World Fabi Books











Olá, readers!

Tudo bem?

Estamos de volta com mais uma entrevista do projeto “Figuras da Literatura Brasileira”!

Para quem não sabe, antes eu costumava colocar apenas uma breve entrevista com os autores, mas agora, eu quero incentivá-los a conhecê-los melhor e mostrar o quanto a nossa literatura é rica e maravilhosa!

Vamos quebrar tabus, eliminar alguns paradigmas negativos e arremessar para longe esse preconceito que muitos leitores têm a respeito dos autores brasileiros!

Aliás, para tentar promover uma aproximação maior de vocês com os escritores que passarão por aqui, pedimos para que cada um gravasse um vídeo de apresentando, indicando (ou recitando) algum outro autor nacional e aproveitar para deixar registrado o apoio deles à literatura brasileira!

E para a edição de hoje eu lhes trago o autor Nicolas Catalano!

Ele é a mente por trás do livro “Espelho dos Olhos (2015), sendo que o Nick já nos avisou que não vai parar por aí!!!

O segundo o senhor Catalano, ele já possui alguns livros escritos, porém, não publicados. “O único publicado até o momento é o Espelho dos Olhos, qual decidi torná-lo uma série. E eu o escolhi, pois sempre tive uma conexão maior do que com as outras histórias!“, comentou.

Além disso, o autor possui vários projetos!

Nesse momento, está dando foco ao seu novo livro, a continuação de “Espelho dos Olhos“, o qual vai se chamar “Espelho de Sangue” e, de acordo com ele, está prontinho! “Também, posso citar um projeto recente! Dia 25 de junho, ocorreu a abertura da Exposição Espelho dos Olhos, uma exposição de arte totalmente inspirada na obra, feita pela artista plástica, Giuliana Catalano (a minha irmã). Ah! Aliás, estou com um projeto muito bacana com a autora Dáfne Freitas, o Café de Autores, que visa unificar os autores nacionais, causando a valorização da literatura brasileira!!! Estamos com um site novinho: www.cafedeautores.com.br!“, informou.

Para quem quiser saber…

O Nicolas é paulista e tem 22 anos. Formado em Comunicação Social e Informática, é amante de coral, música, filmes, videogame, redes sociais, pessoas colecionáveis e café da tarde. À medida que os anos se passaram, ele sentiu extrema necessidade de criar e expressar histórias aos outros; quis tornar-se um escritor. Desde então, vem escrevendo contos, crônicas e ficções pessoais. Em 2011, prestes a lançar uma de suas histórias, teve a infelicidade de tê-la furtada. Porém, mesmo assim, não se abateu e continuou a escrever. Atualmente, ele vive em harmonia com sua família “nada normal”, no sudeste de São Paulo.

E para que vocês possam conhecê-lo um pouquinho mais, aqui está aquela conhecidinha parte da entrevista na integra!

W.F.B.: Qual é a sua opinião sobre a literatura nacional com relação à publicação de quadrinhos, tirinhas e charges?

nicolas catalanoN.C.: A literatura nacional vem crescendo a cada dia, apesar dos apesares. Aos poucos, os autores nacionais vêm ganhando espaço no próprio país, já que o Brasil valoriza bem mais os internacionais do que os nacionais. Porém, se iludem aqueles que pensam que autores de fora escrevem melhor do que o brasileiro! (Na realidade, não existe o melhor; cada um consegue absorver aquilo que lhe faz bem na leitura, é relativo). Aliás, temos um problema nos dias de hoje (mas sinto que já está diminuindo): livros de youtubers. Hoje, o foco da literatura brasileira está focada neles, tirando todo o mérito daqueles escritores de romance. Não desvalorizo nenhum youtuber, não… Mas, sinto uma ‘perda de sentido’ na literatura por causa deles, pois é uma moda passageira, desfocando o real intuito dos livros e seu verdadeiro significado. 

W.F.B.: E a respeito da internacional?

N.C.: Sobre a literatura internacional… Bem, ela é bem mais valorizada do que aqui. Os livros internacionais são bem escritos e montados (realmente), pois tem uma seriedade diferente! Lá fora a literatura é levada mais a sério, tem a valorização necessária… Se o Brasil valorizasse os autores nacionais, isso também poderia acontecer por aqui! 

W.F.B.: Poderia deixar uma mensagem para o pessoal?

N.C.: O mundo da literatura é único, mágico e feito das palavras mais duradouras! Ele é seu; ele é meu; ele é nosso! Você pode entrar e sair dele quando quiser, basta apenas ler!

Então, é isso readers!

Espero que tenham gostado e na semana que vem teremos mais uma celebridade para vocês!

Abraços, beijos e boa leitura!

….

Texto by Fabi

IMG_20150101_233612





Descanse em paz, meu amor…

 

Autor: Pedro Bandeira

 

.

.

.

 

 

“Há muita coisa que a gente não consegue explicar. Algumas, como as deste livro, nos deixam gelados de pavor. Mas o principal assunto desta história é a amizade, aquilo que a gente não precisa explicar.”– Pedro Bandeira

 

 

 

 

O livro de Pedro Bandeira traz a história de seis amigos, que acabam presos em um velho casarão durante uma assustadora tempestade. O grupo havia planejado uma aventura nas montanhas, mas, a surpresa da tempestade e um acidente horrível, os deixam ilhados nesse casarão que haviam alugado.

Sem luz e sem comunicação alguma com a civilização, os jovens aguardaram pacientemente por uma semana! A intensidade da tempestade aumentava e diminuía, mas a destruição deixada por ela ainda não lhes permitia deixar aquela casa, um lugar que espantosamente possuía um cemitério particular nos fundos.

Certa noite, se reúnem em um único cômodo do lugar, em uma espera em clima funesto, ouvindo o som macabro do vento e a dança sinistra da luz das velas. Apenas a presença alegre de Alexandre – um rapaz bonito, animado e disposto – parece surtir algum efeito no grupo.

O sorridente garoto simplesmente não parava de falar, estranhamente empolgado e entusiasmado com a ocasião, parecia não sentir a mesma tensão que as circunstâncias geravam nos demais. Afinal, por que tanto medo?

Pediram-lhe que os deixassem em paz, mas ele continuava a não entender a revolta e, ao invés de parar, tentou animar o momento. Alguns resmungos, principalmente vindo de Geraldo, um dos amigos, acusavam que aquilo era loucura, era sobrenatural. Mas, o único a encontrar graça nos comentários era Alexandre.

A espera se torna ainda mais longa e tortuosa, os seis amigos resolvem contar histórias de terror para passar o tempo. Contudo, essas arrepiantes histórias não servem apenas como distração. Na realidade, elas possuem um motivo muito mais sombrio para estarem sendo colocadas na roda.

Todos queriam que o amigo acreditasse em fantasmas. Precisavam convencer Alexandre de que o sobrenatural existe. Decidiram que cada um contaria uma história que soubessem.

Geraldo foi o primeiro. O garoto contou a história sobre uma noite de chuva e trovões. Sobre o vulto de uma menina que, de repente, aparecia na estrada pedindo socorro para sua mãe. Sobre um doutor que foi ajudar. Sobre um acidente de carro que não parecia ser o que realmente era.

Ludmila foi a próxima e passou a contar sua história. Um conto de um casal. Um casal que convidou dois amigos. Um casal que fez a brincadeira do copo. Um casal que acaba recebendo o pedido de socorro de uma menina.

Débora também entrou na sequência e, então, contou sobre um homem que foi preso. Preso por assalto a mão armada e acabara de sair da cadeia. Saiu e passou a cometer novamente alguns crimes. Matou uma mulher de forma assustadora. Cortou-lhe o dedo para tirar-lhe o anel valioso. Ganhou dinheiro. Enriqueceu. Conheceu uma mulher encantadora que o matou de susto.

Foi a vez de Silvio contar sobre um chefe de expedição que procurava uma tumba. Que buscava incessantemente. Que ficou trancado tentando desvendar o segredo. Que desvendou o segredo. Que ficou preso à eternidade julgando ter encontrado o amor de sua vida: uma múmia (Amah-thep). Que acabou por ter o cadáver nu encontrado abraçado a ela.

Com o decorrer das histórias, algo parece ir acontecendo aos poucos. O clima é de tensão e tristeza. Márcia, a namorada do garoto, parece assustada e desolada. Sempre com os olhos cheios de lágrimas… Sempre tentando evitar o seu grande amor… Mas, por quê?

O que de fato aconteceu naquele acidente?

Se estão curiosos, eu ALTAMENTE recomendo essa incrível obra do genial Pedro Bandeira!

 

 

Descanse em paz, meu amor…

 

 

 



et cetera
Amor literário

Resenhas de Livros 📖 💻 📝

Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por Blair Pttsn

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Writing and Film Festival Review

Feature Screenplay, TV Screenplay, Short Screenplay, Novel, Stage Play, Short Story, Poem, Film, Festival and Contest Reviews

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

Enquanto houver oxigênio

Respire mais uma vez e tente outra vez

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

%d blogueiros gostam disto: