World Fabi Books











{outubro 8, 2014}   No meu tempo de Criança

Atenção, atenção!!!

O querido Nelson Manzatto, organizou uma antologia lindo chamado “No meu tempo de Criança“, no qual ele reuniu a história de 36 personagens, ou melhor, de 36 protagonistas., sendo todos leitores de seu blog (clique AQUI para dar uma olhada).

livro2

Essas 36 pessoas tiveram seus textos selecionados por ele e, cada uma, conta um momento marcante de sua infância, levando os leitores a criar uma empatia nostálgica instantânea com a obra publicada pela Editora In House!

No livro, podemos ver histórias engraçadas, tristes, emocionantes, divertidas, típicas e até com uma moralzinha no final!

E é com graaaaande orgulho que, nós do World Fabi Books, informamos que a nossa colaboradora (e criadora) Fabiane Zambelli de Pontes é uma das 36 personagens da antologia!!!!

no meu tempo de criança

O evento de lançamento de “No meu tempo de Criança” será na próxima sexta-feira, dia 10 de outubro, a partir das 19h00min, na Biblioteca Pública Municipal Prof.º Nelson Foot, em Jundiaí

O Lucro na venda dos livros será revertido para o Centro Educacional João de Deus-CEJD.

Colabore e participe!

E se quiser dar uma olhadinha na Página do Evento, clique AQUI!!

escrevendo



{maio 28, 2013}   Devaneios do dia!

Hoje, o  amanhecer foi chuvoso, mantendo o exato padrão do dia (e noite) anterior!

E com esse clima frio, regado por uma chuva periódica, quase constante, muitos acabam se entregando à preguiça, ao sono, ao cansaço, à melancolia, à nostalgia… Enfim, os sentimentos que costumam surgir são parecidos e diversos, quase que coletivos.

No caminho para o trabalho, fiquei a observar a chuva molhar a estrada, bater no vidro do carro e criar pequenos riachos pelos acostamentos… Fiquei divagando, meditando, pensando no sentido da vida e tudo o mais.

Prendi-me ao sentimento que dias assim despertam nas pessoas e deixei minha mente viajar, até que…

chuva-que-molha-a-terra

Eu: Pai, eu estava pensando… Chuva e choro em italiano são palavras bem parecidas.

Meu pai: Ah é? E como é em italiano?

Eu: Pioggia e Pianto, sendo que o verbo chorar é  Piangere... E chover é Piovere. Olha só… Pioggia, Piangere, Piovere, Pianto…Usando verbos e substantivos fica ainda mais parecido!

Meu pai: Interessante…

Eu: Mas… – parei para pensar novamente. – Se formos analisar, em português as palavras também são parecidas né?

Meu pai: São parecidas, mesmo.

Eu: Chuva, choro, chorar, chover…

Meu pai: É tudo bem parecido mesmo.

Eu: Em espanhol também é parecido! Chuva é Lluvia, choro é Lloro, chover é Llover e chorar é Llorar

Meu pai: Em espanhol parece ser tudo mais parecido ainda.

Eu: Tem o francês também. Choro, se não me engano, é Pleurs… Chorar é Pleurer… Hm… Chuva é Pluie e, pelo o que lembro, chover é Pleuvoir… Ou é chuveiro, não lembro direito. Hehehe…

Meu pai: De qualquer jeito, ficou até mais sofisticado! E em inglês?

Eu: Então… Em inglês não é parecido. Chuva, Rain, chover, to Rain, choro, Cry, chorar, to Cry… Mudaria um pouco se colocarmos no gerúndio, que chovendo fica Raining e chorando fica Crying… Rain e Cry não são parecidos.

Meu pai: Que sem graça…

Eu: Pois é…

EHKL7hKsSegKSIjUBlrD

Fiquei refletindo sobre isso.

Quando as palavras soam parecidas, parece que transformamos em música a união das mesmas. Damos beleza à sonoridade e até oferecemos margem à poesia e ao nosso “eu lírico”.

Afinal…

O choro é como uma chuva de lágrimas vinda de nossa alma.

A chuva é como o choro divino vindo dos céus.

Chorar é a ação de nossos sentimentos, os quais chovem sobre nós…

Chover  é a ação dos deuses, que choram pela humanidade…

Viram só como fiquei poética? Hehehe…

Dias assim podem transformar devaneios em poesia! Não é mágico?

ANGUSTIA



{junho 5, 2012}   Blocos de Madeira Castelo

Blocos de Madeira Castelo

 

Ando num momento nostalgia…
Enfim…
Quem aqui já brincou com esses bloquinhos de madeira?
Eu brinquei! E brinquei muitoooooooo!!!
Esses blocos de madeira eram ótimos brinquedos para as crianças na época e estimularam muito a criatividade de alguns pimpolhos, assim como a minha! Para mim, era muito divertido brincar com eles!
O brinquedo era normalmente encontrado em lojas de RS$1,99 e vinha em formato de pacotes com dezenas de bloquinhos dentro. As peças eram simples e continham desenhos que ajudavam ilustrar o provável intuito do bloco… Eram muros, telhados grandes e pequenos, casas e até uma torre do relógio.
Hoje, ainda é possível encontrar brinquedos parecidos com esse, mas… Não é a mesma coisa… (quem brincou com os Blocos de Madeira Castelo, sabe o que eu quero dizer… hehehehe…)
Que saudades daquela época feliz!


et cetera
Amor literário

Resenhas de Livros

Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por @Cardisplicente

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Festival

Weekly Film Festival in Toronto & Los Angeles. Weekly screenplay & story readings performed by professional actors.

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: