World Fabi Books











O post de hoje vou começar diferente!

Iniciarei falando sobre…

A Corte dos Bruxos de Naminaroth. Um lugar maravilhoso, referência em conhecimento e poder. Entretanto, fachada para um cenário opressor e interesses ocultos. É ali que o então jovem mago tem acesso a pesquisas secretas dos bruxos, envolvendo um dragão, criatura pela qual ele é fascinado. A história gira em torno do ser que ele se tornou quando trocou todo o sangue de seu corpo pelo do dragão, e das amizades e paixões que construiu nesse meio tempo, enquanto procurava descobrir mais sobre a criatura, e mais sobre si mesmo.

Eis a sinopse da obra de Bruno Davi KretzmannO Mago de Naminaroth e a Fênix!

O Mago de Naminaroth e a Fênix

O livro AINDA não foi “publicado”, porém, está prestes! No dia 21 deste mês, o autor Kretzmann lançará a sua estória de estreia no mundo incrível da literatura fantástica!

Eu, Fabi, tive o prazer de ler a obra em primeira mão, já que, por algum motivo, ele confiou em mim e me passou o manuscrito para ler e avaliar.

Além de ter sido uma tremenda honra, devo dizer que fiquei encantada pelo enredo e pelas personagens! Eu já suspeita do talento pulsante de meu amigo escritor, contudo, ao ler O Mago de Naminaroth e a Fênix, pude, de fato, comprovar que Kretzmann realmente promete!

Para não dar muitos spoilers, pois, lhes garanto que o divertido do livro é ler de “surpresa”, vou tentar resumir um pouco as impressões que tive durante a leitura.

Inicialmente, devo dizer que este é um livro para se ler por lazer!

Ele tem a sua densidade e uma boa cota de sentimento, inclusive, podemos sentir o autor dentro de cada passagem da estória. No entanto, a obra não é algo como Game of Thrones, por exemplo. Digamos que a leitura está mais para a sensação que sentimos quando lemos Elantris, ou as Crônicas dos Senhores de Castelo, ou, então, livros da série Rangers.

Já adianto que você se prenderá, e muito, nos flashback’s contidos no meio da narrativa. E não precisam se preocupar com eles, pois, não são o tipo de flashback que quebra totalmente o ritmo da leitura e acaba estragando um pouco a expectativa.

Na verdade, esses momentos em que conseguimos vislumbrar o passado, apenas nos faz ficar ainda mais próximo dos personagens, o que, por um lado é ótimo, uma vez que, com isso, conseguimos criar uma empatia agradável. Contudo, por outro lado… Essa aproximação só aumenta o nosso sofrimento em momentos de tensão ou tristeza (por assim dizer) da estória! (ah sim! E os flashbacks do Bruno são beeeem menos do que os que o Eduardo Spohr costuma escrever! hehehehe…)

Aliás, Kretzmann me impressionou ao mostrar que sabe mesmo brincar com os sentimentos do leitor. Em alguns momentos, principalmente os de batalha, somos arrastados por uma narrativa louca e dinâmica, que faz com que nossos olhos dancem pela página, acompanhando cada golpe, piada ácida, pulo, lágrima, movimento, … Enfim, vamos devorando cada palavra, presos à adrenalina e ao nervosismo.

Ele também nos dá pausas para respirar, deixando que nos recupere e nos prepare para a próxima ação ou, até mesmo, notícia bombástica. Mexe com o nosso coração ao colocar a infância dos personagens com uma narrativa tão vivida e marcante, sendo que depois… Ah, depois! Ele estraçalha o órgão em nosso peito!

Mas, calma!

Como eu disse, ele não chega ao nível de George R. R. Martin. Dá para se apegar, sem ficar muito preocupado em sofrer! E quanto a esse estilo de narrativa, cheio de altos e baixos, com sentimentos leves e complexos; o autor decidiu revelar uma coisinha aos leitores:

“Adoro imaginar os diálogos, expressões e tons que os personagens usam nas conversas, muito mais do que as descrições. Gostei dos resultados das cenas de flashback em que os personagens ainda eram crianças. O retrato de suas emoções e pontos de vista sobre uma situação ou outra ficaram, a meu ver e conforme algumas opiniões que já recebi, bem verídicos e tocantes. Algumas cenas em específico são bem nostálgicas para mim, pois demorei alguns anos para concluir a obra, o que resultou em diferentes tons, bem dintinguíveis, em passagens diversas da obra, que refletiam meu humor e experiências pessoais pelas quais eu estava passando na época. Prometo não demorar anos para escrever os próximos livros! Já tenho cerca de 100 páginas de anotações para eles, algumas cenas prontas e tinha bem menos quando escrevi o primeiro.”

Interessante, não?

E o segredo para deixá-los ainda mais sedentos para ler a obra, é evitar dar spoilers e ressaltar que, realmente, esbarrei com mais um talento da literatura brasileira que promete!! Sem mencionar que as ilustrações da obra são LINDAS DEMAIS!!

Ilust Cap 1

É por isso que digo: Muito obrigada, Adalberto Souza, por deixar o trabalho de Bruno Davi Kretzmann ainda mais glamouroso! Seus desenhos são INCRÍVEIS!!!!

Bom…

Retomando!

No livro, juro que senti toques interessantes da mão de outros escritores! Não digo plagio!

LONGE DISSO!

Pelo contrário!

É possível perceber que o autor ter uma vasta bagagem de leitura, que o permitiu escrever uma estória tão linda, com uma narrativa tão diversificada e um enredo tão cativante! Senti…

  • um pouco do Eduardo Spohr na mania dos flashback’s;
  • uma pitada de Raphael Draccon na  “bibliografia” fantástica;
  • uma pincelada de Affonso Solano nas passagens “endeusadas”;
  • uma pontada de Leonel Caldela nos vários momentos “RPG”;
  • um dedinho do Renan Carvalho nos personagens…

Enfim, dá para sentir muita coisa: Terry BrooksTony DiTerlizziUrsula K. Le GuinRobin HobbChristopher PaoliniTerry Pratchett (que, infelizmente, nos deixou a pouco tempo)Anne Bishop, Raymond E. Feist, Brandon Sanderson, Stephen R. LawheadJohn Flanagan, Philip PullmanG.Brasman (Gustavo Girardi)G.Norris (Gustavo Tezelli)Diana Gabaldon, Renata VenturaÁlvares de Azevedo, C.S. Lewis, Willian Donadon, Denise Flaibam, J.R.R. TolkienMarion Zimmer Bradley,  Lewis CarrollDa ChenJoseph DelaneyCornelia FunkeNeil Gaiman, Trudi CanavanAlexandre Lobão, Orlando Paes FilhoJuliet MarillierDaniela PalumboLicia Troisi, etc…

São tantas influências, porém, ao mesmo tempo, é possível encontrar uma narrativa tão única… Que surpreende!

E mesmo eu não tendo certeza alguma se ele já leu obras de todos estes autores, para mim, foi bem claro senti-los, como mentores, ao lado de Kretzmann, enquanto ele escrevia! Bem como, a influência dos jogos de mesa/tabuleiro (também conhecidos como tablegames) e de RPG, na forma de escrita, algo que o autor confirma:

“Stephen King escreveu uma vez algo sobre não estar inventando histórias, mas sim contando histórias que precisam ser contadas. Eu gosto de imaginar a mesma coisa sobre esse universo que criei junto de meu primo e minha esposa. As histórias sempre vieram naturalmente em minha mente e, mesmo quando eu achava que tinha chego a um beco sem saída, a própria história me conduzia onde eu tinha que chegar. O Mago de Naminaroth e a Fênix abre as portas para histórias antigas que escrevíamos desde criança, quando nós nos fazíamos de personagens e sonhávamos com superpoderes, aventuras e descobertas mágicas. E isso é comum a muitas pessoas, por isso eu acredito que a mensagem do livro acabe despertando certa familiaridade nos mais diversos leitores. Tem um pouco aqui de aventuras de RPG (Role Playing Game) que joguei também, além de textos inacabados de nós três, citações reais de pessoas que eu conheci e uma mescla ousada de realidade e fantasia. Quando criamos o Grupo Além do Muro com o objetivo de lançar nossos projetos ao público, nós decidimos criar um universo onde todas as nossas histórias coexistissem. E quando eu digo todas, eu digo todas mesmo. Então vocês podem esperar mais títulos depois dO Mago. Uns parecidos, outros completamente diferentes, mas com algum detalhe que vai fazer você voltar a página e relê-la várias vezes, se questionando se você já viu aquilo em algum outro lugar.” (e se você quiser saber mais sobre o Grupo Além do Muro, clique AQUI)

De qualquer forma, eu lhes garanto que este livro é um sucesso e você podem lê-lo sem medo algum!

E, é por isso, que vou reforçar que o lançamento, pela Editora In House, acontecerá durante um dos encontros do Grupo Além do Muro!

  • Data: 21 de março de 2015 (sábado);
  • Horário: das 11h ás 18h;
  • Local: Biblioteca Pública Municipal “Prof. Nelson Foot”, localizada na Avenida Dr. Cavalcanti, nº 396, bairro Vila Arens, em Jundiaí (CEP.: 13201-003);
  • Preço: R$ 39,90
  • Informações: O pessoal da editora estará no evento até ás 13h, com a maquininha de cartão, caso alguém não queria ou não tenha como pagar em dinheiro (depois deste horário, só poderemos comprar o livro pagando em espécie mesmo, pois não terá como passar o cartão)

E, lembrando, como o evento é do Grupo Além do Muro, além do lançamento e da sessão de autógrafos, os leitores/participantes poderão usufruir de outros atrativos na programação do dia, como:

  1. Mesas disponíveis para ensinar e aprender jogos de tabuleiro modernos, com um fabuloso acervo de jogos, graças aos parceiros, como Galápagos e Grow. Lembrando que vocês também podem levar os seus jogos!
  2. Campeonato regional de Carcassone! Valendo um Carcassonne Mares do Sul e a uma vaga no Campeonato Nacional! (mas, para participar, é preciso enviar um email para inscricao@alemdomuro.com.br, com o nome completo, email para contato e data de nascimento)!
  3. Lançamento do Livro O Mago de Naminaroth e A Fênix de Bruno Davi Kretzmann, com tarde de autógrafos e leitura de trechos da obra!
  4. Lançamento do Portfólio de Ilustrações de Adalberto F. Souza, responsável pelas fantásticas artes de O Mago de Naminaroth e a Fênix!
  5. Presença de Designers e Lojas de Jogos, tais como: Boomer Brinquedos, BG Express, Funbox e Medieval Toys!
  6. Distribuição Fantástica de Pokemons! Ação que será realizada em homenagem ao lançamento da obra,  além da distribuição de Ho-Oh’s e Mega-salamence’s, com apelidos relacionados a importantes personagens do livro!
  7. Para quem precisar, serão emitimos certificados de horas complementares para faculdades e afins (basta solicitar a organização do evento).
  8. Haverá pasteis, churros, refrigerantes, entre outras coisas mais, sendo que o consumo de comidas e bebidas no local irá ajudar o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (CEDECA)!
  9. Quem quiser, poderá jogar e participar das mais épicas aventuras com o grupo de RPG: os Protetores do Reino!
  10. É permitido levar qualquer portátil e jogar com os demais participantes da Mureta 3DS, com: Pokemon, Smash Bros., Mario Kart, Monster Hunter e muito mais! Os participantes poderão jogar tanto pela diversão como para competição também, entrando nos torneios premiados organizados pela Liga N-Blast de Jundiai!
  11. Aqueles que forem ao evento, poderão escolher seu clã e batalhar contra seus amigos!
  12. E os organizadores também estão incentivando o pessoal a levar H.Q.’s velhos, pois neste evento, estarão arrecadando doações de histórias em quadrinhos, que, além de valer pontos para seu clã, ajudará (e muito) o pessoal da biblioteca!

Acompanhe mais detalhes sobre o evento, clicando AQUI!

Jogos Além do Muro

 

E se vocês quiserem conhecer um pouco mais sobre o livro, basta clicar no link a seguir e ler um pedacinho da obra:

O Mago de Naminaroth e a Fênix – O Conto do Cavaleiro de Jade 

Texto by Fabi

IMG_20150220_121010

 

 

 



halloween_book

Olááá, vivos e desencarnados!

Como estão nossos queridos leitores e nossas adoradas leitoras nesse dia de festividades macabras?

O WorldFabiBooks preparou para vocês um Especial de Halloween com alguns livrinhos interessantes para lerem ou relerem nesse período sombrio!

Esperamos que gostem…

Uma boa pedida é sempre começar com escritores, cuja reputação é pautada em obras de terror e suspense, ou seja, com enredos sempre regados com loucura, sangue, criaturas sombrias e finais delirantes!

Portanto, seria interessante ler livros da fantástica…

Anne Rice

Anne_Rice1

E para orientá-los melhor, aqui estão algumas obras da escritora norte-americana:

  • Série Crônicas Vampirescas: Entrevista com o Vampiro; O Vampiro Lestat; A Rainha dos Condenados; A História do Ladrão de Corpos, Memnoch; O Vampiro Armand; Merrick; Sangue e Ouro; Fazenda Blackwood e Cântico de Sangue.
  • Série Novos Contos de Vampiros: Pandora e Vittorio, o Vampiro.
  • Série Bruxas Mayfair: A Hora das Bruxas I; A Hora das Bruxas II; Lasher e Taltos.
  • Série Songs of the Seraphim: Tempo dos Anjos e De Amor e Maldade.
  • Romances únicos: A Festa de Todos os Santos; Chore para o Céu; A Múmia ou Ramsés, o Maldito; O Servo dos Ossos e Violin
  • Conto: ela possui vários, mas, um que fez sucessinho por aqui foi o O Senhor de Rampling Gate, publicado no Brasil no livro “Os 13 Melhores Contos de Vampiros”, de Flávio Moreira da Costa.

E muitooooos outros títulos!! O que não faltam (ainda bem) são livros da Anne Rice por aí, prontinhos e totalmente disponíveis!!

O próximo da lista é um escritor mundialmente conhecido, que possui inúmeras obras de terror e suspense pelo mundo, sem mencionar filmes e seriados baseados em seus textos. Esse escritor já tirou o sono de muita gente e, portanto, nós altamente recomendamos que leiam qualquer livro dele, o macabro…

Stephen King

stephen-king1

E aqui vão algumas dicas de livros desse escritor norte-americano que vocês podem ler:

  • Ficção: Carrie, a Estranha;Salem; O Iluminado; A Dança da Morte; A Zona Morta; A Incendiária; Cão Raivoso; Christine; Cemitério Maldito;A Hora do Lobisomem; A Maldição; O Talismã (escrito com Peter Straub); A Coisa; Os Olhos do Dragão; Angústia; Os Estranhos; A Metade Negra; Trocas Macabras; Jogo Perigoso (ou o Jogo de Gerald); Eclipse Total; Insônia; Rose Madder; À Espera de um Milagre; Desespero; Saco de Ossos; A Tempestade do Século; O Apanhador de Sonhos; A Casa Negra (escrito com Peter Straub); Buick 8; O Rapaz do Colorado; Celular; LOVE: A História de Lisey; A Névoa; Duma Key; Sob a Redoma; Blockade Billy; 11/22/63; Joyland e Doctor Sleep.
  • Não ficção: Dança Macabra; Janela Secreta;Nightmares in the Sky: Gargoyles and Grotesques
  • Contos: Sombras da Noite; Quatro Estações; Tripulação de Esqueletos; Depois da Meia-noite; Pesadelos e Paisagens Noturnas I; Pesadelos e Paisagens Noturnas II; Six Stories; Corações na Atlântida; Tudo é Eventual e Ao Cair da Noite.
  • Serie A Torre Negra: O Pistoleiro; A Escolha dos Três; As Terras Devastadas; Mago e Vidro; Lobos de Calla; Canção de Susannah; A Torre Negra e O Vento pela Fechadura.
  • Sob o pseudônimo de Richard Bachman: A Auto-Estrada; O Concorrente; A Maldição do Cigano; Os Livros de Bachman; Justiceiros e Blaze.

E mais um monte de títulos pelo mundo, pois, o Stephen King é como uma máquina de escrever que está sempre ligada: tem sempre um texto novo saindo!

A seguir, vamos falar do incrível escritor responsável pelo aclamado Sandman e, mais recentemente, por O Oceano no Fim do Caminho, o formidável…

Neil Gaiman

neil-gaiman1

Algumas das obras que podemos indicar desse escritor norte-americano, são:

  • Romances e Contos: Good Omens; Lugar Nenhum; Fumaça e Espelhos; The Day I Swapped My Dad for Two Goldfish; Stardust; Deuses Americanos; Coraline; The Wolves in the Walls; Melinda; Os Filhos de Anansi; Coisas Frágeis I; Coisas Frágeis II; M is for Magic; InterWorld; Odd e os Gigantes de Gelo; The Dangerous Alphabet; Livro do Cemitério; Blueberry Girl; Crazy Hair; Instructions; Fortunately, the Milk; O Oceano no Fim do Caminho e The Silver Dream.
  • HQ’s: Sandman: Prelúdios e noturnos; Sandman: A casa de bonecas; Sandman: Terra dos sonhos; Sandman: Estação das brumas; Sandman: Espelhos distantes; Sandman: Um jogo de Você; Sandman: Convergência; Sandman: Vidas breves; Sandman: Fim dos mundos; Sandman: Entes queridos; Sandman: Despertar; Sandman: Exílio; Sandman: A tempestade (75); Sandman: Sonho de uma Noite de Verâo; Violent Cases; Orquídea Negra; Mr. Punch; Livros da Magia; Sandman: Os Caçadores de Sonhos; Morte: A Festa Em uma homenagem a Gaiman; Morte: O Preço da Vida A cada século; Morte: O Grande Momento da Vida; Capas na areia; Noites Sem Fim; A Lenda da Chama Verde e Mister Lo.

E além destes títulos, podemos encontrar muitos outros trabalhos de Neil Gaiman pelo mundo, desde livros e HQ’s, até seriados e filmes!

Agora, vamos dar dicas de obras de um escritor conterrâneo. Ele é um ótimo autor que já conquistou milhares de leitores pelo Brasil e, agora, também começou a ter uma legião de fãs fora de nossas fronteiras! Com vocês, o sanguinário…

 

André Vianco

andré-vianco1

As obras que vamos indicar deste escritor brasileiro, são:

  • Romances: O Senhor da Chuva; Os Sete; Sétimo; Sementes no Gelo; A Casa; Vampiro Rei I: Bento; Vampiro Rei II:A bruxa Tereza; Vampiro Rei III: Cantarzo; O Turno da Noite I: Os Filhos de Setimo; O Turno da Noite II: Revelações; O Turno da Noite III: O Livro de Jó; O Caminho do Poço das Lágrimas; O Caso Laura e A Noite Maldita – Crônicas do Fim do Mundo.
  • Graphic Novels:Vampiros do Rio Douro I; Vampiros do Rio Douro II e Turno da Noite: Escuridão Eterna.

Felizmente para nós, o André Vianco não pretende parar de escrever e, por isso, continuaremos a ver e ler suas obras por um bom tempo!

Há outro escritor, ou melhor, há outros dois escritores de nossas terras que está esperando para aparecer nesta lista! Eles já conquistaram milhares de fãs dentro e fora do Brasil e possuem uma forma bem singular e única de escrever. Lhes apresento o casal fantástico…

 

Raphael Draccon & Carolina Munhóz

raphael-draccon-e-carolina-munhoz

Os livros desses dois que nós vamos indicar (se preparem), são:

  • Draccon: Dragões de Éter: Caçadores de Bruxas; Dragões de Éter: Corações de Neve; Dragões de Éter: Círculos de Chuva; Fios de Prata: Recosntruindo Sandman e Espíritos de Gelo.
  • Munhóz: A Fada; O Inverno das Fadas e Feérica.

Apesar de nem todas as obras terem sua parte “sombria”, acreditamos que os livros de Raphael Draccon e Carolina Munhóz valha muito a pena ler, principalmente no halloween, quando a magia corre solta ao lado do terror!

E mais um escritor para encerrar nossa seção de autores deste post! Ele possui livros impressionantes, sendo que cada obra varia o tema, nunca o repetindo até o momento. Agora, vos falo sobre o inteligente…

 

Nelson Magrini

nelson-magrini

As obras que vocês precisam ler desse escritor, são:

  • Obras: Anjo – A Face do Mal; Anjo – A Face do Mal II: Ceifadores; Relâmpagos de Sangue; Os Guardiões do Tempo
  • Contos: Em Nome da Fé, na antologia Anjos Rebeldes; Isabella, na antologia Amor Vampiro.

E esse escritor não para de atuar e escrever, portanto, para nossa felicidade, não deixaremos de ver, por um bom tempo, Nelson Magrini em eventos e nas prateleiras!

.

.

.

 

Agora, para finalizar este post aterrorizante, deixamos para vocês uma grande, porém de coração, lista de livros para ler no Dia das Bruxas ou quando desejarem!! (nem todos os livros são assustadores, muitos são para aqueles “fracos de coração”, mas que amam magia e uma ótima leitura!!)

 

Lista de livros para o Halloween

halloween_livros



Olá, queridos e queridas!

Estamos de volta com mais algumas dicas de escrita para aqueles que aspiram se tornar ícones do mundo da literatura. E, para tanto, o WorldFabiBooks está trazendo oito dicas ótimas do consagrado e premiado escritor Neil Gaiman!

O jornal britânico The Guardian pediu a alguns dos autores mais célebres da atualidade que compartilhassem com o público seus mandamentos de redação e foi daí que nós pegamos essas tais dicas.

Tal inspiração do The Guardian veio das dez regras de escrita de Elmore Leonard publicadas no The New York Times e posteriormente no Explore, “essas regras eu compilei ao longo do caminho para me ajudar a continuar invisível enquanto escrevo um livro, para mostrar em vez de apenas dizer o que está acontecendo na história, disse o autorInfelizmente, Elmore John Leonard Jr., mais conhecido como Elmore Leonard mesmo, faleceu há alguns meses, no dia 20 de agosto deste ano.

elmore-leonard

 

Ele faleceu com 87 anos e foi um excelente escritor e um ótimo roteirista estadunidense, sendo que as primeiras novelas foram publicadas nos anos 50 e eram do gênero western. Mas,apesar de Leonard fazer muito sucesso com o estilo, ele se especializou em romances policiais e thrillers, muitos dos quais foram adaptados para o cinema. Ao todo, o autor lançou 45 livros, entre faroestes, romances policiais e de suspense.

Entre alguns dos trabalhos mais conhecidos (que foram parar no cinema) estão Get ShortyOut of Sight, HombreMr. Majestyk e Rum Punch, este último adaptado para o cinema por Quentin Tarantino como Jackie Brown. Alguns de seus contos também se tornaram filmes, como Three-Ten to Yuma e The Tall T, assim como Justified que até hoje é uma conhecida série de televisão exibida no canal FX.

Leonard estava trabalhando em seu 46º livro quando sofreu um derrame há três semanas, que acabou o vitimando.

Bom…

Voltando ao Gaiman, aqui estão as oito dicas que ele ofereceu ao The Guardian e nós estamos “repassando” para vocês:

 

neil_gaiman_dicas

 

  1. Escreva.
  2. Escreva uma palavra depois da outra. Encontre a palavra certa, escreva-a.
  3. Termine o que você está escrevendo. Faça o que for preciso para terminar, e termine.
  4. Coloque o texto de lado. Leia fingindo que você nunca leu antes. Mostre-o a amigos cuja opinião você respeita e que gostem daquele tipo de coisa.
  5. Lembre-se: quando as pessoas dizem que algo está errado ou não funciona para elas, estão quase sempre certas. Quando dizem exatamente o que você está fazendo de errado e como corrigir, estão quase sempre erradas.
  6. Corrija. Lembre que, mais cedo ou mais tarde, antes que o texto fique perfeito, você precisa seguir em frente e começar a escrever a próxima coisa. Perfeição é como perseguir o horizonte. Continue escrevendo.
  7. Ria de suas próprias piadas.
  8. A principal regra da escrita é que, se escrever com segurança e confiança suficientes, você pode fazer o que quiser. (Essa pode ser uma regra para a vida, assim como para a escrita.) Então, escreva a sua história como ela precisa ser escrita. Escreva-a com honestidade e conte-a da melhor forma que você puder. Eu não sei com certeza se existem outras regras. Pelo menos, não as que importem…

 

E então?

As oito dicas valeram?

E para quem ficou curioso, aqui vai as dez dicas de Elmore Leonard:

  1. Nunca abra um livro com o clima: Se for apenas para criar uma atmosfera, e não a reação de um personagem ao clima, você não deve se alongar muito. O leitor vai ficar tentado a folhear as próximas páginas à procura de pessoas. Há exceções. Se acontecer de você ser Barry Lopez, que tem mais maneiras de descrever gelo e neve do que um esquimó, você pode fazer todos os relatórios de tempo que você quiser.
  2. Evite prólogos: Eles podem ser irritantes, especialmente um prólogo depois de uma introdução que vem após um prefácio. Mas estes são normalmente encontrados em não-ficção. Um prólogo num romance é história de bastidores e você pode encaixá-las em qualquer lugar que você queira. Há um prólogo em “Doce quinta-feira”, de John Steinbeck, mas ele é ok. porque um personagem do livro toca num ponto em comum com as minhas regras. Ele diz: “Eu gosto de muita conversa em um livro e eu não gosto de ter alguém me falando com o que o cara que está falando se parece. Eu quero descobrir como é pela maneira com que ele fala… descobrir o que o cara está pensando pelo que ele fala. Eu gosto de alguma descrição, mas não muita…”
  3. Nunca use um verbo além de “disse” para relatar o diálogo: A linha de diálogo pertence ao personagem: o verbo é o escritor metendo seu nariz. Mas “disse” é muito menos invasivo do que “resmungou”, “engasgou”, “advertiu”, “mentiu”. Uma vez, eu notei Mary McCarthy terminando uma linha de diálogo com “ela asseverou” e tive que parar de ler para consultar o dicionário.
  4. Nunca use um advérbio para modificar o verbo “disse”: “… ele admoestou gravemente”. Usar um advérbio desta maneira (ou de quase qualquer outro jeito) é um pecado mortal. O escritor está agora expondo-se seriamente, usando uma palavra que distrai e pode interromper o ritmo da troca com o leitor. Uma personagem de um dos meus livros conta como ela costumava escrever romances históricos “cheios de estupros e advérbios”.
  5. Mantenha os pontos de exclamação sob controle: Você não tem permissão para usar mais de dois ou três a cada 100 mil palavras em uma prosa. Se você tem a destreza para brincar com exclamações como o Tom Wolfe faz, você pode jogá-las aos punhados.
  6. Nunca use as expressões “de repente” ou “o mundo desabou”: Esta regra não requer uma explicação. Eu tenho notado que os escritores que usam “de repente” tendem a exercer menos controle na aplicação dos pontos de exclamação.
  7. Use dialeto regional, gírias, com moderação: Uma vez que você começa a soletrar foneticamente as palavras dos diálogos e de encher a página com apóstrofos, você não será capaz de parar. Observe a forma como Annie Proulx capta o sabor das vozes do Wyoming em seu livro de contos “Curto alcance”.
  8. Evite descrições detalhadas dos personagens: Essas, Steinbeck dominou. Em “Colinas parecendo elefantes brancos”, de Ernest Hemingway, como o “americano e a menina com ele” se parecem? “Ela tirou o chapéu e o colocou sobre a mesa”. Esta é a única referência a uma descrição física na história e, ainda assim, vemos o casal e reconhecemos o tom de suas vozes, com nenhum advérbio à vista.
  9. Não entre em muitos detalhes descrevendo lugares e coisas: A menos que você seja Margaret Atwood e possa pintar cenas com a linguagem, ou consiga descrever paisagens com o estilo de Jim Harrison. Mas, mesmo que você seja bom nisso, você não vai querer que as descrições levem a ação, o fluxo da história, a uma pausa.
  10. Tente deixar de fora a parte que os leitores tendem a pular: Uma regra que me veio à mente em 1983. Pense no que você pula quando lê um romance: parágrafos grossos de prosa em que você vê palavras demais. O que o escritor está fazendo: ele está escrevendo, talvez recorrendo mais uma vez ao clima, ou então está na cabeça do personagem. O leitor não quer saber o que esse cara está pensando ou não se importa com isso. Aposto que você não pula os diálogos.

E para finalizar, Leonard complementou as dicas/regras, com uma simples frase: “Minha regra mais importante é uma que resume todas essas dez: se soa como escrita, eu reescrevo.”



No dia 18 de junho o mundo colocou as mãos na mais recente obra de sucesso do autor Neil Gaiman, um consagrado escritor de romances e quadrinhos inglês.

Portanto, há quase um mês o livro O Oceano no fim do Caminho, do senhor Gaiman, foi lançado pela Editora Intrínseca e vem ganhando público a uma velocidade surpreendente!

Segundo o autor, a obra é “uma história sobre magia, o poder das histórias e como enfrentar a escuridão dentro de cada um de nós. É sobre medo, amor, morte e famílias. Mas fundamentalmente espero que, na essência, seja um romance sobre sobrevivência.”

Já há quem diga que, assim que você pega o livro para ler, já reconhece alguns elementos característicos do ilustre escritor. (então, provavelmente eu vá pensar: “isso é a cara do Gaiman!”) Como, por exemplo, as referências às pessoas queridas por ele que o próprio colocou dentro da obra, visível somente para quem conhece o minimo de sua vida profissional e particular.

Como sempre, Neil Gaiman conseguiu agradar a sua horda de admirados ao pegar, mais uma vez, crianças como personagens principais e jogá-las em enredos apavorantes, totalmente alucinogênicos, mirabolantes e brilhantes. Alguns leitores por aí andam dizendo que a obra lembra bastante outro título do escritor, o Coraline, porém com uma cara “mais madura”, talvez por se tratar das memórias de um homem com mais de quarenta anos.

Enfim…

Estou com um friozinho na barriga para ler O Oceano no fim do Caminho! E você?

 

o oceano no fim do caminho

 

Sinopse oferecida pela Editora Intrínseca: 

Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.

Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.

Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.



et cetera
Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por @Cardisplicente

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Festival

Weekly Film Festival in Toronto & Los Angeles. Weekly screenplay & story readings performed by professional actors.

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

Baú de Histórias

Em construção!

%d blogueiros gostam disto: