World Fabi Books











Atenção, atenção, semideuses!

Vocês sabem QUEEEM faz aniversário hoje?

Dica: O seu nome está no título da série de maior sucesso escrita por Rick Riordan!

Adivinharam??

Pois bem.. Quem respondeu Percy Jackson acertou na mosca!

Para comemorar a data, a Editora Intrínseca está relançando, HOJE, os cinco livros da série “Precy Jackson e os Olimpianos” com capas novas e extremamente lindaaaaas!!

 

capas novas - percy

 

 

Para saber um pouco mais sobre as capas, acessem: http://goo.gl/IjgxrA

 

 



Há algumas horas a Editora Intrínseca anunciou que  a tradução do terceiro volume em graphic novel da série Percy Jackson & Os Olimpianos, A Maldição do Titã, logo logo será publicada!

A edição manterá a mesma linha de ilustrações que vimos nos dois primeiros volumes, que já conquistaram muitos leitores que estão aprovando e amando a arte! (e que eu também AMEI!!)

A capa brasileira (e internacional) da graphic já foi divulgada e no dia 11 de março de 2014 a graphic novel poderá ser encontrada em qualquer livraria do país!

É ou não é de surtar?

Aproveitem para ver como ficou a edição de A Maldição do Titã:

graphic_novel-a_maldição_do_titã



Atenção olimpianos e heróis!

O mais do que esperado quarto livro da saga Os Heróis do Olimpo (essa é a terceira série completa que Rick Riordan escreve com sucesso – além dos incríveis livros “solos” que ele tem publicados pelo mundo!) finalmente está prestes a chegar em terras brasileiras!

A estréia de Casa de Hades foi (mais ou menos) sincronizada, para que acontecesse ao mesmo tempo em vários países, portanto, assim como nos E.U.A., pro exemplo, a obra será lançada no Brasil no dia 08 de Outubro!!

Inclusive, o livro é tão aguardado que até o site nacional oficial da saga já colocou um relógio com uma contagem regressiva! Caso queiram conferir, basta clicar em: Os Heróis do Olimpo!

Bom… O que eu realmente tenho a dizer para finalizar este post é:

 

 

Falta menos de um mês para que possamos colocar nossas mãos no livro Casa de Hades!!!!

 

 

 

casa de hades



Olá, queridos e queridas!

Eu sei que estou um tanto atrasada, visto que o filme está nos cinemas desde o dia 16 de agosto (ou antes). Contudo, como diz aquele velho e batido ditado: antes tarde do que nunca… Certo?

Pois bem, esta é uma pequena observação minha sobre o filme, comparando-o um pouquinho com o livro em cima do qual foi inspirado! E como se trata de uma opinião particular, pautada nos meus conhecimentos na saga Percy Jackson & Os Olimpianos e em cinema (que diariamente são atualizados, graças ao cinéfilo do Gustavo Valente – meu namorado =D), já aviso que o texto não foi feito para atacar ninguém!

Eu não sou hater! E quase não são lover! (por mais que essa seja uma das minhas sagas literárias prediletas). Portanto, espero que gostem da leitura e apreciem o post!

Bom… Vamos lá!

Percy-Jackson-e-o-Mar-de-Monstros-poster-br

Começando do começo, devo dizer que estava bem empolgada para a estreia do filme, pois, considerando a qualidade mediana do longa anterior, os trailers e teasers de Percy Jackson e o Mar de Monstros pareciam prometer uma produção muito melhor do que o primeiro. Por isso, a empolgação! (afinal, como eu já disse, sou louca pela saga literária que o querido Rick Riordan colocou no mundo! Sendo que O Mar de Monstros é um dos meus volumes prediletos)

Mas, devo dizer que o diretor Thor Freudenthal conseguiu com que minha empolgação fosse 70% atingida. O que já é grande coisa, uma vez que Percy Jackson e o Ladrão de Raios chegou aos 50% mais ou menos…

O elenco, as animações, os cortes, o soundtrack, ou seja, toda a qualidade da produção, gravação e edição estava ótima! Mesmo que não consigamos ver Sean Bean como Zeus, Pierce Brosnan como um centauro, Uma Thurman como Medusa (mesmo que ela não apareça neste, foi interessante vê-la no papel da “víbora mitológica” no primeiro filme), Kevin McKidd  como Poseidon, ou Catherine Keener como Sally Jackson. Podemos apreciar e nos divertir com a interpretação de um novo elenco que achei sabiamente escolhido e misturado ao antigo.

Vemos Anthony Head substituindo Pierce Brosnan como Quíron, o que, ao meu ver, foi uma ótima substituição, já que, por mais que fosse divertido ver Brosnan andando em quatro patas, senti que Head conseguiu captar e transmitir melhor a essência do personagem que podemos conferir nos livros.

normal_Percy-Jackson-e-o-Mar-de-Monstros-13

Também temos o conhecido Nathan Fillion substituindo Dylan Neal como Hermes, que para mim foi outra substituição muito bem feita! Eu realmente consegui ver o Hermes de Rick Riordan sendo projetado nas telonas. Além deles, Stanley Tucci aparece como Dionísio. Um ator que achei também muito bem colocado no papel do Deus do Vinho, pois eu simplesmente ADOREI assistir o humor ácido e sarcástico do deus grego sendo muito bem interpretado pelo ilustre Tucci! Achei que foi um ótimo casamento entre a literatura e o cinema!

Ainda falando do elenco novo do filme, o fofo do Douglas Smith apareceu como Tyson. Ele interpretou muito bem o personagem, contudo, o achei bonito demais para interpretar o meio-irmão ciclope do Percy. No entanto, apesar da beleza, que acabou se tornando um colírio para os espectadores (esse é um detalhe “falho” do qual não reclamo nem um pouco! rs…), Smith conseguiu interpretar muito bem o jeitão desengonçado e inocente do Tyson. A única diferença é que ao invés de apenas rir, eu também fiquei com vontade de agarrá-lo e dizer um “ooouuunw!!”.

Percy-Jackson-e-o-Mar-de-Monstros-21Mar2013_08

E falando em atores bonitos demais para os personagens, a atriz Leven Rambin interpretou a “burucutu” da Clarisse La Rue. Digamos que a linda Rambin conseguiu ser tão egocêntrica, metida e arrogante quanto a Clarisse do livro geralmente é, no entanto, eu imaginava a personagem com um jeito um pouco mais “masculino” e um corpo um pouco mais “bombadinho” do que a atriz conseguia exibir. A delicadeza da Leven Rambin foi um pouco contrastante com a verdadeira Clarisse, mas, mesmo assim, achei que ela se esforçou e se saiu muito bem no papel!

Finalizando os atores do elenco novo, podemos assistir atuações “relâmpagos” de Paloma Kwiatkowski como Thalia GraceGrey Damon como Chris Rodriguez (um namoradinho da Clarisse que se une ao Luke); Missi PyleYvette Nicole Brown e Mary Birdsong como as Irmãs Cinzentas (apesar de terem tido aparições rápidas no filme, foram atuações ótimas e marcantes); Daniel Cudmore como o Manticore (na verdade, o ator em si nem aparece…); Robert Maillet como Polifemo (ao menos ele contribuiu muito bem para a animação e voz do personagem); e Shohreh Aghdashloo como o Oráculo de Delfos.

E neste segundo podemos reconhecer o trio Percy Jackson, Annabeth Chase e Grover Underwood felizmente ainda sob as peles dos atores Logan Lerman, Alexandra Daddario e Brandon T. Jackson! Até o semideus “do mal”, Luke Castellan, volta novamente através da atuação de Jake Abel! Aliás, vemos um vislumbre de Catherine Keener como a mãe de Percy, Sally Jackson.

A única coisa que me desagradou muito nas atuações do antigo elenco foi o jeitinho “donzela em perigo” que a minha personagem predileta, Annabeth, adquiriu durante o filme! Geralmente, a garota é cheia de “fogo nas veias”, de ideias geniais, sempre pronta para tirar todas de uma baita enrascada e ser a “amazona” da história, contudo, parece que a personalidade dela fico afável demais de um filme para outro. Deixaram a atriz loira, o que condiz com a personagem do livro, no entanto, a amoleceram demais! Eu ao menos esperava que ela mantivesse a mesma postura que demonstrou no primeiro. Acredito que fizeram isso para poder dar o lugar de “garota amazona” para a recém aparecida Clarisse e não tirar o brilho do semideus principal, o Percy. (o que é uma grande pena!)

Percy-Jackson-e-o-Mar-de-Monstros-Pôster-do-Filme-com-Annabeth-e-Percy

Mas, enquanto a Annabeth amolecia, o Percy amadurecia! É notável perceber que o ator evoluiu dentro da carreira e com ele, para nossa sorte, o personagem! Podemos ver um Percy Jackson mais marcante e de personalidade mais forte do que o que foi apresentado no primeiro filme. Esse amadurecimento ator/personagem foi ótimo para dar um gás à adaptação!

Deixando o elenco de lado e partindo para a trama do filme, muitos erros e defeitos podem ser notados no meio da qualidade da produção. Ou seja, o filme possui uma ótima qualidade no que diz respeito ao elenco, à edição e produção, contudo, o enredo ficou um tanto lapso e falho: tentaram fazer demais e acabaram fazendo de menos, com efeitos especiais de sobra e um ritmo mais do que acelerado!

Um dos maiores prolemas de Percy Jackson e o Mar de Monstros é o fato de todas as viradas da trama serem nitidamente percebidas e previstas! É como um clichê, que quando começamos a assistir já sabemos como o que acontecerá em seguida, qual será a reviravolta e como se dará o final. Infelizmente a formula “Infanto-juvenil” ainda foi usada, mesmo sabendo que os personagens no longa-metragem não possuem doze anos como no livro e que o público alvo para o filme alcança uma faixa-etária maior e mais diversificada. O elemento surpresa, mesmo para quem já conhecia a série, acabou ficando de lado.

Talvez imaginaram que por ser uma saga mundialmente conhecida e famosa, o espectadores já saberiam de cor e salteado a trama e por isso não precisariam se preocupar tanto em serem originais, que o elemento surpresa estaria no elenco e na animação mesmo.  O que é uma pena, visto que eles tinham MUITO material com o qual trabalhar e acabaram dando um toque infantil aos personagens adolescentes do filme. (como se a personalidade deles houvesse congelado no tempo) Isso acabou depreciando um pouco ótima atuação de alguns atores que estavam conseguindo amadurecer seus personagens.

Contudo, acredito que o ponto alto da minha crítica ao filme esteja, realmente, no aparecimento do “vilão principal” da saga, o qual é mencionado desde o começo, contudo, só vem a aparecer de fato no penúltimo livro! Eles retiraram um dos vilões chave de O Mar de Monstros e também diminuíram um pouco o papel de Polifemo na história. Tudo isso, para poder aparecer com o titã! O que, ao meu ver, foi realmente um tiro no pé, pois acabaram com mais um elemento surpresa e esgotaram uma peça importante da série, tirando um pouco da graça e da  expectativa de alguns fãs…

Sinceramente? Eu não sei ao certo como farão para adaptar os filmes seguintes, afinal: o titã já apareceu e foi ridiculamente derrotado, mesmo que “provisoriamente”; algumas merdas já aconteceram quando o titã surgiu e se eu fosse o Luke não seria idiota de ressuscitá-lo de novo; o plano do lado “mal” já foi mais do que revelado e supostamente era para todos do acampamento e os deuses estarem mais do que preparados e tomando medidas drásticas; etc… Por essas e outras, os apreciadores, amantes e fãs (principalmente os haters) acabam ficando com o pé atrás com as adaptações da saga. Algo triste, visto que os livros têm o potencial para serem os próximos “Harry Potter” dos cinemas.

percy-jackson-e-o-mar-de-monstros-filme

 



Há alguns dias, a Editora Intrínseca vem anunciando que este mês (julho) será lançada uma edição especial de O Mar de Monstros. Essa edição virá com capa inspirada no filme. (eu prefiro as capas originais, mas essa capa inspirada no filme é a mesma do poster brasileiro e eu a achei bonita. Portanto, acho que vou querer o poster! XD)

Além disso, a tradução do segundo volume da série em graphic novel também será publicada! Ela vai acompanhar a mesma linha da ilustração da primeira edição e já existem muitos leitores aprovando a arte! (e que eu também AMEI e super aprovei) Afinal, a capa brasileira (e internacional) da graphic já foi divulgada, juntamente com uma simulação da edição com capa do filme para o livro da série.

capa_mar_de_monstros

Texto de divulgação da Editora Intrínseca: Atenção, semideuses! Com vocês, a capa da graphic novel de “O Mar de Monstros”, de Rick Riordan, e a simulação da edição especial de “O Mar de Monstros” com capa inspirada no filme. 

Percy Jackson e o Mar de Monstros é a sequência do filme Percy Jackson e o Ladrão de Raios e o segundo volume da série literária de Rick Riordan ganhará uma adaptação cinematográfica.

Com estreia no Brasil prevista para 16 de agosto, o filme acompanha Percy (Logan Lerman), jovem semideus, filho do deus grego Poseidon, e seus amigos na busca pelo Velocino de Ouro.

Está sendo dirigido por Thor Freudenthal, com roteiro de Scott Alexander, Larry Karaszewski, Marc Guggenheim e Rick Riordan, Percy Jackson e o Mar de Monstros tem a presença de ainda Alexandra Daddario como Annabeth, Jake Abel como Luke, Brandon T. Jackson como Grover, Nathan Fillion como Hermes e Stanley Tucci  como Dionísio. (entre outros.)



Desde a semana passada a editora JBC vem anunciando o lançamento do mangá O Senhor dos Espinhos (nome original: Ibara no Oh), do mangaká Yūji Iwahara, que nasceu em Memanbetsu, Hokkaido, Japão, sendo que este mangá é uma de suas obras mais famosas. (Ele também fez a arte para Quest, um curta que saiu pela Marvel Comics Imprints – Tsunami, um tipo de quadrinho da Marvel, destinado à leitores de mangá).

E para quem ficou curioso, segundo a editora, O Senhor dos Espinhos um mangá de suspense que pode ser considerado eletrizante, repleto de personagens carismáticos e cenas de ação e tensão, tudo isso distribuído ao longo de seis surpreendentes volumes.

Mas, apesar de a obra estar vindo para o Brasil agora em 2013, o mangá já existe fora daqui há muito tempo, sendo que até já foi publicado nos Estados Unidos, sob o título de King of Thorn, em 2008. Lá fora, O Senhor dos Espinhos atingiu um grande sucesso, garantindo presença na lista das dez melhores Graphic Novel’s para adolescentes da Young Adult Library Services Association.

Pelo visto, a trama do mangá possui um clima tenso de sobrevivência e cheio de ameaças, que se passa em um possível futuro pós-apocalíptico!  E apenas para que vocês tenham uma noção do real climax de Ibara no Oh, o enredo teve como uma de suas inspirações o livro clássico de William Golding, Senhor das Moscas! Tenso não?

Aliás, por causa dessa referência, a JBC  resolveu traduzir o título japonês para ‘O Senhor dos Espinhos’, para que um número maior de leitores pudessem fazer a associação entre a obra de Yūji Iwahara e o livro de William Golding. (acho que o recado ficou bem claro!)

E, de acordo com a editora, a trama de mistério dessa graphic bem vem preencher a lacuna deixada por Another, um mangá de suspense que acabou de ter seus quatro volumes lançados e que fez muito sucesso entre os leitores. Inclusive, Ibara No Oh virou um longa de animação em 2010 no Japão (e depois pelo mundo). E quem já assistiu o anime, diz que o mangá foi para as telas devido ao seu sucesso e à qualidade da trama. O que acaba nos deixando ainda mais curiosos para lê-lo (e quem sabe, assisti-lo).

O Senhor dos Espinhos, como dito, terá 6 volumes e chegará às bancas ao final de junho no formato 13,5 x 20,5 cm, com 4 páginas coloridas, cerca de 200 páginas por edição, folha em papel brite 52g, ao custo de R$ 12,90 e periodicidade mensal.

King of Thorn 01 Capa.indd

Informações do Mangá oferecidas pelas JBC:

A história: Em um futuro não muito distante, surge o vírus Medusa, e uma doença fatal para a qual não existe cura. Todas as pessoas infectadas, ao poucos, têm a pele enrijecida e escurecida, ficando com a aparência de uma estátua e morrendo.

Sem meios de combater a doença naquele momento, 160 pessoas são sorteadas e colocadas em sono criogênico para aguardar por uma possível cura.

Os sorteados acordam em meio a um mundo completamente diferente. As instalações onde eles repousavam foram invadidas por uma densa vegetação e criaturas com aspecto jurássico habitam as sombras. Confusos e ainda ameaçados pelo incurável vírus Medusa, os sobreviventes se reúnem e tentam escapar do prédio, em busca de ajuda e respostas, sem saber quanto tempo se passou e o que aconteceu com o mundo.

Personagem Kasumi Ishiki: Protagonista da história, uma das pessoas selecionadas para “hibernar” em busca da cura do vírus Medusa. Kasumi deixou para trás seus pais e sua irmã gêmea, Shizuku, também infectada pela doença e fadada à morte por não ter sido sorteada para o experimento. Insegura e se culpando pelo abandono da irmã, a garota se vê ainda mais surpresa com o mundo completamente estranho no qual desperta.

Personagem Marco Owen: Um dos sobreviventes do projeto de sono criogênico, Marco é um dos mais ativos personagens. O misterioso homem não foge à responsabilidade e busca de todas as formas um meio de conquistar a sobrevivência do grupo, mesmo que isso signifique pôr sua própria vida em risco. Por enquanto, seu passado continua envolto em sombras.

Personagem Alexandro Pecchino: Infectado pelo vírus Medusa, o rico senador Alexandro Pecchino repentinamente teve a “sorte” de ser um dos escolhidos para o projeto de criogenia. Egoísta, manipulador e pessimista, o senador se mostra sempre disposto a salvar sua pele primeiro.



Olá, queridos leitores!

Tudo bem?

Campo em Branco

O post de hoje é sobre um livro, ou melhor, uma Graphic Novel que a editora Companhia das Letras lançou na semana retrasada (lá pelo dia 13 de junho). A obra se chama Campo em Branco e foi produzida à quatro mãos pelos grande DW Ribatski (ilustrador) e Emilio Fraia (escritor).

A graphic conta, basicamente, a história de dois irmãos que se reencontram depois de dez anos vivendo longe um do outro. O enredo começa em uma cidade estrangeira, onde o mais velho, Mirko, está morando. Contudo, o narrador principal é Lucio, o irmão que vai ao encontro de Mirko. Portanto, vamos tomando conhecimento dos fatos a medida que Lucio vai contando a história de ambos.

E nós, leitores, começamos a ver a trama se desenrolar a partir do momento em que Mirko insiste para que os doisrefaçam uma viagem feita há muito tempo para Cabo Blanco, um lugarejo nas montanhas frio e com muita ventania, sendo que a “maior atração” de lá são gigantes de pedra.

Inicialmente, Lucio sequer se recorda da primeira vez em que passaram por lá, tudo parece vago e sem sentido, contudo a ausência de lembranças da antiga viagem não parece um problema para poderem “reiniciar” uma nova. Assim sendo, os irmãos partem no velho carro de Mirko.

E com a aventura sendo refeita, vamos nos deparando com cenas dos acontecimentos “atuais” pelos quais os dois vão passando, mas, também, vamos vendo cenários e tramas do passado dos personagens. Dessa forma, durante a leitura não temos uma narrativa linear, pois o enredo se torna muito mais do que apenas o reencontro entre dois irmãos ou o relato de uma viagem. A história se transforma em uma mistura quase caótica de tempos e lugares; de “insights” e recordações, sendo tudo isso relacionado ao narrador, o Lucio.

Nesta fabulosa graphic novel de Emilio Fraia e DW Ribatski é preciso que o leitor dispense uma atenção especial sobre o enredo, uma vez que a cada cena é possível fazer uma enorme reflexão sobre o que foi lido e visto, pois a obra justamente permitir que o leitor tire as próprias conclusões; dê o significado que julgar adequado e ordene como quiser os fatos.

No entanto, a graphic (de tons de azul, preto e branco) está longe de ser uma leitura  inconsistente, é realmente preciso carinho e “cabeça” para interpretá-la, já que, se assim a ler, o resultado poderá ser incrível. 

Na verdade, a tarefa de absorver o livro é bem simples: retirar um sentido de Campo em branco. E como Fraia e Ribatski deixam os leitores livres no enredo, acaba ficando fácil se prestar atenção.

Com certeza, essa é uma leitura que eu recomendo! (abaixo está um vídeo do booktrailer da obra)

Sinopse da obra oferecida pela Companhia das Letras:

Dois irmãos, separados pelo tempo e pelo espaço, se reencontram numa cidade estrangeira. Não sabemos ao certo onde estão, tampouco conhecemos os caminhos que os fizeram chegar ali. Lucio, o mais novo, tenta entender o que o mais velho, Mirko, quer com ele.
A ideia, parece, é refazer uma viagem da infância de ambos, quando visitaram com um tio uma cidade nas montanhas. Ao chegar ao topo de uma trilha, teriam encontrado os Gigantes de Pedra, uma formação rochosa que Mirko agora insiste em rever. Narrado por Lucio, o episódio se mescla a lembranças – um enunciado de física, a piscina do clube, um robô de brinquedo – e, principalmente, a tudo aquilo que ele não consegue lembrar, ver ou compreender. Sempre que Lucio fixa alguma imagem do passado invocado pelo irmão, ela parece escapar, como a dor fantasma de um braço amputado.
Numa trama sobre família e memória, o escritor Emilio Fraia e o quadrinista DW Ribatski tratam com suspense e humor, doçura e medo, a jornada desses dois irmãos. A arte vibrante de Ribatski e os temas enigmáticos de Fraia combinam-se num road movie às avessas, onde a viagem só começa quando podemos reconstruí-la, desmontá-la, inventá-la.



et cetera
Amor literário

Resenhas de Livros

Devaneios da Lua

Sobre tudo e ao mesmo tempo nada

Crônicas da Gaveta

Relatos amadores por @Cardisplicente

Sara M. Adelino

Tradutora. Revisora. Redatora.

WILDsound Festival

Weekly Film Festival in Toronto & Los Angeles. Weekly screenplay & story readings performed by professional actors.

Destino Feliz

Seu Blog de Viagens, Roteiros e Experiências

dmaimalopes

A great WordPress.com site

delenaalways

A fine WordPress.com site

evilking.wordpress.com/

Comic Book and related work by Danilo Beyruth

ibooksney

EM ANDAMENTO

My Broken Throat

Até que o medo se desfaça... Um engano do destino

nicoleravinos

"Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado"

Action Nerds

Bonecos, tirinhas e nerdices. Aqui você encontra tudo isso!

%d blogueiros gostam disto: