúde, prosperidade, coragem, sorte, força, alegrias, filmes, cinemas, documentários, atuações memoráveis, cenários impressionantes e face-to-face com muitos diretores por aí!

Somo imensamente gratos por esse incrível profissional ter adentrado no mundo louco, porém fantástico, do enredo de nosso blog! Com certeza, ele somou muito e continuará somando!

Obrigado por crescer conosco Gustavo! Esperamos continuar trabalhando juntos por muitos anos! E muito obrigado, também, por nos permitir comemorar com você essa data tão importante!

Nossos imensos parabéns e um felicíssimo aniversário, companheiro cinéfilo e bibliomaníaco! 

guh2

Ps: o nosso parceiro, o Caravela Virtual, também fez a sua homenagem a esse cinéfilo ilustre e renomado crítico de cinema, Gustavo Valente!! Vejam:

“Olá marujos e marujas!
Estamos um pouco atrasados, maaaaas… O que conta aqui é a homenagem em si, pois está sendo feita de coração!!

No dia 03 de novembro, o nosso primeiro imediato completou nada mais e nada menos do que 1/4 de um século!! Isso mesmo, caríssimos e caríssimas! O nosso querido Gu Valente completou 25 anos de vida repleta de filmes, documentários, atores, monstros, efeitos especiais, diretores, suspense, terror, aventura, drama… Enfim, acreditamos que já deu para entender, certo?

De qualquer forma, essa homenagem não é apenas para dizer o quanto esse cara é foda no que faz, o quanto a vida dele é memorável e o quanto ele é importante para todos nós, a tripulação irreverente dessa Caravela!

Essa homenagem é para desejar a esse ícone dos sete mares toda a alegria, saúde, coragem, prosperidade, força e sorte que esse vasto mundo entre céu e terra pode oferecer! Também desejamos muitos e muitos filmes de qualidade, livros fantásticos, atores incríveis, diretores fodásticos, oscar e prêmios de cinema, efeitos especiais perfeitos, coração acelerado, pele arrepiada, olhos arregalados e muitas críticas, notícias e análises da sétima arte!

Gu Valente, deixamos aqui nossas sinceras felicitações! Tenha um aniversário inesquecível e regado de ótima companhia!

Parabéns!!”

Se quiserem ver a homenagem completa, cliquem AQUI!!

IMG1116



Algumas coisas para lembrá-lo que você está ficando velho

 

 

 

 

Bom… Como está virando “modinha” colocar imagens de brinquedos, utensílios e afins que lhe fazem se sentir velho, porque ou são de décadas passadas ou não existem mais de tão “old” (old but gold, baby! hauahauhaua)… Resolvi colocar um post sobre isso também, o que acham?

Confiram umas imagens:



{junho 15, 2012}   Segredos de bastidores!

Segredos por trás das cenas de filmes famosos

.

.

.

 

 

Star Wars Episódio V: O Império Contra-Ataca

.

.

.

Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi

.

.

.

Alien

Este é Bolaji Badejo, o homem dentro da armadura de alienígena do filme Alien, de 1979.

Segundo o IMDB, ele era estudante de design que foi descoberto em um bar.

.

.

.

Os Caça-Fantasmas


.

.

.

Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida

.

.

.

Matrix

.

.

.

Godzilla

.

.

.

Coração Valente

.

.

.

Tartarugas Ninja

.

.

.

Jurassic Park

.

.

.

Halloween

A máscara que Michael Myers usava era baseada no rosto de William Shatner, só que pintada de branco.

.

.

.

O Senhor dos Anéis

Para não ter problemas ao montar cavalo, Ian McKellen contava com dois dublês.

.

.

.

Os Vingadores

.

.

.

A Origem

.

.

.

Titanic

.

.

.

O Leão da MGM

Não há nenhuma informação clara sobre esta foto, ou seja, não se sabe se realmente Alfred Hitchcock dirigiu o leão da MGM. No entanto, a foto é muito curiosa.

.

.

.

Fonte: O Buteco da Net



O Clube do Filme

 

 

Autor: David Gilmour

.

.

.

Se seu filho de 15 anos fosse um aluno problema, você o tiraria da escola? O colocaria em aulas de reforço e consultas com psicólogos? Afinal… O que você faria?

Normalmente, nenhum pai pensaria (de primeira) na alternativa que o crítico de cinema e escritor premiado, David Gilmour, pensou!

Gilmour realmente tirou o filho da escola, o garoto poderia sair da instituição – e ficar sem trabalhar e sem pagar aluguel – desde que assistisse semanalmente a três filmes escolhidos por ele, o pai.

A aposta diferente resultou em um  Clube do Filme: semana a semana, pai e filho viam e discutiam o melhor (e, ocasionalmente, o pior) do cinema.

Assim, mergulhamos nos pensamentos e sentimentos de pai e filho, as preocupações quanto ao futuro do garoto (Jesse), as aflições sobre sua carreira, as angústias de Jesse no campo amoroso e os paralelos que ele traça com os filmes que vai assistindo com Gilmour.

O Clube do Filme encanta pela história em si, mas tem um atrativo extra: os comentários sobre os filmes!

Assim sendo, os longas funcionam como um ponto de partida para discussões sobre a vida entre Gilmour e Jesse. Os outros personagens, embora secundários, são bem delineados pelo autor, que nos leva, por meio desta história, aos bastidores da carreira de um crítico de cinema nos dias de hoje.

David Gilmour prova, em sua obra, que os filmes podem assumir um papel muito importante em nossas vidas, assim como podemos analisar os filmes mesmo sem sermos críticos de cinema, pode-se aprender muito com eles apenas vendo-os e analisando cenas específicas, a fotografia, pontos de destaque em cada obra.

E não são apenas os clássicos que o autor mostra ao filho! Dos clássicos, passando pelos filmes de suspense, terror, romance, pela nouvelle vague, analisando filmes de Woody Allen e, ao mesmo tempo, não deixando de lado nem os filmes trash.

O Clube do Filme é aquele tipo de livro que não conseguimos largar antes do final. A escrita é carismática, a tradução é bem feita, o texto é de rápida leitura e não é maçante. Altamente recomendado!!

 

 

 

 



Estúdios onde foram gravados todos os filmes da saga “Harry Potter” serão abertos ao público

A Warner comprou os estúdios Leavesden, na Inglaterra, que foi responsável pelas filmagens da saga Harry Potter.

Para celebrar a aquisição, no ano de 2012, a Warner proporcionará um passeio de três horas pelos estúdios do filme.

Confira alguns itens que nós, os fãs, poderemos encontrar:



{dezembro 8, 2011}   Os Bastidores!!

Fotos incríveis de bastidores de filmes.

 



{novembro 21, 2011}   Reconhecendo um psicopata!!

“É possível reconhecer um psicopata através de suas palavras”, é o que relata um estudo realizado no Canadá.

O estudo foi realizado com 52 assassinos, onde haviam 14 psicopatas e 38 assassinos sem histórico de problemas psiquiátricos.

Segundo responsáveis pela pesquisa as divergências verificadas entre os dois grupos foi muito clara. De acordo com pesquisadores os psicopatas relatavam suas ações como se tivessem ocorrido há muito tempo, descrevendo-as como se não tivessem como impedir o acontecimento.

A riqueza de detalhes também foi uma questão muito observada pelos pesquisadores. Jeffrey Hancock, psicólogo da Cornell University, os psicopatas não ficavam constrangidos e nem manifestavam qualquer reação em não falar sobre tudo, além de ficarem felizes com o que falavam.

Os psicopatas também não manifestaram qualquer tipo de preocupação com familiares seus, nem de suas vítimas. A pesquisa deixou claro que os psicopatas no geral são racionais, porém de um jeito primitivo.

Os 10 Maiores Psicopatas do Cinema

Atente-se para o fato que um vilão pode existir como tal sem, necessariamente, ser psicopata.

10° Carl Stargher – O Serial Killer do filme A Cela

Stargher é um sádico que se excita vendo suas vítimas se afogarem dentro de uma cela.

Detalhe: ele as afoga e se exercita enquanto tudo é gravado.

Suas vítimas sofrem durante horas, enquanto a cela aos poucos vai se enchendo.

Quando ele entra em coma, a terapeuta Catherine Deane, utilizando uma nova técnica, entra em sua mente para tentar descobrir o paradeiro de sua última vítima, que está presa em uma cela, em algum lugar, com a água pelo pescoço.

9° Coronel Hans Landa – Bastardos Inglórios

O vilão carismático que, sem titubear, fuzila toda uma família.

Hans Landa persegue judeus na França tomada pelos alemães.

E ele não esconde seu prazer em fazer isso.

Hans delicia-se toada vez que os caça, tortura psicologia e fisicamente, e mata!

8° Norman Bates – Psicose

Dispensa apresentações.

Uma dos maiores personagens criados por Hitchcock!

Bates mantinha o cadáver da própria mãe em casa enquanto fingia ser a mesma.

Como se isso não fosse suficiente, também usava o tempo livre para matar belas mulheres enquanto estas estavam no chuveiro.

….

7° Henry Evans – Garoto psicopata do filme O Anjo Malvado

Evans, olhado desatentamente, é um garoto como outro qualquer.

Mas por trás de sua face de ingenuidade ele esconde pura maldade.

Sente prazer em ver os outros, pessoas ou animais, sofrendo.

Além de planejar o homicídio de seus próprios familiares.

6° Anton Chigurh – Onde os fracos não têm vez

Assassino com o corte de cabelo mais esquisito de todos,.

Ele não poupa ninguém (nem mulheres, crianças, inocentes) para conseguir o que quer.

(spoiler)

No fim do filme, mesmo sem haver qualquer necessidade prática, ele mata a família de um dos personagens (que já estava morto) apenas para cumprir a promessa.

5° Alex DeLarge – Laranja Mecânica

Alex é um jovem líder de uma gangue que se diverte espancando, estuprando e matando qualquer um que apareça no caminho.

O filme, obra prima de Stanley Kubrick, é um dos raros casos de filme que supera a versão original em livro.

4° Coringa por Heath Ledger – O Cavaleiro das Trevas

Difícil saber se ele é psicopata ou apenas um total louco.

Analisando bem… Acredito que uma mistura dos dois.

Pra queimar montes de dinheiro e quase explodir milhares de pessoas em navios é preciso muito sangue frio.

….

3° Hannibal Lecter – O Silêncio dos Inocentes

Se não bastasse matar suas vítimas, ele também as come.

Ninguém nunca esquecerá da cena em que o ex-médico frita parte do cérebro de uma vítima ainda viva e dá um pedaço para ela experimentar.

O personagem pelo qual Anthony Hopkins será sempre lembrado.

2° Annie Wilkes – A enfermeira do filme Louca Obsessão

Além de matar bebês (existe coisa pior?), Wilkes aprisiona um escritor e o obriga a reescrever um volume do seu romance no qual ele mata a sua personagem favorita.

A cena na qual ela quebra os seus tornozelos com um martelo para evitar que ele fuja é chocante.

1° Patrick Bateman – Psicopata Americano

Bateman é um homem belo e vaidoso que vê tudo e todos a sua volta como meras fontes de prazer e diversão.

A inveja o corrói e ele entra em êxtase quando observa suas vítimas morrerem.

Maneiras de matar não faltam: armas de fogo, armas brancas, serras elétricas, ácido, furadeira etc.

Grande atuação de Christian Bale.

Menções honrosas:

Jigsaw – Vilão do filme Jogos Mortais.

Lunático com um ideal macabro na cabeça.

Mata suas vítimas das formas mais brutais possíveis, mas não sem antes fazê-las passar por grande desespero.

Em um dos filmes ele força um personagem a amputar , sem anestesia. o próprio pé.

….

John Doe – Serial Killer do filme Seven – Os Sete Crimes Capitais. 

Mesma coisa do anterior, só que com mais estilo.

Doe não teme a morte e arquiteta de forma maestral uma série de assassinatos de gelar a alma de tão horrendos. 

 …

Mr. Blonde – Reservoir Dogs.

Sádico que se regozija com a dor e desespero de suas vítimas.

Dança e canta enquanto mutila o rosto de um homem.

Não se esquecendo de:

1. Henry (Michael Rooker), em Retrato de um assassino(Henry, Portrait of a serious killer), de John McNaughton (1986)

2. Juliet Marion Hulme e Melanie Lynskey(Kate Winslet e Paulina Yvonne Parker), em Almas Gêmeas (Heavenly creatures), de Peter Jackson (1994)

3. Leatherface (Gunnar Hansen), em O massacre da serra elêtrica (The Texas Chainsaw massacre), de Tobe Hooper (1974) 4. Tommy DeVito (Joe Pesci), em Os bons companheiros(Goodfellas), de Martin Scorsese (1990) 5. Frank Booth (Dennis Hopper), em Veludo azul (Blue velvet), de David Lynch (1996)

6. Lieutenant Leuy (Harvey Keitel), em Vício frenético (Bad Lieutenant), de Abel Ferrara (1992)

Os dez piores psicopatas da história

Pessoas que matam por instinto, prazer, ou satisfação, você conhece as histórias terríveis desses indivíduos?Aqui está a lista resumida dos dez piores assassinos que apavoraram ruas, cidades e bairros com seus atos extremamente cruéis.

1º Pedro Alonso Lopez (+ de 300)

 Pedro_Lopez_MonsterOfTheAndes_320x240Teve uma infância terrível, filho de prostituta e expulso de casa aos 8 anos, foi recolhido por um pedófilo e sodomizado a força.Agiu em três países da América do sul: Equador, Peru e Colômbia. Em 1978 já havia assassinado 100 meninas no Peru. Mudou-se para a Colômbia onde matava três vezes por semana.

2º Gilles de Rais (+ de 140)

 GillesHerói de guerra francês, século XV, atuando junto com Joana D’Arc na guerra dos cem anos (Inglaterra contra França), era expert em retirar ingleses da França. Tinha como seu principal alvo os meninos, onde eram sodomizados e depois decapitados. Em seguida ele masturbava-se sobre as entranhas de suas vítimas.Foi enforcado e queimado simultaneamente.

3º Luis Alfredo Gavarito (140)

 luizColombiano. Andava com um caderno em seu bolso, onde em 140 linhas estavam simbolizadas as suas vítimas.Os corpos foram encontrados decapitados, com sinais de amarração e mutilação.Depois de muitos homicídios, em 2000, ele foi preso, após acharem vários corpos, sendo condenado a 1853 anos de prisão.

4º Dr. Jack Kevorkian (130)

O Dr. Morte, EUA, em 26 de março de 1999 matou um homem doente com injeção letal e o filmou.O Dr. Morte está envolvido em 130 suicídios assistidos desde 1990, este número faz dele o mais ativo serial killer dos EUA.Disse em um julgamento, no qual representou-se sozinho, que não tinha mais nada a perder, pois restava-lhe pouca vida.

5ª Delfina e Maria de Jesus Gonzáles (+ de 91)

 

 

 

 

Dirigiam um Bordel na cidade de Guanajuato, México.

Recrutavam prostitutas e as matavam.

Mataram também clientes ricos.

Após muitos desaparecimentos, a polícia achou 11 corpos de homens, 18 de mulheres e vários fetos.

6º Elizabeth Bathory (+ de 40)

 Condessa húngara, que inspirou muitos filmes e fãs de vampirismo. Ela matava suas vítimas para tomar banho com o sangue delas.Diz-se que certo dia, sua serva a puxou o cabelo enquanto o escovava e foi espancada, após sentir o respingo de sangue em sua mão, ela pensou tê-la rejuvenescida, então passou a massacras servos em gaiolas de cravos e, em seguida, tomar banho com o seu sangue.Um caderno encontrado revela 650 nomes que, supostamente, Elizabeth tenha matado para se banhar, entretanto não há registros jurídicos disto.Morreu em um calabouço sem portas, sem janelas, após ser condenada.

7º Jane Toppan (+ de 31)

 janeNascida em Boston com o nome de Nora Kelly, 1854. Ainda era criança quando sua mãe morreu e seu pai, alfaiate, foi internado por tentar costurar seus próprios olhos para sempre.Foi adotada pela família Toppan e teve uma vida normal até ser rejeitada pelo seu noivo, o que a levou a uma tentativa de suicídio.Na escola de enfermagem passou a se interessar por autópsias, foi demitida depois que dois pacientes aos seus cuidados morreram misteriosamente.Começou a trabalhar em domicílios e mesmo assim, seus pacientes morriam de forma misteriosa, com altas doses de morfina que causaram pelo menos 31 mortes.

8º Patrick W. Kearney (+ de 28)

 Patrick-Kearney-custody200O mais importante assassino das estradas da Califórnia. Deixava suas vitimas desmembradas e lavadas em sacos de lixo ao longo das estradas.Suas atividades iniciaram-se em 1957 e acabaram em 1977, quando viram seu pôster de procurados e se entregaram. Depois foram soltos por falta de provas.

9º Marcel Petiot (+ de 24)

marcel-petiotAgiu durante a 2ª Guerra mundial, onde passava-se por membro da resistência francesa e dizia que ia mandar os judeus para a América do sul. Eles então pagavam e Marcel os dava uma injeção letal dizendo ser vacina contra doenças tropicais. Enquanto morria, Marcel os observando-os morrer através de um pequeno buraco. Fazia isso em uma casa a prova de som. Em seguida incinerava os corpos.Foi guilhotinado em 1946.

10º Bela Kiss (24)

kissSerial killer húngaro. Suas façanhas foram imortalizadas pelo poeta surrealista Antonin Artaud. Em 1912, mudou-se com sua esposa para a vila de Czinkota. Sua esposa começa a ter um caso. Logo os amantes sumiram e Bela contou aos vizinhos que eles fugiram, logo depois adquiriu 55 barris de metal, alegando a iminente guerra. Em 1914, foi recrutado para a guerra, foi para o campo de batalha, onde morreu.Em seguida, os soldados, precisando de gasolina, lembraram-se dos barris de Bela, então quando os soldados abriram os barris encontraram corpos conservados em álcool.Bela chamava-se a si mesmo de Hoffman, colocava anúncios nos jornais descrevendo a si mesmo como solitário viúvo à procura de companhia feminina. Garroteava as mulheres e as colocava nos barris. Foram encontrados lá o corpo de sua mulher e dos amantes da mesma.

O que se passa na mente de um psicopata?

Pessoas,médicos,psicológos,psiquiatras e especialistas…todos estudam a mente de um psicopata e fazem as mesmas conclusões: ”Os psicopatas não sentem dor,emoções,vergonha e sentimentos de afeto.” Todas essas conclusões de fato são mentira. Os psicopatas sentem várias emoções,principalmente medo,vergonha,arrependimento. Só que na verdade o que a grande maioria sente é a baixo-estima que os levam a cometer os assasinatos em série.

As emoções do psicopata

Euforia: No momento em que estão atacando,os psicopatas sentem uma espécie de euforia,sentem um poder de satisfazerem-se com a morte e o sofrimento da sua vítima,como se fosse numa caça de patos,só que com pessoas. Veêm muito prazer em matar pessoas por quê as pessoas raciocinam,assim quanto mais difícil matar,sentem bastante orgulho.

Medo: Todos os psicopatas sentem bastante medo,não o medo de matar,mas sim o medo de serem descobertos e capturados pela polícia,mas mais do que o medo de serem presos esses sentem o medo de falhar nas suas ações.

Ódio: Sentem ódio principalmente quando falham em seus atos,não conseguem raciocinar direito ou até mesmo quando se apegam as pessoas sentindo uma espécie de amor ou compaixão da vítima.

Felicidade: A felicidade vem a cabeça do psicopata quando esse consegue tirar a vida da sua vítima,como se estivesse praticando um esporte e vecendo os seus objetivos. O psicopata se sente uma espécie de Deus da vida,que decide se deixa ou não deixa a pessoa viver.

Tristeza: Todos tiveram uma coisa em comum,a infância. Abusos,humilhações,Bullying,separação de pais,maus-tratos entre várias situações ruins. Por isso todos sentem uma enorme baixa auto-estima,fazendo-os com que se sintam bastante depressivos e carentes de sentimentos de compaixão.

Arrependimento: Na hora de matar as vítimas,não sentem o mínimo arrependimento,mas quando a euforia do ataque passa,sentem uma espécie de culpa por terem matado,quando se apegam a certas pessoas (algo raro!).

Por que matam?

Cada um tem um motivo para matar,mas o principal motivo é a baixa-estima. Grande parte deles matam por problemas de relacionamento com a sociedade. Por se sentirem como seres inferiores e desprezados,não tem outra opção a não ser dar um jeito de chamar a atenção da sociedade…

Outros são por problemas ainda na infância,principalmente aqueles que são vítimas de abuso sexual…assim como outos tantos por Bullying,humilhações,separação de pais e maus tratos.

Artistas da morte (Os psicopatas) – Grandes psicopatas famosos!!

Esses são alguns dos piores psicopatas já conheçidos pelo mundo por suas crueldades

Ted Bundy- *1946 +1989

Foi um dos piores assasinos dos Estados Unidos,suas vítimas eram todas mulheres jovens,de preferência,gostava de atacar somente meninas brancas,magras e de cabelos típicos. Ted usava a estratégia de ”coitadinho”,pois usava um gesso no braço se fingindo de doente e deixava os livros caírem no chão pedindo ajuda a qualquer menina que passasse,assim com o descuido da vítima,Ted a atacava com um martelo na cabeça fazendo com que perdesse a consciência. Ted então a levava para algum lugar deserto as mordia,estuprava e assassinava.

O mais chocante é que depois de mortas,Ted maquiava o rosto das vítimas e mais cedo ou mais tarde voltava ao local e transava (Necrofilia) com as vítimas mortas.

Assassinatos: Nem ele mesmo se lembrava,mas matou mais de 36 mulheres e foi condenado a cadeira elétrica em 1989.

Ano de ação: Ted Bundy agiu durante os anos 70.
Aillen Carol Wuornos – ???

Foi dona de uma infância triste e problemática,sofreu maus-tratos pelos pais,abandono,foi criada pelos avós maternos onde o avô a estuprou e fez ter um filho na adolescência. Ainda na adolescência se tornou garota de programa. Seu rosto ficou desfigurado por ações auto-mutilantes ainda na infância,pois sofria de Trantorno de Personalidade Boderline(acúmulo de sofrimento e traumas).

Assassinatos: Foram sete vítimas sendo todos homens (seus clientes de programa) de 50 anos que tentaram a matar e ameaçar de morte. Wuornos matou as vítimas em legítima defesa. Foi executada em 9 de outubro de 2002 por injeção letal.

Ano de ação: Aillen Wuornos agiu no ano de 1989 matando suas vítimas.

Charles Manson – ????

Foi uma éspecie de manipulador de seitas macábras nos anos 70 onde vários jovens seguiram. Não matou ninguém mas foi um grande manipulador de jovens que matavam pessoas em rituais macábros. Charles Manson ainda está vivo e preso numa cadeia nos EUA em que foi condenado a prisão perpétua.

Já tem mais de 70 anos e seus pedidos de liberdade continuam sendo negados.

Richard Ramirez ”The Night stalker”- ????

Nascido no Texas,era filho de pais imigrantes do méxico. Era o caçula de cinco irmãos,seu pai bebia e batia por que Ramire cometia pequenos delitos na infância.Quando criança,tinha crises convulsivas mas que depois pararam. Depois passou a não ir para a escola para jogar em fliperamas. Começou cedo a usar maconha e a ser preso.Suas inspirações demoníacas vieram do seu irmão que foi para a guerra do vietnã que contava as suas histórias de guerra em que matava centenas de pessoas. Ganhou a sua primeira arma do seu irmão e também uma faca em que dizia seu irmão que era usada para degolar os inimigos e pessoas inocentes na guerra. A faca foi usada por Ramirez nos seus crimes.

Assassinatos: Foram vários e que o tornou um dos psicopatas mais pervesos de Los Angeles na década de 80. Ramirez não tinha preferência das suas vítimas,ele matava qualquer pessoa como idosas,mulheres e casais. Foi acusado de vários estupros.Ramirez se casou com uma mulher que se dizia ser sua fã no ano de 1996 e ainda continua vivo a espera de julgamento.

Ano de ação: Richard Ramirez agiu durante os anos 80 em Los Angeles.

John Wayne Gacy ”O palhaço da morte”- ????

Nasceu em 1942, em Chicago, nos Estados Unidos. Tinha duas irmãs. Seu pai, John Gacy, era alcoolista e aparentava não gostar do filho: batia-lhe sem grandes motivos, chamava-lhe de “menininha”. A mãe também era vítima deste homem. Apesar disto, aparentemente Gacy Jr. gostava do pai. Aos 11 anos, foi atingido na cabeça por um balanço. Nos cinco anos seguintes, sofreu escurecimentos periódicos da vista. Foi descoberto um coágulo em seu cérebro, que foi removido cirurgicamente, com a remissão do sintoma. Contudo, Gacy ainda manteve outros sintomas hipocondríacos, que o ajudavam a afastar-se de atividades mais masculinas, como a prática de esportes violentos – ocasionalmente queixava-se de sintomas cardíacos, por exemplo.

Formou-se em Administração e tornou-se vendedor de sapatos. Casou-se com uma colega de trabalho cujo pai possuía um restaurante de frangos fritos, em outro Estado, e logo passou a gerenciar tal estabelecimento, com desenvoltura. Em 1968, num evento que pegou de surpresa todos os seus conhecidos, foi acusado de ter subjugado sexualmente, por um longo período de tempo, um jovem empregado. Gacy contratou um adolescente assassino para espancar uma testemunha da promotoria, e mais acusações pesaram sobre ele.

Assassinatos: Gacy começou a matar com 30 anos. Muitas vezes atacava conhecidos, mas em outras abordava pessoas na rua, às vezes de uma forma convidativa, outras mais intimidativo. Escolhia pessoas do sexo masculino – adolescentes ou jovens adultos. Sodomizava-os, torturava-os e depois os matava, geralmente sufocados ou estrangulados. Enterrava os corpos no chão de sua casa – até que, sem espaço, começou a jogá-los em um rio.

Ano de ação: Gacy agiu durante os anos 70 e foi executado em 1994.



Vagando pela internet, me deparei com um post mostrando a quantidade (superficial) de capas de filmes que copiam umas ás outras.

Dando uma olhada… Percebi que tinha razão!!! Muitas delas acabam copiando vários elementos de outras. 

Vou colocar aqui os exemplos que foram colocados (http://colunistas.ig.com.br/obutecodanet):

 

 

Praia ao fundo

De costas

Casais em lados opostos

Na cama

Olhos

A natureza é azul

Preto e laranja

Correndo pela vida

Pernas abertas

Montando rostos

Vestido vermelho nunca sai de moda

 

 

“Na televisão, nada se cria, tudo se copia” – by Chacrinha

 

 



{outubro 18, 2011}   Figuras da Literatura Brasileira

Olá, queridíssimos leitores!

Bem vindos a mais um “Figuras da Literatura Brasileira”!!

Quem ainda não sabe o que é, eis o resuminho:

Esse post é uma espécie de “coluna”, toda terça-feira coloco uma entrevista com alguns escritores brasileiros, as quais se pautam em cima dos mais variados temas escolhidos pelo próprio escritor.

Podemos discutir desde ficção até problemas políticos, sendo que o intuito é ajudá-los a conhecer melhor essas figuras de nossa literatura!

E não se esqueçam: Manifestem-se à vontade!

Encerrando e começando com a pergunta de praxe…

Então… Vamos para entrevista dessa semana?

 

Sílvia Andreotti falando de Livros que viram Filmes

 

 

A Sílvia… Uma acadêmica do Curso Superior de Cinema que sempre gostou de escrever.

É dona de uma imaginação incrível, teve sua primeira publicação em 1997, com o poema “Palavras“, no livro Divina Poesia Vol – 3 quando era aluna do Colégio Divina Providência.

Em 2005, como ex-aluna, publicou seu segundo poema no livro Divina Poesia vol – 5, com o poema “Flor de Maio“, homenageando sua mãe.

No ano de 2010, por indicação de uma amiga, publicou seu primeiro conto, entitulado “Reflexos“, na antologia “Tratado Secreto de Magia” pela Andross Editora. E em 2011 publicou seu segundo conto, “O Titereiro“, na antologia “Histórias Envenenadas“.

Atualmente está escrevendo seus futuros livros.

 

 

 

Entrevista:

 

1. Sabe-se que, além de escritora e ótima cozinheira, você também é uma dubladora. Como é a experiência de dublar uma série e/ou um filme?

Bom, Fabi. Primeiramente, agradeço o interesse no meu trabalho como escritora e como dubladora. Espero poder esclarecer algumas dúvidas.

Bem… Infelizmente, ainda não posso dizer, com certeza, como é dublar uma série, pois ainda não fui escalada para nada mais longo que um filme.

Dublar um filme, um desenho, uma animação é simplesmente mágico, pois você dá a vida a um determinado personagem, você dá as características dele com a sua voz. Você ri com ele, chora com ele, experimenta todas as suas emoções. Tanto que em muitos casos você não consegue imaginar que aquele personagem tenha outra voz, senão a sua. Eu não consigo pensar que a Hanna Montana tenha outra voz, que não seja da Tati Keplmair, por exemplo.

Então, entrar em um estúdio e dar a sua voz a um personagem épico, ou a uma princesa, ou até aos ratinhos que fazem os seus vestidos, é algo, de certo modo, indescritível. Eu saio realizada de um estúdio. É simplesmente fabuloso. Fico triste quando alguém fala que filme dublado é ruim, porque não entende toda a complexidade do ato de dublar um filme. Não sabe como é o processo de escalação, ou por que temos que falar “traseiro” em vez de “bunda”, não sabem por que mudamos determinadas frases, apesar de na legenda estar completamente diferente (aliás, é a reclamação que eu mais ouço). Não sabem que temos que bater de frente com diretores malas que acham que estão sempre com a razão, temos que encarar com a censura de tal maneira, que, infelizmente, muitos filmes acabam perdendo o sentido.

Ainda assim, dublar é fantástico.

 

2. Hoje em dia, os áudio-livros estão em alta no gosto popular. As técnicas de dublagem de um filme, na sua opinião,
são as mesmas usadas para gravar um áudio livro? Em quais das experiências você acredita que exija mais “expressão” na voz de quem dubla/lê?

Bom, serei sincera. Nunca escutei um áudio-livro. O mais próximo que eu cheguei de um, foram os comercias na TV que eu ouvi do Cid Moreira narrando a bíblia.

Bom. Não são as mesmas técnicas propriamente ditas. Pense em quando você era pequena e como a sua mãe lia uma história para você dormir. Ela fazia uma narração neutra e até dava uma entonação um pouco mais forte quando lia as falas dos personagens. No áudio-livro é basicamente a mesma coisa.

Quando se dubla um documentário (desses que passam no “The history Channel” ou no “National Geografic”) é preciso usar um tom de voz neutro, sem muitas expressões carregadas, como as que usamos nos filmes, pois não há a interpretação da personagem. É uma história real e os protagonistas estão explicando o que está acontecendo, sem qualquer emoção exagerada. A diferença é gritante entre um e outro.

 

3. O que você acha dos filmes dublados? Dê-nos a sua opinião tanto como dubladora, quanto como espectadora.


Não sei se você sabe, mas a lei diz que todo filme que vem para o Brasil DEVE SER DUBLADO E OS CRÉDITOS DAS VOZES DEVEM SER COLOCADOS NO FINAL DO FILME. Mas infelizmente não é bem assim que tem acontecido. Há filmes que vêm para cá e não passam pelo processo de dublagem, como “O Labirinto do Fauno”, por exemplo. Isso é deveras triste, pois uma pessoa analfabeta que quer ver o filme, fará só isso. Assistira a um filme em língua estrangeira sem saber o que estão falando. Eu acho que a dublagem é uma coisa boa.

Eu sempre gostei de filmes dublados, desde pequenininha. Lembro que o primeiro “filme filme” que eu assisti mesmo, com pessoas de verdade, foi “O Jardim Secreto”. Eu sempre pedia para minha mãe alugar desenhos, e um dia ela apareceu com esse filme, dublado, claro (sim, as famigeradas fitas para vídeo-cassete). E eu me apaixonei por ele, pelas vozes… E alugava toda semana. Até um dia que minha mãe levou esse filme legendado para casa. Foi horrível assistir a um filme cujas falas eu conhecia melhor que os próprios atores, em outra língua. E aquelas letrinhas que estragavam a paisagem… E o som era horrendo. Os atores falavam cantado, de um modo irritante, e as vozes eram feias. Não combinavam com eles. Foi quando eu percebi que filme foi feito para ser ouvido e assistido. Se eu quisesse ler alguma coisa, abriria um livro!

Claro que, há dublagens e dublagens! No dia em que você me ouvir dizendo “Veja esse filme LEGENDADO!” é porque a dublagem é péssima!

Infelizmente o mercado da dublagem anda cada vez mais rápido. As coisas chegam nos estúdios para serem dubladas, literalmente para ontem, então muitas vezes a escalação do profissional é infeliz, a interpretação é ruim e o diretor não sabe o que está fazendo. Juntando tudo isso resulta, por exemplo, em “Letra e Música”. Um filme que eu assisti dublado, chorando de desgosto, e assim que terminou, eu vi legendado, para ver por que estava tão ruim assim (o que faz com que as pessoas torçam o nariz para a dublagem e falem mal de um trabalho digno que, por vezes, é mal compreendido). Sem contar que, muitas vezes, o filme dublado consegue ficar muito melhor do que o original. Gilmore Girls, por exemplo (aqui traduzido como “Tal Mãe, Tal Filha”), não consigo achar a menor graça nessa série legendada, pois a Sheila Dorfman (dubladora da Lorelai, da Xena, da Monica de Friends) consegue dar entonações tão hilariantes para a personagem, que ela chega a perder a graça quando assistida em seu áudio original.

 

4. Ainda sobre filmes… O que você acha das adaptações de sucessos da literatura para as telas do cinema e da televisão? Elas ainda deixam a desejar?

Olha… algumas ainda deixam a desejar. Muitas vezes é por causa do estúdio que grava, ou do diretor, ou da verba… mas acredito que a real culpa dos filmes ruins é do escritor do livro cujo filme foi baseado, pois é ele quem dá o voto de minerva para que o filme seja rodado ou não, do jeito que foi roteirizado.

Um filme que eu achei que teve uma excelente adaptação foi a trilogia d’O Senhor dos Anéis. Eu não havia lido os livros quando os filmes foram lançados. Então, os assisti e saí do cinema satisfeita, pois o filme conseguiu transmitir as informações necessárias para um ótimo entendimento do filme. Bilbo tem o anel do mal, dá a Frodo, ele e uma galera têm de atravessar um longo caminho para destruir o anel. Ele é tentado várias vezes, o grupo se separa por alguns motivos, mas depois se junta novamente, eles destroem o anel e voltam para casa! Pronto! Não preciso saber de mais nada! Ta tudo ali!

Coraline, obra homônima de Neil Gaiman, foi uma adaptação que mexeu comigo. Apesar de partes absurdamente diferentes do livro, a animação ficou excelente. É um filme que eu não canso de ver, assim como é um livro que eu não canso de ler. Sempre que termino de ver o filme, desejo ler o livro para comparar, e vice-versa. Já perdi a conta de quantas vezes li/assisti.

Eu acho que as empresas estão se esforçando bastante para fazer uma superprodução cinematográfica digna de um Oscar, mas se esquecem do principal para muita gente, que é a história! Vamos pegar como exemplo o filme “Prince of Persia”. Os efeitos são ótimos, mas a história é completamente básica; O menino de rua que foi adotado pelo rei (apesar de essa ser a essência do jogo). Seu pai morre e ele é acusado e perseguido. Seu tio, seu confidente, (que pelas roupas, maquiagem e inclusive o nome, você já percebe que tem alguma coisa errada) tenta ajudá-lo de alguma forma que possa incriminá-lo mais ainda, e depois se revela como o vilão da história; será que mais alguém aqui notou uma semelhança com outras histórias básicas como “O Rei Leão”, “Hércules” ou “Crônicas de Nárnia – Príncipe Caspian”? O irmão / filho / pessoa-com-cargo-de-confiança invejar o trono é uma coisa batida.

 

5. Sílvia, para você quais são os pontos positivos e os negativos de se transformar um livro em filme e vice-versa?

Você lê um livro com o maior entusiasmo. Fica pensando “Noooossa, como será que vão fazer essa cena aqui? Impossível!”. Daí descobre que ele já está sendo filmado. É aí que você pira! E depois morre de medo; “O que é que vão fazer com o meu livro preferido?”

Quando você lê, você imagina mil coisas que podem acontecer. Você adoraria ser o diretor e fazer o livro minuciosamente, do jeito que você imaginou.

A balança simplesmente não vira. A cena que você imaginou pode ter ficado maravilhosa, como pode ter sido transformada no ponto alto do Top 5 do CQC.

Às vezes tem aquela cena que você lê e não consegue imaginar como pode ter acontecido e pensa que o filme irá tirar a sua dúvida (como a lendária cena das poções em “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, até hoje eu xingo o diretor por não ter colocado a cena mais esperada do livro.)

Ou, uma coisa que, mesmo fazendo faculdade de cinema, eu nunca vou conseguir entender por que os personagens acabam mudando tanto do livro para o filme. No livro a personagem tem pele negra, cabelos cacheados e olhos amarelos e quando vai para as telas, de repente ela empalidece, alisa o cabelo e ganha olhos azuis. Isso para mim é uma coisa ruim, pois te deixa perdido e faz com que você reclame mais ainda do filme.

 

 

6. Quais as obras literárias que melhor foram adaptadas para o cinema? Por quê?

Bom, como eu disse anteriormente, gostei bastante de Senhor dos Anéis, Coraline, porque mesmo sendo modificados, conseguiram se fazer entender a quem não leu os livros. Gostei muito de A Princesinha e O Jardim Secreto, apesar seguirem um rumo totalmente diferente, chegando ao mesmo final.

 

7. Quando alguém lhe pergunta: “vale mais a pena ler o livro ou ver o filme?”, o que você normalmente responde? Alguma vez você já chegou a dar uma resposta diferente?

Olha, isso é relativo. Tem gente que não tem tempo de se prender a uma leitura, então o filme é um “bom” resumo, mas eu sempre digo a mesma coisa: “Leia o livro! É mais completo, é mais interessante, o personagem principal não tem cara de banana e isso estimula a sua imaginação!”

Mas, sim, eu me lembro de três momentos em que disse o contrário. Quando assisti ao filme “O Segredo do Vale da Lua” achei muito fraco, um roteiro muito mal escrito e cheio de furos, então pensei que o livro seria melhor. Nunca estive tão errada.

Uma série de suspense que eu gosto bastante chamada “Pretty Little Liars” vem de uma coleção de livros homônimos que me foi apresentada pela minha irmã. Concordo com ela, quando diz que milagrosamente, a série é mil vezes melhor que o livro. Já no caso de Crepúsculo… Quando me perguntam, eu digo “Os dois são ruins, mas no filme o tempo de sofrimento é menor.”

Mas apesar disso tudo, como eu disse na pergunta anterior, sempre tem aquela cena que é mais visual do que literária, que fica melhor na prática do que na teoria.

 

8. Sílvia, poderia nos contar de onde veio o seu gosto por livros? E pelo mundo cinematográfico?

Olha… eu nunca gostei de ler, só queria saber de ver TV. A maioria das crianças é assim.

Um belo dia, não sei o que aconteceu, que minha mãe me deixou de castigo, sem poder assistir televisão. Eu sempre obedeci, mesmo que ficasse sozinha em casa, minha consciência não me permitiria desobedecer. Mas esse dia ia passar um episódio de uma série que eu amava e pensei “Ah, mas é só por meia horinha…”, depois eu continuaria o meu castigo. Mas alguém devia estar pensando em alguma coisa maior para mim, porque a casa estava sem energia aquela tarde, logo, eu não poderia ver o meu programa…

Quando se é criança, a escola sempre sugere um livro para a classe ler, pois fazem provas em cima da obra escolhida. Lembro-me de que o livro em questão era “A Ilha Perdida” (Maria José Dupré).

Como eu não podia assistir ao meu programa, pensei em ler o livro pedido pela escola. Sentei-me em minha cama e comecei a ler.

Três horas depois eu fechei o livro, pensando em tudo o que eu perdi por ter preguiça de ler. Foi quando eu descobri que ler é fantástico. Meu pai me deu o meu primeiro livro, chamado “Grandes Vidas, Grandes Obras”, lindo. Antigo, capa dura, papel acetinado, quinhentas e quarenta páginas. O livro era dele e ele passou para mim, e eu me arrependo profundamente por não ter conseguido lê-lo, pois ele ficava guardado na edícula da minha casa. Um dia choveu muito forte e lá acabou inundando e estragou o livro. Não tinha salvação. Agora eu não acho mais esse livro para vender.

Depois disso eu passei a gostar mais e mais de leitura e decidi que teria uma biblioteca em minha casa. E agora eu tenho, inclusive, há quatro livros lá com coisas que eu escrevi. Dois contos e dois poemas. Estou muito feliz com o rumo que as coisas estão tomando.

 



et cetera
Amor literário

Resenhas de Livros

Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por @Cardisplicente

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Festival

Weekly Film Festival in Toronto & Los Angeles. Weekly screenplay & story readings performed by professional actors.

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: