World Fabi Books











Sempre nos disseram que coisas ruins devem ser deixadas no passado, que devemos aprender a perdoar a nós mesmo e ao nosso próximo, principalmente a quem nos tenha atingido… Independente da religião, da etnia e dos valores de cada um, ao menos uma vez na vida ouvimos estas palavras e nos tentaram ensinar o quão importante elas são para que nossas vidas possam ser felizes e prósperas…

Sinceramente, concordo com tudo isso, sendo que eu mesma já preguei este ensinamento em muitos momentos de minha vida e, principalmente, em muitas ocasiões em que ofereci conselhos e um ombro amigo. Mas, também devo acrescentar que a teoria é muito diferente da prática. A palavra, nem sempre, espelha a vida real. E Para tudo há um equilíbrio e uma exceção!

Sim, devemos mesmo sempre caminhar em frente, evitando retroceder. E para isso, precisamos olhar para o amanhã, aproveitando o hoje e deixando passar o ontem. Contudo, ás vezes, também é preciso dar um passo para trás, a fim de melhorar o seu caminho e o daqueles que, por ventura, possam escolher trilhar a mesma estrada que você percorreu. Ás vezes, por exemplo, precisamos voltar por aquela pedra que deixamos para trás, para recolocá-la em outro lugar, um lugar onde ela possa a vir útil e/ou no mínimo onde ela não vá incomodar quem poderá passar por aquele trecho de trajetória.

Soou um tanto vingativo, não?

Pois bem… A novidade nem tão nova assim, é que eu sou mesmo vingativa! Escorpiana com muito orgulho!

Porém, eu sei o quanto a vingança pode se tornar uma faca de dois gumes e me machucar. Sei que o veneno dela pode prejudicar o suficiente os meus supostos inimigos, tanto quanto um dia possa vir a me fazer adoecer! Portanto, sempre a mantive em rédea curta. Em alguns momentos ela escapa através de um olhar ou, pior, de alguma palavra. Mas eu sempre tento mantê-la o mais presa dentro de mim o quanto me é possível, só que há momentos em que ela é mais forte do que eu…

E com todas as minhas experiências, descobri que ser vingativa não é ruim… O ruim é gostar de ser assim! 

Se você tenta a todo custo controlar este seu lado e num determinado momento ele se torna mais forte e escapa, não é o fim do mundo! Você não se torna mais um servo de satã ou o próximo Hitler por causa disso! Você tentou! E o que vale, foi a tentativa! Se a vingança ocorreu, foi porque o seu instinto de proteção foi o grande aliado dela! 

Muitas vezes, a vingança faz o papel da protetora, cuidando para que quem nos fez mal não volte a fazer e que, principalmente, não vá a fazer mal para aqueles que amamos (que muitas vezes se tornam vítimas inocentes no meio do tiroteio)!

Sabe… Não viemos ao mundo para nos tornarmos saco de pancada e degrauzinho de ninguém! Cada um deveria alcançar a própria felicidade e satisfação pessoal através dos próprios méritos, sem precisar derrubar ou prejudicar o próximo para o conseguir! 

Concordo que devemos relevar muita coisa na vida, senão viveremos cheios de rancor e ódio no coração, esquecendo o que realmente nos é importante. No entanto, tudo tem limites, certo?

Por quê eu devo sempre me colocar no lugar do próximo para entender o motivo pelo qual ele me fez mal? Sendo que ele dificilmente se colocará em meu lugar e aproveitará essa brecha de paz para tentar me fazer mais mal ainda?

Por quê eu devo controlar o meu lado vingativo, sendo que, com certeza, ele não controlou o dele?

Por quê devo ser sensata, sendo que na primeira oportunidade de conversa, a primeira coisa que a pessoa faz é tentar me atacar e me prejudicar diante de quem me é importante?

Por quê não posso me defender, quando claramente o outro me atacou apenas pela máxima “deixa eu atacar, antes que sobre para mim, pois sei que fiz algo idiota e se rei julgado”?

Por quê?

Porque devemos sempre oferecer a outra face, certo?

E quando as “faces” se acabam e você cansou de ser espancado? 

Pois bem… 

É nessas horas que a sua vingancinha toma forma e tamanho, escapando de suas mãos!

Você tentou, mas, como eu disse, tudo tem seu limite!

Você tentou se controlar, tentou entender, tentou conversar, tentou compreender, tentou concertar, mas o veneno continuou solto… E como eu disse, o veneno pode acabar adoecendo que o expele. Neste caso, a doença da pessoa é a sua vingança!

Não foi você quem começou, mas será você quem irá terminar com isso, antes que haja mais feridos! E, infelizmente, quando mais nada funciona, é neste momento em que devemos ser mais humanos do que santos e mostrar o quão forte você pode ser! Chegou o momento de mostrar o que realmente é temer a reação de alguém!

Monstruoso, não?

Sim, você se torna um monstro! O médico dá lugar à monstruosidade…

Você se transforma em uma espécie de Hulk! rs… 

Porém, você está sendo sincero!

Acho o cúmulo da hipocrisia aqueles que sempre dizem que querem que tudo acabe bem, que nunca fizeram mal à ninguém, que não sabem o porquê de terem levado na cabeça ou que julgam quem se vinga!

De fato, sempre tentamos fazer com que tudo acabe bem, mas quando uma das parte demonstra que isso é praticamente impossível, então, o jeito é fazer que tudo acabe bem para você e para as pessoas que ama! Ao menos a tal pessoa já foi avisada. Dessa forma, ela que arque com as consequências de suas ações!

TODOS já fizeram MAL há alguém na vida!

Eu sei, porque já fiz e já me fizera muito mal também!

Portanto, nunca há inocentes de fato! Você pode fingir que não sabia o que estava fazendo, fingir que não se lembra… Mas no momento em que o fez, você sabia muito bem e sua consciência não esquece!

TODO MUNDO sabe o porquê de fulano ter se vingado!

Se você foi idiota o bastante para ficar mexendo com vespeiro, então, que aguente as picadas! Todos têm os seus limites e se não os respeitar, acabará levando na cabeça mesmo! Toda ação tem sua reação! Toda cabeça, uma sentença e um carrasco! Você pode ser hipócrita, mas não conseguirá escapar! Um dia se vingará, um dia será vingado e noutro receberá a vingança, simples assim! Não adianta negar! Se você praticou o mal, receberá o mal… O que se doa, se recebe, certo?

Maaaaaaaaaaaaas… Nem tudo está perdido, há sim uma forma de escapar! Se arrependendo e começando pela palavra mais boba e uma das mais cheias de significado do mundo: “desculpa“!

Ás vezes, por egoísmo, por medo, por inveja, por ambição, por sofrimento,… Acabamos fazendo mal para alguém. Acontece…! Algumas vezes, nos foge do controle e acabamos fazendo besteira. Mas, se logo em seguida você percebe o que fez ou vê o quão mal causou, aos invés de continuar com a besteira, é preferível que abaixe a cabeça, assuma a culpa e se desculpe. Ás vezes, no meio do pedido de desculpa, você consegue expor para a pessoa o motivo pelo qual fez aquilo e ela mesma acabe mudando por você. 

Se ferimos porque estamos feridos; se atacamos porque nos sentimos ameaçados; se derrubamos porque sentimos inveja; se passamos a perna porque tivemos um momento de ambição… Podemos ser sensatos depois! Quem sofreu nossos males pode vir a entender o motivo e tentar resolver a situação com você. Mas, não espere que isso aconteça instantaneamente, afinal, feridos precisam de um tempo para se curar. E até lá, você precisará aguentar o que quer que seja sua consequência…

Digo-lhe tudo isso por experiência própria! Já estive dos dois lados da moeda e pretendo continuar o mais longe possível deles! 

Se alguém não aprende a lição, afaste-se dela! Não vale a pena ficar repetindo sempre o mesmo ciclo vingativo. Um dia, talvez ela entenda e pare para refletir, ou… Um dia, as feridas serão tão grandes que ficará impossibilitada e continuar. Mas, deixe-a lá. 

Recomendo que se perca o controle uma vez por pessoa! Se perder duas vezes, tudo bem… Ainda é “aguentável”. Mas, perder três vezes, já é um claro sinal de que essa pessoa deve ser afastada de você o quanto antes, assim, os tiros que trocam entre si não atingiram os outros ao redor!

E se você perceber que independente das tentativas de ser melhor para alguém, você continua a atacar e atacar e atacar a mesma criatura. PARE IMEDIATAMENTE

É compreensível atacar uma única vez alguém! É até tolerável atacar duas vezes. Mas, mais de três… Isso já é maldade! É pedir para que a pessoa em questão perca o controle e você sofra a vingança com estilo, não? Deixa de ser masoquista! Deixa de ser sádico! Afaste-se! Pois, claramente, essa pessoa não faz bem á você (e com certeza você não faz bem à ela)!

O que digo aqui, não é regra, nem um aviso e uma ordem. O meu desabafo é um conselho que lhe dou.

Sei que, se conselho fosse bom, era vendido e não dado. Mas, resolvi doá-lo para quem quiser ler. Quero tentar diminuir o número de feridos e talvez este texto ajude. 

Já passei por tudo isso. Sou o tipo de pessoa paciente, que sempre espera o melhor do próximo e tenta ao máximo se colocar no lugar do outro, até de quem me fez mal. Mas, se me cutucam demais e, PRINCIPALMENTE, ameaça a felicidade de quem me é querido, eu deixo de ser uma tentativa de Madre Tereza e me transformo no pior pesadelo da pessoa! 

Sinto-me ótima quando sou vingada, contudo… Um tempo depois, começo a ver os estragos da guerra e isso me entristece, ás vezes, me adoecendo a alma… Este conselho é uma tentativa de tentar conversar. Um desabafo! Sei que muitos se identificarão com o que escrevi, então, este é o meu grito de “VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO!”. 

Outros tanto, se prenderão apenas na parte da vítima. Para esses eu digo “NÃO HÁ VÍTIMAS NESTE CASO, APENAS CULPADOS!”. Então, tome o seu tempo para refletir e ver sozinho o que já fez de ruim, pois claramente já sabe o que lhe fizeram de mal. Não precisa anunciar seu lado diabólico para ninguém, pode continuar bancando o anjo. Mas, quem sabe essa reflexão lhe impeça de cair do céu um dia?

Outros ainda, se martirizarão, pois ficarão presos no lado da culpa. E eu digo que “TODOS SOMOS CULPADOS, MAS É PRECISO ENTENDER!”. Você pode ter sido aquele que deu o primeiro passo ou o que encerrou a batalha, jogando uma bomba atômica em cima do inimigo, não importa! Sabe que o que fez foi ruim e, assim como eu, agora sente o veneno que despejou correndo pelas próprias veias. Mas, não se culpe demais. Se já se sente culpado, ÓTIMO! Quer dizer que entendeu o que fez e agora pode começar a fazer o que é certo. Peça suas desculpas e afaste-se da pessoa! Vá ser feliz com quem lhe faz bem. Se um dia vocês forem fortes o bastante para se reencontrar e retomar o tipo de relacionamento que tinham, vão em frente! Lembrando-se sempre que as feridas deixaram cicatrizes e que mais nada será como antes. Mas, a atitude em si de tentar, já é louvável! (mas no primeiro sinal de maldade, caía fora!)

Ninguém é cem por cento bom e nem cem por cento mal! Ninguém faz nada grande sem querer, toda maldade, neste caso, precisa ser feita “por querer” para ser infligida. Seus desejos não se realizam se não quiser e sua vontade não se concretiza se não agir!

Para quem se identificou, espero que o texto tenha ajudado. E para quem, supostamente, não se identificou com NADA, eu espero que o meu desabafo possa vir a ajudar um dia.

Bom…

Beijos e abraços calorosos para vocês!

E cuidado com o veneno que guardo a sete chaves dentro de mim, ein! rs… 😉 

Texto by Me (Fabiane)!

eu2



Eu descobri que as pessoas sentem inveja!

Mas, eu não falo somente da invejinha branca do dia a dia, aquela que nos faz dizer a um amigo “cara, você é foda! Eu queria ser você!!“, eu falo daquela inveja feia como uma bruxa velha e enrugada, a la Mágico de Oz, que fica parada num canto escuro, apenas te observando e lançando pragas das sombras…

Falo daquela inveja que não te faz crescer e tentar ser alguém melhor um dia, assim como aquela pessoa que você tanto admira e sente a tal invejinha branca… Eu falo justamente do oposto! Daquela inveja que te prende, te traz para baixo, que te faz odiaaaaaar o próximo e desejar que o pior aconteça com ele, ao invés de você desejar que o melhor aconteça com você!

Aquela inveja que te faz brigar e não batalhar, que te faz perder companheiros, que te faz perder a noção dos seus sonhos, dando-lhe a falsa impressão de que precisa viver os sonhos do outro para poder ser o melhor!

Aquela inveja que te faz querer aparecer o tempo todo e de todas as formas, que te faz acumular desejos, mas não os SEUS desejos, e sim os desejos “deles”! Que te faz querer ser melhor do que todos em tudo, mas de uma forma tão egocêntrica e cega, que te deixa perdido num labirinto sem saída, com paredes de vidro para dar a falsa segurança de que o mundo é seu e você ainda vive nele… Para te dar a falsa impressão de que todos estão olhando para você, quando, na verdade, apenas observam o estranho indivíduo preso naquele labirinto: “Pobre, criatura!“…

A inveja que sentem, meus caros, desperta o pior de vocês e daqueles ao seu redor!

Ao invés de crescer, você cai…

Ao invés de admiração, você ganha pena…

Ao invés de respeito, você ganha desconfiança…

Uma vez, cheguei muito perto de ser dominada por essa inveja, mas consegui me salvar nos 45 do segundo tempo… Não me orgulho disso, porém, admito sem rodeios e sem pudor, fui fraca e posso voltar a ser, contudo, continuarei dando a volta por cima!

Sentir inveja, é muito normal!

Mais normal do que imagina!

Você pode ser uma criatura invejosa, pode sentir inveja branca ou negra… Tanto faz! Isso faz parte da natureza humana: invejar o próximo. Contudo, o que não é certo é se deixar dominar por ela! 

Tal domínio também é, infelizmente, normal de se ver…

É fácil se deixar levar, ainda mais no mundo em que vivemos, onde precisamos ser “alguém” para poder sobreviver.

E ser alguém, hoje em dia, é complicado, pois todos estão querendo ser o tal “alguém”, mas das mesmas ideias, transformando-os em multidões padronizadas de sobreviventes que existem como a maioria, com os mesmos trabalhos, mesmo ideais, mesmas formas de pensar… Sem realmente VIVER suas próprias vidas!

E quando um consegue de fato VIVER, os padronizados se agarram a esse ícone, tentando absorver tudo o que essa pessoa é, querendo se tornar o que ela é… Ter uma chance como ela teve!

Bom… A parte da chance não é o errado da história, mas sim, o roubo de identidade!

Não perca a batalha!

Pense em si mesmo e não no outro!

Será que vale tanto a pena assim esquecer-se de si mesmo e passar a querer a existir apenas como uma sombra da outra pessoa? 

Eu não quero ser normal… Eu quero ser EXCEPCIONAL

Não quero essa inveja negra para mim, quero que tenham inveja “boa” de mim, assim como sentirei dos outros! Uma inveja branca, que nos faz querer crescer!

Eu não quero a inveja que mata quem sou. Eu quero a inveja que me faz ver exemplos e até, quem sabe, ser o exemplo! 

Portanto, larga dessa vida existencialmente invejosa!

Tenta VIVER uma vida de erros e acertos, de exemplos e crescimentos!

Será que falei demais?

Texto by Me (Fabiane)!

eu

 

 



et cetera
Amor literário

Resenhas de Livros

Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por @Cardisplicente

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Festival

Weekly Film Festival in Toronto & Los Angeles. Weekly screenplay & story readings performed by professional actors.

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: